Início » Entrevistas » Câncer de mama: 3 coisas que toda paciente deve fazer

Câncer de mama: 3 coisas que toda paciente deve fazer

Estamos no #OutubroRosa, mês dedicado a prevenção do câncer de mama. A informação sobre o que é a doença, como detectá-la e como prevenir o câncer de mama é vasta e variada. Todos os esforços neste mês são concentrados em convencer as mulheres da importância de se cuidar e, no caso de descobrir que está doente, que isso seja no início. Dessa forma, você já deve saber, o índice de cura aponta para um percentual altíssimo, o que é muito bom. O fato é que mesmo se cuidando bastante e realizando os exames preventivos dentro dos prazos regulares, a doença pode aparecer. E agora? Certo é que entrar no desespero não irá ajudar em nada, concorda?

Nós sabemos que há avanços significativos no tratamento desta doença. O que parecia inimaginável há algum tempo garante a cura de tantas mulheres que hoje são acometidas pela enfermidade, e que na verdade ainda serão! O INCA estima 57.120 novos casos somente neste ano de 2015, portanto é vital se cuidar. O que não é menos importante  e consiste no objetivo deste post é mostrar que, uma vez diagnosticada com a doença, a mulher precisa se munir de 3 estratégias para se manter forte e empoderada durante a luta contra o câncer. Os tratamentos existem: sim, é verdade! Mas você precisa lançar mão de inteligência emocional nesse processo. Como se posicionar frente a presença do câncer de mama na vida de uma mulher, e quais são essas 3 estratégias?

CANCER DE MAMA-TRATAMENTO CANCER DE MAMA-OUTUBRO ROSA[2]

Via jacilluch / Foter / CC BY-SA

Quem nos conta tudo é uma mulher das mais fortes que conhecemos na blogosfera, e que teve tranquilidade para enfrentar essa doença. Margaret, que é dona da Divitae, uma plataforma de criação de lojas virtuais, com a possibilidade do lojista criar, configurar e começar a vender de forma simplificada, deu vida a esse projeto, veja bem, no ano em que teve a doença. Tocar a vida pessoal e profissional certamente foi das estratégias mais acertadas nessa jornada rumo à cura do câncer de mama. Ela conta muito mais sobre isso tudo… agora. Confira:

1 – Da importância de pedir uma segunda opinião.

Sabemos dos avanços no tratamento do câncer de mama, certo? Isso implica na existência de várias opções e linhas de tratamentos que farão diferença na vida de cada paciente, e a mulher tem o direito de saber quais são esses caminhos. Manter-se informada sobre isso, e sentir-se segura sobre as estratégias no combate a doença, serão vitais para o empoderamento dessa mulher. “Quando é que é interesseante pedir uma segunda opinião? Quando algo não te agrada e te deixa com dúvida. Então uma segunda, terceira ou quarta opinião é super importante. Porque opinião boa é aquela que você confia”, assegura Margaret.

2 – Das perguntas a serem feitas.

A aquisição de conhecimento sobre o câncer de mama torna a mulher consciente do problema que está passando e quais os meios de resolvê-lo, e isso sem dúvidas passa pela qualidade das perguntas que são feitas ao médico. Fazendo as perguntas certas e mais inteligentes, com foco no que importa, tornará o caminho até a cura mais curto e com o mínimo de tropeços possíveis, fazendo dessa mulher uma paciente muito mais preparada para o que há por vir. “No meu caso eu queria saber tudo, todo o processo e o quão rápido tudo deveria acontecer. Eu não perguntei se eu ia morrer, por exemplo. Mas eu perguntava sobre os passos. E saber com consciência, tudo o que eu precisava fazer, me deixava forte. E uma coisa que nem sempre o médico vai falar, mas que é importante saber, é que morrer é algo definitivo na nossa vida. Já que não morrer, não importa a condição, não é opção, vamos viver cada dia como se fosse o último. Com doença ou sem doença, fortalecer nossa mente para encarar tudo de uma forma mais suave”, Margaret conclui sabiamente.

MARGARET-CANCER DE MAMA-TRATAMENTO CANCER DE MAMA-OUTUBRO ROSA

Margaret adotou como estratégia de luta contra o câncer traçar objetivos na vida, e assim seguiu colocando em prática os seus projetos pessoais e profissionais.

3 – Do fortalecimento para a luta.

Uma paciente com câncer de mama certamente não tem apenas a doença em si como alvo de combate, mas todos os efeitos colaterais devidos ao tratamento, e todos os pensamentos negativos que vêm à cabeça ao longo disso tudo. Não é fácil! O que também é verdade é que quanto mais forte a mulher se sente durante a luta, mais preparada ela ficará para cada uma das batalhas. Como se preparar para esse enfrentamento? Margaret conta como fez isso:

Me preparei colocando objetivos na minha vida. Quando ia fazer cirurgia meu objetivo era bronzear meu bumbum. Quando fiz a cirurgia meu objetivo era tirar o dreno e poder tomar banho sozinha. Quando fiz a quimio meu objetivo era me curar sem valorizar os efeitos colaterais. Embora eu tenha sofrido muito na quimio, eu sempre pensava que tudo aquilo fazia parte da cura. Então se preparar para a luta é pensar em coisas que vão te deixar bem. E uma coisa que sempre falo é: encarar o câncer sem o peso da palavra câncer, enfrentar ele e não deixar que ele seja forte na sua cabeça dá muito mais leveza pra tudo. Eu tinha câncer mas pensava: sim…e daí? Vou fazer tudo mas não vou permitir que ele me faça chorar, já que sofrer (o sofrimento físico) não é opcional. Então eu ria, eu cantava, eu brincava durante todo o processo. Até disseram que eu estava fazendo do câncer uma viagem a Disney. E eu fiz mesmo… me diverti e transformei todo o sofrimento em aprendizado. Segui um caminho lindo e florido direto, sem nem cogitar a possibilidade de pegar um caminho cheio de buracos e tristeza. É facil? Não… mas é perfeitamente possivel.”

ASSINE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *