Início » Maternidade » Sabe como escolher a escola da cria? Leia antes este post.

Sabe como escolher a escola da cria? Leia antes este post.

Escolher a escola para a criança não é fácil. É preciso considerar alguns pontos importantes, que vão nortear você para a melhor decisão. Neste post, editado sob consultoria da Eliane Volpe, Psicopedagoga de Curitiba – PR, você verá exatamente esses itens a serem observados, e certamente será mais fácil decidir onde matricular seu filho para o próximo ano letivo. Confira!

Veja também:

Vale a pena matricular sua criança numa escola bilingue?

Merrimack College student Megan Donahue student teaching at the Lawrence Family Development Charter School, in Lawrence, MA on December 7, 2010.

Imagem: Merrimack College via Foter.com / CC BY-NC-ND

Todo ano a história se repete, chega o momento de fazer reserva de matrícula e muitos pais ficam angustiados sobre qual escola escolher para matricular seus filhos. Começa a busca, e a pergunta que martela na cabeça nesse momento é: como decidir em meio a tantas possibilidades? “Antigamente não haviam tantas opções de escolas e tantos métodos diferentes, as escolas tradicionais eram uma das poucas opções. Com o tempo foram surgindo novos adeptos de outros métodos seguindo a linha de alguns estudiosos. A educação era muito rígida e todos deveriam aprender da mesma forma e apresentar os mesmos resultados. Hoje em dia este olhar e respeito ao tempo da criança para aprendizagem vem sendo discutido e respeitado, diferenciando uma escola da outra”, explica a Eliane. Certamente achar que precisamos ter algum conhecimento técnico para definir a escola, e chegar à conclusão que não temos, acaba nos deixando mais inseguras.  Eliane não descarta que seja interessante a gente perceber algumas nuances das diferentes linhas pedagógicas, mas o que vale mesmo é conhecer nosso filho. “Importante é saber se seu filho apresenta o perfil para determinado método. Muitas vezes, a escola pode apresentar a melhor proposta e método pedagógico, mas a criança não se adapta. Podemos citar como exemplo uma criança que resiste em registrar atividades no caderno, ela terá dificuldade em adaptar-se em uma escola tradicional, onde o registro é essencial e cobrado de forma significativa” alerta nossa consultora.

escola ideal

Sim, ela existe, e é a ideal para cada criança de forma individual! Não existe uma escola ideal para todas as crianças. As crianças são únicas e cada uma é diferente da outra, cada uma aprende de forma diferente e ao seu tempo, e esse perfil deve ser respeitado e priorizado. Devido a isso, a escola ideal é aquela que a criança se adapta, aquela que a criança sente-se acolhida, e demonstra felicidade e prazer em ir à aula.”

indicação

Com certeza a indicação é um ponto de partida, toda informação é bem vinda, porém o cuidado com as diferenças é muito importante, pois a escola pode ser excelente para o amiguinho e pode não ser para seu filho, e vice versa. Uma dica importante para os pais é conhecer qual a proposta da escola e verificar se seu filho apresenta o perfil para a mesma, depois levá-lo para visita, pois a criança foca suas escolhas primeiramente no visual e cabe à família considerar os outros aspectos como um todo, antes deste momento, a fim de evitar ansiedade, expectativa, conflitos e frustrações.

simplifique

A distância, a permanência por tempo excessivo em um carro ou condução, o acordar muito cedo, o trânsito caótico, já causa um desgaste físico e emocional tanto na criança quanto nos pais, então se houver a possibilidade de uma opção de escola mais próxima, que atenda as necessidades e expectativas da família e da criança, esta situação diária deve ser evitada, pois pode sim interferir no aproveitamento pedagógico da criança.”

tecnologia

Recurso tecnológio deve ser levado em conta, pois a tecnologia está muito presente nos dias de hoje, podendo e devendo fazer parte de um dos recursos pedagógicos, mas não deve ser o único diferencial. A organização, limpeza, cuidado e estética também podem demonstrar um cuidado e zelo pela gestão da unidade escolar, mas ainda insisto em destacar que o acolhimento, o olhar diferenciado para cada criança como única, as diferenças, as potencialidades, fragilidades e acima de tudo a estimulação das diferentes habilidades que as crianças apresentam deve ser o fator predominante.”

Conheça mais sobre as linhas pedagógicas:

Montessori

Na metodologia montessoriana a criança deve buscar sua auto formação e construção. Os adultos precisam ajudá-la nesse processo, favorecendo o desenvolvimento de indivíduos criativos, independentes, confiantes e com iniciativa. Na sala de aula, as crianças escolhem as atividades que querem fazer e a atenção deve estar nas tarefas a serem cumpridas. O professor é um “guia” que remove obstáculos à aprendizagem e isola as dificuldades da criança, respeitando o ritmo de cada aprendiz e sem intervenções indevidas. As classes têm crianças de idades diferentes e há incentivo para o trabalho em grupo. Todos os estudantes são estimulados da mesma maneira.”

Waldorf

“Considera cada aluno como um ser único, que deve ser acompanhado de forma próxima. O trabalho é feito em três âmbitos do desenvolvimento da criança: físico, social e individual. Os alunos são divididos em faixas etárias e não em séries, pois Steiner acreditava que cada idade tem necessidades específicas a serem atendidas. O aluno estuda com a mesma turma e com o mesmo professor dos 7 aos 14 anos. Como o ritmo biológico não pode ser alterado, não há repetência. O método dá igual importância às formações ética, estética e acadêmica.”

Construtivista

Nas instituições que seguem os princípios construtivistas baseados na proposta de Jean Piaget, o conhecimento é ativamente construído pelo sujeito e não passivamente recebido do professor ou do ambiente. Cada estudante é visto como alguém com um tempo único de aprendizado e o trabalho em grupo é valorizado. Nas escolas construtivistas, são criadas situações em que o estudante é estimulado a pensar e a solucionar problemas propostos.”

Sócio construtivista

Para o sócio construtivismo, o papel da linguagem é fundamental e esta pedagogia acredita que o aluno aprende através da interação com grupos sociais, outros alunos e professores – estes, aliás, atuam como mediadores entre o a criança ou adolescente, seus conhecimentos e o mundo. Com inspiração também em Piaget, a escola sócio construtivista estimula a criança a aprender a partir de suas experiências. O foco desta pedagogia está também na importância do trabalho e discussão em conjunto entre os alunos para uma melhor compreensão de pontos de vista diferentes.”

Confessional

Refere-se à escola vinculada ou pertencente a igrejas ou confissões religiosas. A escola confessional baseia os seus princípios, objetivos e forma de atuação numa religião, diferenciando-se, portanto, das escolas laicas. Para esse tipo de escola o desenvolvimento dos sentimentos religioso e moral nos alunos é o objetivo primeiro do trabalho educacional. Dessa forma, se a escola leiga constrói sua proposta baseada apenas em correntes pedagógicas, a confessional procura ter um embasamento filosófico-teológico.”

Tradicional

Aplicada na maioria das escolas do Brasil e, principalmente, nas escolas laicas, o que predomina é o ensino centrado no professor, que é um transmissor de cultura. O estudante tem metas a cumprir dentro de determinados prazos, que são verificadas por meio de avaliações periódicas. Quem não atinge a nota mínima necessária no conjunto de avaliações ao longo do ano que está cursando é reprovado e tem de refazê-lo. É comum que essas escolas usem apostilas e cartilhas, que estabelecem o quanto a criança deve aprender em cada ano.”

ELIANE VOLPE-PSICOPEDAGOGA-CURITIBA-PARANÁ

Mais de Eliane no Trololó de Mulher:

Saiba como contornar a dificuldade de aprendizagem de sua cria.

Eliane tem experiência de 20 anos na área de educação como Professora , Pedagoga e Diretora de Centro Municipal de Educação Infantil. Hoje atua como pedagoga da Rede Municipal de Ensino e como psicopedagoga clínica, com foco principal na Avaliação e Intervenção psicopedagógica para crianças, adolescentes e adultos com dificuldades de aprendizagem. Profere palestras para docentes e familiares sobre dificuldades de aprendizagem e desenvolvimento infantil. Para maiores detalhes sobre seu trabalho, acompanhe suas redes sociais: FanPage no Facebook e perfil no Instagram.

Seus contatos são: Vivere Saúde e Neurofeedback, R. Valério Haisi, 12, Santa Felicidade. Curitiba, Paraná.  Telefones (41) 33726943 e (41) 99980-0348. E-mails: eliane@viveresaude.com e elianevolpe@yahoo.com.br

ASSINE

LOJA TROLOLO DE MULHER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *