Início » Entrevistas » Superação e perseverança: amor materno que inspira.

Superação e perseverança: amor materno que inspira.

Amor materno é algo que não tem definição. Tem que ser mãe pra sentir. É lindo demais! E quando me deparo com histórias de maternagem real, pura, de uma entrega completa como a da mãe que quero te mostrar hoje, sinto que é o amor materno, esse lindo e mágico sentimento, que dá forças para mães como elas enfrentarem dificuldades emocionais e práticas no dia a dia. Persistência, superação, (re)conhecimento, crescimento de mãe e filho, dia após dia… tudo isso passa na rotina de Mariana Hart, fotógrafa, 34 anos, mãe de Stella (já adolescente) e os gêmeos Leo e Pedro.

Neste mês das mães, eu quis mostrar a história de uma mulher que tenha dificuldades práticas para cuidar de um filho “especial”. Desejei mostrar o amor de uma mãe que, corajosamente, desbrava o que for necessário para colocar-se juntinho do coração do filho. Eu acompanho Mari pelo Facebook já faz um tempinho, então logo pensei na sua história quando idealizei este post. Eu quis prepará-lo com todo carinho para as mães do Trololó de Mulher, como um presente, para inspirá-las com uma história linda, com a materialização do que conseguimos imaginar que seja esse amor materno que nós, mães, sentimos. Mães lindas como a Mari tocam nossos corações e fazem com que vejamos tudo por outro ângulo, e possamos concluir que em nossas rotas de vida, quaisquer que sejam elas, o fundamental é mesmo o amor. Gratidão, Mari!!!

AMOR MATERNO

Mari e as crias.

Temos uma conexão além de qualquer entendimento. É como se fôssemos um só.

Mariana já era mãe de Stella quando engravidou dos meninos. A primogênita tinha 6 anos na época. Tudo na gravidez dos meninos foi bem diferente, e Mari precisou se reinventar. A partir do nascimento dos pequenos, começava um novo jeito de maternar para ela: “meu filho Leo tem paralisia cerebral do tipo tetraplegia. Isto quer dizer que ele tem todos os movimentos do corpo, porém há uma falha no comando do cérebro que deixa todos os membros praticamente inutilizados. Ele não sustenta o pescoço. Não senta sozinho. E tampouco caminha ou segura objetos. Todos seus movimentos são involuntários”, conta. Além de encontrar disposição extra para enfrentar todos os desafios que surgem ao cuidar de uma criança “especial”, Mari sentiu na pele o preconceito gerado acerca do quadro de seu pequeno, tudo muito próprio da falta de informação. “Uma coisa que acho importante sempre ressaltar, é que a paralisia cerebral não é uma doença, e sim uma patologia, um estado. Logo, não é contagiosa e nem progressiva. Meu filho é clinicamente saudável, mas ao longo do tempo com o crescimento, a PC (paralisia cerebral) vai trazendo deformidades físicas”, esclarece. “Em breve ele fará uma cirurgia para colocar o quadril no lugar. A PC também pode trazer outros problemas como convulsões, deficiência visual, auditiva, cognitiva, disfagia… A lista é longa. Mas cada caso é um caso. Cada cérebro é único”, conclui.

Trololó de Mulher >>> Existe informação disponível, séria, que ajude mães como você que tenham filhos “especiais”?

Infelizmente foi preciso que eu fizesse uma mudança drástica em minha vida, para ir atrás deste tipo de informação. Me mudei de país há 9 meses para conseguir dar o mínimo de dignidade, respeito e inclusão social que meu filho merece. Faço minha parte, como por exemplo mantendo um grupo virtual no Facebook de troca de informações entre mães e profissionais da área, que hoje já conta com quase 15 mil membros. A falta de informação é o que leva ao pré-conceito. E neste quesito, o Brasil ainda tem muito a evoluir.”

Trololó de Mulher >>> Como se dá sua relação/comunicação com seu pequeno?

Costumo dizer que falamos a linguagem do amor! Com o tempo, aprendi a “ler” meu filho. Ele é um menino totalmente puro, sincero, altruísta, então acaba sendo fácil saber seus desejos, vontades e sentimentos através de suas feições, olhares e trejeitos. Apesar da tetraplegia, acreditamos muito em seu cognitivo. Ele tem a compreensão de tudo à sua volta, só não tem a capacidade de se expressar como uma criança típica.”

Trololó de Mulher >>> Você é fotógrafa (Mari Hart – Photo & Soul), certo? Como equilibra seu trabalho junto ao seu papel de mãe de uma criança que demanda mais cuidados?

Sou fotógrafa graças à meus filhos! Até o nascimento dos gêmeos eu trabalhava em uma empresa de segunda a sábado, mais de 8h por dia. Com a mudança na vida, vi que aquela rotina não seria mais possível, então abri mão de tudo e dediquei os 3 primeiros anos de vida exclusivamente à eles. E foi clicando nosso dia a dia, que me descobri fotógrafa. Estudei, me empoderei e enxerguei nesta profissão uma possibilidade de conciliar trabalho X família. Meus filhos têm um grande pai, ativo e participativo. Fotografando aos finais de semana, não foi difícil fazer este planejamento.”

Trololó de Mulher >>> Do que seu menino mais gosta?

Acredito que o único movimento voluntário do Leo, é a mastigação. E por isso ele AMA comer! É um ogro! Adora experimentar novos sabores e texturas, o que é ótimo, pois assim ainda praticamos a estimulação sensorial que é tão importante para essas crianças. Além disso, Leo é enlouquecido por música! Filho e neto de músico. Ele parece sentir cada nota musical na alma. É algo que mexe muito com ele. Sempre falamos que ele poderia ser um grande crítico musical!”

Trololó de Mulher >>> Seu menino frequenta a escola? De que maneira são dados estímulos de aprendizagem?

Leo frequenta uma escola especial, 7h diárias, onde além de todo o currículo escolar obrigatório, também faz fonoterapia, fisioterapia, terapia ocupacional, musicoterapia e natação. São profissionais altamente capacitados e especializados em lidar com crianças como ele. Leo é absolutamente apaixonado pela escola e é recíproco! Todos na escola amam ele!”

AMOR MATERNO[2]

Mari e os gêmeos.

Trololó de Mulher>>> Como você compreende o amor de seu filho por você?

A compreensão vem em cada detalhe da vida. Meus olhos chegam a se encher de lágrimas respondendo a esta pergunta, pois nunca me senti tão amada na vida! Temos uma conexão além de qualquer entendimento. É como se fôssemos um só. Sinto que parte deste amor que ele exala pelos poros, se deve a gratidão. Tenho certeza que ele sabe de nossa dedicação, entrega e devoção à ele. E então, retribui sendo quem é. O menino mais incrível que já conheci na vida, e que por acaso, tenho o privilégio de ser meu filho.”

ASSINE!

2 comentários sobre “Superação e perseverança: amor materno que inspira.”

  1. dayane araujo comentou:

    eu sigo a mari desde os tempos de orkut, tenho muita admiração por ela e por sua família, parabéns, vc correu atras de seus sonhos e objetivos e com isso esta os alcançando e também incentivando mais pessoas a fazer o mesmo. Vc é guerreira, o Leo é um menino incrível, o Pedro de uma inteligencia admirável e a Stela uma menina com garra e o mundo é o limite para ela.
    Parabéns.

  2. Dri comentou:

    Eu virei fã da família há tempos, quando o blog da Mari era público. Depois, não mais pude acessar mas guardei o carinho por todos. Que legal ter notícias! Vida longa aos sonhos deste quinteto fantástico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *