Início » Corpo » Saúde » Saúde dos olhos: saiba 5 verdades simples e básicas!

Saúde dos olhos: saiba 5 verdades simples e básicas!

Responda sem titubear: você cuida da sua visão? Xiiiii… parece que estou vendo daqui você se enrolar toda para responder… é isso mesmo? tsc tsc tsc… vamos combinar? O cuidado com os olhos não deveria ser negligenciado… mesmo! Pensa comigo: esse talvez seja o sentido mais requisitado hoje em dia porque, afinal de contas, a vida ao seu redor é absorvida pelos olhos, não é? O fato é que, ao passo em que eles trabalham tanto e sem parar, também são bombardeados por fatores que contribuem para que sua saúde ocular seja afetada dia após dia e, muitas vezes silenciosamente.

Você sabe, aqui no Trololó de Mulher a gente ama informação para tornar nossa vida melhor, em todos os aspectos. Claro que eu não poderia deixar de correr atrás de uma boa dose de conhecimento para cuidar da saúde de nossos olhos, certo? O resultado, bonita, é uma consultoria das boas: a Dra. Elizabeth Navarrete, que é médica oftalmologista, respondeu minhas dúvidas para que eu pudesse compartilhar tudo com você. Leia, informe-se, cuide da saúde dos seus olhos e viva muito melhor.

SAUDE-OLHOS-VISAO-OFTALMOLOGIA[2]

Imagem: Hungry for Change

Trololó de Mulher >>> O dia a dia de grande parte das pessoas é permeado por informações visuais digitalizadas em computadores, tablets, celulares, etc. Isso faz mal aos olhos?

Os riscos de passar horas olhando para a tela na verdade inexistem quando pensamos em doenças oculares ou mesmo no risco de perder a visão. Em outras palavras, até hoje, não se tem conhecimento de dano irreversível aos olhos em relação ao uso contínuo e constante da tecnologia digital. Mas dor de cabeça, olhos cansados, vermelhos e secos, além de visão embaçada, são sintomas que estão presentes na chamada “Síndrome da visão de Computador” que, por definição, seria o resultado do uso contínuo e constante do computador, levando ao cansaço visual. Esse cansaço é resultado da tensão a que os olhos são submetidos para conseguir foco e poder enxergar, com excelente definição, imagens formadas a partir de pontos minúsculos na tela (pixels). Uma informação interessante é a de que o número de piscadas de olho cai de 10% a 30% durante o trabalho visual, principalmente em frente a tela do computador. Quando lemos um livro ou interagimos com celulares ou tablets, olhamos para baixo e não em frente. Com isso a fenda palpebral diminui, levando a menor exposição da superfície ocular, e consequente menor evaporação da lágrima. Uma pausa de 5 a 10 minutos para cada hora de trabalho seria suficiente para minimizar o desconforto causado pelo piscar incompleto, ou mesmo pela diminuição da frequência do piscar. Lembre-se também que quanto menor for a tela do dispositivo eletrônico, maior o esforço que os olhos fazem para ver com detalhe, para focalizar letras, números e caracteres. A curta distância de leitura exige mais trabalho da musculatura ocular, e o cansaço visual sobrevém mais rapidamente. Você sabia que ao utilizarmos cada vez mais e mais cedo, a tecnologia de que dispomos hoje (computadores, celulares, tablets, etc) estamos antecipando sintomas decorrentes dessa falta de competência sensório-motora? Hoje é muito maior o número de crianças que são levadas ao oftalmologista com queixa de dor de cabeça, lacrimejamento, ardência e vermelhidão dos olhos.”

TM >>> Poluição e secura do ar contribuem, de alguma forma, para a falta de saúde da visão?

As variações climáticas (com diminuição da umidade relativa do ar além de vento constante) assim como a poluição ambiental (áreas industriais, grandes queimadas), a calefação e fumaça de cigarro em locais fechados induzem ou agravam o olho seco. O ar seco, o frio e a poluição, juntos, dobram a incidência de olho seco no inverno em comparação aos meses mais quentes do ano. A concentração de poluentes no ar, além de aumentar a evaporação da lágrima, pode por si só causar irritação ocular levando à piora da qualidade do filme lacrimal. Ardência ou queimação, sensação de areia nos olhos, visão turva, dificuldade de fixar os olhos na leitura e/ou no computador, dificuldade de tolerar ambientes com ar condicionado, muito frios ou secos, fotofobia e cansaço visual, podem ser sintomas de olhos secos. Algumas dicas para reduzir os sintomas de olho seco:

-Usar lágrima artificial prescrita pelo seu oftalmologista;

-Beber mais água;

-Usar umidificadores de ambiente;

-Evitar ar condicionado e ventiladores;

-Usar óculos com ou sem proteção lateral, mesmo sem grau, para reduzir a exposição do olho e retardar a evaporação da lagrima;

-Aumentar a ingesta de ômega 3 via alimento (linhaça, óleo de fígado de bacalhau, peixes como atum e salmão) ou sob a forma de suplementos, sempre sob a supervisão de um médico e de um nutricionista.”

TM >>> De acordo com o senso comum, há um mal que aflige muitas pessoas, a chamada “vista cansada”. Que problema é esse?

Podemos ser míopes, hipermetropes e/ou astigmatas. Mas, uma vez corrigida a refração (grau), se não há nenhuma doença ocular, todos iremos enxergar bem. A correção do grau faz com que todos possamos ver de longe …e de perto… até a meia idade. Temos capacidade de “corrigir” a visão para distâncias mais curtas e o fazemos através do mecanismo de “acomodação” do olho. Esse mecanismo depende da lente que temos dentro do olho (cristalino) e do músculo ciliar ligado ao cristalino através de expansões filiformes que agem como as cordas que controlam uma marionete. É a capacidade de mudar de forma que permite ao cristalino focar objetos próximos. O “músculo ciliar” se contrai e modifica a forma da lente do olho (cristalino), tornando-o mais curvo e trazendo a imagem para o foco na retina. A capacidade funcional deste músculo diminui com a idade. O envelhecimento do olho traz consigo então a dificuldade de ver de perto. O leigo chama este processo de “vista cansada” e nós médicos de “presbiopia”. É o momento em que percebemos alguma dificuldade de ler na distância a que estávamos habituados. Procuramos ambientes mais iluminados para aumentar o contraste e vermos melhor. Tudo isso faz parte da fisiologia humana e costuma acontecer por volta dos 40 anos. Pode ser antecipado nos diabéticos ou nos indivíduos que são hipermetropes (em torno dos 35 anos). E alguns de nós podem chegar aos 48 ou 50 anos sem sentir necessidade de usar óculos de perto. A partir de um determinado momento vamos precisar de alguma estratégia para voltar a ver com precisão de perto. Seja através de óculos, lentes de contato ou tratamento cirúrgico (ainda muito controverso sem estudos de longo prazo). Todas as formas de intervir na presbiopia têm suas limitações e temos que nos adequar a elas. Uma coisa é certa. Os sintomas de “vista cansada” poderão ser antecipados se utilizamos ansiolíticos, antidepressivos ou medicação que interfira com a qualidade do trabalho muscular. E quanto mais conseguimos nos adaptar a novas distâncias de leitura (não tão próximas quanto antes, mas ainda aceitáveis do ponto de vista estético e que proporcionem uma boa qualidade visual), estaremos lentificando o envelhecimento do músculo ciliar! Não custa lembrar que músculo precisa de exercício para se manter em forma. Mantenha-se proativo. Se não tem outros sintomas oculares exceto a alteração da distância de leitura, adapte-se à nova distância … enquanto der! “

SAUDE-OLHOS-VISAO-OFTALMOLOGIA

O senso comum até bem pouco tempo mostrava os óculos de sol como complemento estético e/ou alívio para o incômodo que a luz visível costuma causar a boa parte de nós, em maior ou menor intensidade (fotofobia). Não se via as lentes solares como uma necessidade. Não se falava em lentes com filtro UV nem fotossensíveis. Mas dados cada vez mais alarmantes têm mostrado que a intensidade da radiação UV que nos atinge hoje, independente da época do ano, é extremamente nociva aos nossos olhos. O significativo aumento na necessidade de intervir cada vez mais cedo para extrair o cristalino muito opaco (catarata), além do aumento da prevalência de degeneração macular relacionada à idade (DMRI) podem ser atribuídos a inadequação da proteção ocular em relação à radiação ultravioleta. As alterações ambientais têm tornado cada vez mais necessário que adotemos algumas rotinas de proteção para garantir qualidade de vida no envelhecimento. O olho da criança é bem mais vulnerável aos raios UV por que a lente (cristalino) ainda é muito transparente e não tem a capacidade de absorver UVA e UVB tanto quanto na idade adulta. Na mesma situação está o indivíduo que já operou catarata e não tem uma lente intraocular que absorva os raios UV. Estudos avaliaram que em média aos 18 anos, nós já teremos sido expostos à 80% da radiação calculada para o tempo de duração da vida do indivíduo! Os raios UVA e UVB são invisíveis aos olhos e portanto não causam incômodo perceptível a curto prazo, a não ser em exposições intensas e por tempo prolongado, quando acontecem as queimaduras oculares: crianças expostas ao reflexo do sol na areia branca da praia ou na neve são mais vulneráveis. A luz (espectro visível) incomoda o olho. As lentes escuras sem filtro UV podem ser confortáveis o suficiente mas não trarão a proteção necessária. Todos nós nos beneficiamos do uso de óculos solares, por conforto, mas indiscutivelmente é necessário que eles tenham proteção UV total para efetivamente significar prevenção das doenças degenerativas oculares induzidas ou aceleradas pela exposição a esses raios. O hábito do uso de lentes com filtro UV significa mais qualidade de vida no envelhecimento. Crianças, adolescentes e adultos, independentemente da idade, todos devemos fazer uso de proteção UV nos óculos, sejam eles de grau ou apenas solares, todos devem ter filtro UV. Tenha certeza de estar adquirindo um produto de qualidade. Se quiser aprender como se expor menos à radiação evitando os piores horários a cada dia e época do ano, pesquise índice UV da sua cidade no site www.weather.com. Lembre-se que mesmo em dias nublados a intensidade da radiação UV é nociva aos olhos. Portanto o uso de óculos com proteção não está indicado apenas no verão ou para ir à praia.”

SAUDE-OLHOS-VISAO-OFTALMOLOGIA[3]

Imagem: Behance

TM >>> Quais cuidados ou boas práticas contribuem para a saúde dos olhos?

Em linhas gerais, os cuidados que devemos ter para manter a saúde dos olhos incluem:

-Check-ups oftalmológicos anuais;

-Uso regular de óculos escuros com filtro UV (de preferência com proteção lateral);

-Alimentação balanceada para garantir a nutrição celular adequada à manutenção da qualidade visual retardando assim o processo de envelhecimento ocular;

-Evitar o sedentarismo;

-Evitar o fumo;

-Manter hábitos que garantam um sono de boa qualidade;

-Controle clinico para evitar doenças degenerativas que pioram a qualidade visual, como a aterosclerose, a hipertensão arterial e o diabetes mellitus, p.ex. Vocês devem estar se perguntando se não errei ao listar os últimos cinco itens da lista. O que eles poderiam ter a ver com a visão, podem estar imaginando…Na verdade, quase todos os médicos, seja de qual for a especialidade, acabam dando as mesmas orientações que são sinônimo de saúde a longo prazo. Diagnóstico precoce é o que se faz nos consultórios, através de bom relacionamento médico-paciente, escuta atenta às queixas e exames complementares, quando necessário. Esse é o momento em que os médicos buscam diagnosticar as distorções do funcionamento ideal da máquina humana e minimizar os danos potenciais das doenças em curso. Mas a prevenção cabe a nós, indivíduos, conscientes que já estamos da necessidade de tomar providências que mantenham em bom funcionamento o nosso organismo. A saúde não se vende. É moeda de troca. Exige algum esforço mas a recompensa sempre vem na forma de qualidade de vida e de envelhecimento saudável. Longevidade com saúde. E em relação aos olhos não é diferente! Portanto, uma boa alimentação é necessária à manutenção da visão, assim como o exercício físico (principalmente o aeróbio, no caso dos olhos) por conta da necessidade de garantir um bom fluxo de sangue e oxigênio ao cérebro (onde se processa a visão) e aos olhos (onde se captam as imagens a serem processadas). Os raios ultravioleta aceleram o envelhecimento dos olhos. Portanto, o uso de proteção através de óculos com bom filtro UV é mandatório! O hábito de fumar é um grande inimigo da visão. Eu poderia listar várias patologias oculares que têm na nicotina e no alcatrão vilões que pioram (e muito) o dano celular a médio e longo prazos. Quanto ao sono, costumo dizer que é durante a noite, quando dormimos, que recuperamos os múltiplos danos celulares que acontecem no dia a dia. Um sono de qualidade nos permite reparar as falhas e quase “zerar” o organismo para um novo dia de agressões inevitáveis. Dormir mal (e pouco) significa acumular danos e antecipar doenças. Em resumo, a prevenção (e controle) da doença ocular degenerativa crônica (seja ela a catarata, o glaucoma, a DMRI e outras) está diretamente ligada à prevenção e controle das doenças sistêmicas mais prevalentes em nosso meio. A reeducação alimentar, a eliminação do sedentarismo e a modificação dos valores básicos do “modus vivendi” atual são necessárias para uma mudança real no cenário da saúde (em geral e dos olhos também!). E não podemos esquecer de que quanto mais medicação usamos (seja para o que for) maior a frequência de efeitos colaterais, oftalmológicos inclusive. Não são poucos mas infelizmente são menos difundidos. Então quanto mais adoecemos, mais remédios usamos e a tendência é acelerar os efeitos negativos da interação dos medicamentos entre si e com os órgãos, incluindo os olhos. Em outras palavras, todos os dias nós podemos, sem nos darmos conta, estar antecipando ou contribuindo para desacelerar o processo de envelhecimento natural do organismo. É mais fácil (e mais inteligente) manter a saúde do que cuidar da doença, vocês não concordam? Não devemos procurar o oftalmologista apenas quando existem queixas visuais, ou simplesmente precisamos trocar os óculos… Envelhecer enxergando bem…esse é o objetivo de todos nós e o compromisso de todo oftalmologista com cada indivíduo sob seus cuidados!”

SAUDE-OLHOS-VISAO-OFTALMOLOGIA-ELIZABETH NAVARRETE

A Dra. Elizabeth Navarrete faz um trabalho incrível na blogosfera, bonita! Se você não conhece, mas é dessas mulheres que acham importante estar bem informada para ter boa saúde e cuidar bem de sua família, não deixe de conferir o espaço da Dra. Em seu blog, que você acessa clicando aqui, ela costuma responder as dúvidas dos leitores sobre saúde ocular. Cada pergunta pode virar um post! Além do mais, você ainda pode encontrá-la em duas páginas no Facebook: Oftalmologia para leigos e Dúvidas em Oftalmologia. Curta e informe-se!!!

ASSINE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *