Início » Corpo » Saúde » Cálcio, fibras, probióticos, ômega-3: quanto mais, melhor?

Cálcio, fibras, probióticos, ômega-3: quanto mais, melhor?

Basta dar uma volta nas gôndolas dos mercados e a gente perceber uma profusão de alimentos enriquecidos com esses itens: cálcio, fibras, probióticos e ômega-3. Será que esses alimentos turbinados são mesmo essenciais para nossa saúde? Eu, que tinha essa dúvida, não fiquei com ela.

 

Pois é, e se você também já se questionou sobre isso, a hora de tirar essas dúvidas é agora. Graças a consultoria dada ao Bicha Fêmea pela Nutricionista Ingrid Seiler Prior, nós vamos ficar sabendo se vale a pena mesmo colocar esses alimentos enriquecidos no carrinho do supermercado. Conhecimento é tudo, e a saúde agradece… pronta para ficar craque no assunto? Vem comigo!

Com a palavra, a especialista:

 

A alimentação ideal deveria conter todos os nutrientes que o ser humano necessita, e todas as pessoas deveriam ter acesso a uma alimentação equilibrada. Mas certos nutrientes nem sempre estão disponíveis para a população, ou nem todos podem ter acesso a eles. Portanto, pela fortificação de uso massivo, certos micronutrientes, como vitaminas e minerais, garante-se a sua ingestão adequada. Os alimentos que mais têm sido utilizados para a fortificação no mundo são: farinha de trigo, açúcar e leite (ferro e vitamina A), manteiga (vitamina A) e sal (iodo).”

 

Bicha Fêmea > É comum vermos pães, biscoitos ou torradas enriquecidos com fibras. Afinal, porque elas são tão importantes?

 

As fibras são substâncias que apesar de presentes nos alimentos, não são absorvidas, ou seja, não vão para a corrente sanguínea. Porém, são essenciais para o bom funcionamento do intestino, além de diminuir o açúcar do sangue e reduzir os níveis de colesterol. Alguns estudos inclusive têm demonstrado os benefícios das fibras na prevenção e tratamento de doenças como a obesidade e o câncer de cólon. A ingestão insuficiente de fibras está relacionada a algumas doenças como as afecções do cólon, constipação e doenças sistêmicas (diabetes, hiperlipidemia, doença cardiovascular e obesidade). O seu consumo diário beneficia o trato gastrintestinal por estimular a mastigação prolongada e a produção de saliva, por retardar o esvaziamento gástrico e aumentar a saciedade, a velocidade do transito intestinal, o peso e a maciez das fezes, o que leva ao aumento da freqüência das evacuações.”

 

ALIMENTOS ENRIQUECIDOS-NUTRIÇÃO-ALIMENTAÇÃO

 

Bicha Fêmea > Quanto aos iogurtes com probióticos, no que eles são diferentes dos comuns?

 

Para ser produzido, o iogurte passa por um processo de fermentação láctica, que nada mais é do que um processo de conservação de alimentos, a fim de que o leite tenha um prazo de validade maior. Para que isso aconteça, utiliza-se uma bactéria do bem chamada de Lactobacillus, um probiótico. Essa substância além de modular as funções fisiológicas intestinais, melhora a imunidade, aumenta a resistência a infecções, auxilia na prevenção de diabetes, além de prevenir o câncer intestinal. A diferença é que algumas marcas de iogurte adicionam em sua composição o Bifidobacterium Animallis, mais conhecido como DanRegularis.”

 

Bicha Fêmea > O cálcio é bom para os ossos e vemos no supermercado alimentos lácteos enriquecidos com a substância. Vale a pena investir nesses alimentos, mesmo que não sejamos crianças ou idosas?

 

Uma alimentação rica em cálcio é importante em todas as faixas etárias para manter nossa saúde óssea em dia, porém os produtos enriquecidos com o mineral foram formulados para os indivíduos que possuem intolerância à lactose, doença intestinal na qual o organismo não consegue digerir o açúcar do leite, causando uma diarréia aguda, entre outros sintomas. O cálcio dos seus alimentos-fonte, como o leite e derivados, são muito melhor absorvidos pelo organismo. Então, se você não for intolerante à lactose, invista em alimentos ricos em cálcio.”

 

CÁPSULAS-CÁLCIO-ÔMEGA-3-NUTRIÇÃO-ALIMENTAÇÃO

 

 

Bicha Fêmea > Há margarinas e pães enriquecidos com ômega-3 disponíveis no mercado. Consumí-los é imprescindível para a saúde? E, ainda, quanto ás capsulas que têm esses nutrientes, é válido consumí-las em detrimento dos alimentos enriquecidos?

 

Assim como o cálcio, o ômega-3 é melhor aproveitado pelo organismo quando consumido através de seus alimentos-fonte: peixes de água fria como a sardinha, atum e salmão, a chia, linhaça e as oleaginosas, como as nozes e castanhas. Dentre os benefícios do ômega-3 estão a diminuição das taxas de colesterol e triglicérides no sangue, prevenindo assim as doenças cardiovasculares, auxilio na circulação sanguínea, além da nutrição cerebral e memória.”

 

Ingrid Seiler Prior - Nutricionista

 

Bonita, a Dra. Ingrid também é blogueira, sabia? Pois é… se você é daquelas bichas fêmeas navegantes que amam estar bem informadas sobre saúde e bem-estar, pode passar a acompanhar suas atualizações em seu blog clicando bem aqui. Além do mais, dá para acompanhar ainda mais dicas da Dra. IngridpeloFacebook, através de sua fanpage. Vai perder?

Imagens: free images

 

Redes Sociais

 

 

 

BICHA FEMEA FACEBOOK

2 comentários sobre “Cálcio, fibras, probióticos, ômega-3: quanto mais, melhor?”

  1. Milena comentou:

    Lidi,olha eu aqui dando pitacos.
    Como sabe,tenho um menino de 2 anos e 10 meses,o que não sabe é que ele é APLV,ou seja,alérgico a proteína do leite,no seu caso:a caseína.
    Devido a esse fato,tenho pesquisado muito,estudado,ido para a cozinha com uma missão,além de alimentar:a de nutrir e preservar a saúde e a vida do meu pequeno,já que alergia mata!
    Hoje em dia digo,quanto menos industrializado melhor.É o meu lema!!Dá mais trabalho,vou a feira duas vezes por semana,mas tenho visto como comemos mal,tem muito alimento enriquecido pois ele foi totalmente empobrecido:o açúcar branco(veneno dos tempos modernos),o sal refinado,a farinha branca…
    Não quero ser “advogada do diabo”,mas não acredito nas “benfeitorias”dos industrializados!!
    Um beijão,

  2. Léia Cook comentou:

    Adorei, direto e bem explicativo…obrigada…bjsss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *