Início » Comportamento Infantil » Dê presença materna, e menos presentes, antes que seja tarde!

Dê presença materna, e menos presentes, antes que seja tarde!

Presença materna, em substituição a tantos presentes, é possível, sim, mesmo com mães contemporâneas trabalhando tanto. Neste post veremos como fazer isso de maneira bastante simples, e sem espaço para culpas desnecessárias, já que está nesse sentimento a razão para um comportamento materno bastante comum: compensar a ausência com excesso de brinquedos. Essa atitude materna aparentemente inofensiva, que num primeiro momento pode proporcionar tanta alegria para as crianças, pode desencadear problemas de comportamento sérios no futuro da cria. Se queremos mesmo o bem de nossos pequenos, melhor mudar essa dinâmica familiar já, antes que seja tarde.

O maior prazer proporcionado pelo Trololó de Mulher na minha vida é ver que as leitoras percebem que esse espaço é nosso, e que aqui o que queremos é colocar em pauta temas relevantes para a vida delas. Elas sabem que têm total liberdade para sugerir pautas, e quando as ideias partem delas, de suas necessidades, sinto que o assunto abordado ganha ainda mais relevância. O tema a ser discutido no post de hoje foi sugestão de uma leitora, a Raissa, de Recife. Sei que ela não é mãe (ainda), mas acho muitíssimo interessante que ela se preocupe em pensar a respeito de questões importantíssimas que envolvam a criação de filhos. Não tenho dúvidas do quanto sua maternagem será comprometida quando esse momento chegar. Partiu dela a seguinte pergunta:

maternidade-filhos-presenca-materna800

Imagem: párás via Foter.com / CC BY-NC-ND

Por que dar muitos presentes, pra compensar ausência, pode ser um mal pra cria?

A consultoria para o post de hoje foi dada pela nossa querida Jenifer Longo, Psicóloga de São Paulo com foco em maternidade e desenvolvimento infantil. Confira a seguir o posicionamento da profissional:

Antigamente, a mulher era vista apenas como alguém do lar que vivia exclusivamente para cuidar da casa, do marido e dos filhos. Mas, com o passar dos tempos, a mulher começou a ganhar mais espaço dentro da sociedade e com isso está assumindo novos papéis. Porém, ela acaba se dividindo entre a casa, o trabalho e os filhos.

Esta transição é uma grande conquista da mulher contemporânea, mas muitas mães que ficam várias horas trabalhando acabam ficando com a consciência pesada por passarem tanto tempo longe dos filhos. Com isso, tentam compensar esta ausência dando muitos presentes para a criança.

Mas será que esta forma de compensação pode ser um mal para a cria? Sim! Encher a criança de presentes para compensar a ausência acaba não funcionando muito bem. Os presentes podem inclusive acarretar a uma sensação insaciável, deixando as crianças cada vez mais materialistas em que os sentimentos são substituídos por objetos, podendo deixar um grande vazio, além das crianças se tornarem consumistas, pois os brinquedos logo são abandonados e as crianças pedem outros.

Tal situação é mais motivadora para os pais suprirem uma culpa pessoal do que uma real necessidade dos filhos. Ao invés de presentes, é importante reservar um tempo de folga e aproveitar os finais de semana para curtir um momento em família com o seu filho, dialogar, dar atenção, partilhar carinhos (abraços, beijos), realizar brincadeiras juntos e até desfrutar de um piquenique no parque.

Hoje em dia, com o avanço da tecnologia e com as redes sociais fica até mais fácil participar da rotina dos filhos mesmo à distância. É interessante usá-las para interagir e manter a comunicação. Mas, vale ressaltar que nada substitui o afeto do contato físico.

Segue algumas dicas para conseguir estarem ainda mais presentes, mesmo trabalhando a maior parte do dia:

· Mande mensagens: Utilizar as redes sociais é uma ótima maneira para se manter conectada com seu filho.

· Pergunte como foi o dia do seu filho: Ao final do dia é importante conversar com a criança sobre as atividades que ela realizou, como foi o dia na escola, isso os deixam mais próximos do cotidiano deles.

· Refeições em família: Quando possível, vale reunir toda a família em volta da mesa para comer juntos, é um ótimo momento para interagir e conversar com os filhos.

· Hora de dormir: Colocar as crianças para dormir também é um ótimo momento para ter um diálogo, ter um momento de carinho e de ler histórias.

· Finais de semana em família: Este é um período para aproveitar os filhos. Façam atividades juntos, brinquem, seja em casa ou até mesmo no parque, o importante é se divertirem juntos.”

jenifer-longo-psicologa-sao-paulo

Mais consultorias da Jenifer:

Mentira na infância: como lidar com essa situação?

Jenifer costuma escrever artigos com o objetivo de promover o bem-estar psicológico no contexto familiar, abordando temas como maternidade, desenvolvimento infantil e crianças com necessidades especiais. Esses artigos são publicados nos sites Psicologias do Brasil e Espaço Psicologia e Família. Clique e confira os artigos da Psicóloga nessas duas páginas! O espaço Psicologia e Família, inclusive, dispõe de fanpage no Facebook. Clique aqui, curta e acompanhe. Jenifer realiza seus atendimentos em São Paulo, para mais informações você pode entrar em contato pelo e-mail jeniferclongo@gmail.com ou pelo telefone 11 98824-7963.

ASSINE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *