Início » Comportamento Infantil » Dificuldade de criar hábitos de alimentação saudável nas crianças?

Dificuldade de criar hábitos de alimentação saudável nas crianças?

Você não é a única, pode acreditar. Muitas mães já passaram por isso e há uma, em especial, que pediu ajuda ´pra gente, mães reais como ela. Recebi a sugestão de pauta da Maria Izabel, que na verdade é um pedido de ajuda. Suas crianças até comiam bem quando pequetitas, mas agora… tsc tsc tsc…

Esse blog tem leitoras superultramega colaborativas que, oh: é uma verdadeira equipe de socorro. Meu orgulho! Pedi ajuda dessas mulheres chegadas num trololó e o resultado, espia, são muitas dicas, sugestões e partilhas de experiências. Confere!

O pedido:

 

Eu tenho uma menina de 08 anos e um menino de 05 anos. Menina, está uma dificuldade para fazê-los criar hábitos dealimentação saudável! E olha que quando menores, comiam carne, frutas, verduras, legumes, etc. Agora… Não. Nada disto mais! Ficaram super seletivos!  O menino não gosta de carne de jeito nenhum (come apenas aqueles empanadinhos de frango da Turma da Mônica). E por mais que eu procure dicas, que faça incentivos, está difícil convencê-los! Hoje por exemplo, fiz de tudo para que comessem couve no almoço (rs,rs,rs)…. Nenhum dos dois comeram!!!

 

Com a palavra, as leitoras queridas…

 

Tem um livro que fala de alimentação saudável infantil, de como convencê-los, como por exemplo criar “desenhos” com a comida, de forma a tornar atraente a comida pra criança…

 

Guia-Descomplicado-da-Alimentacao-Infantil

 

…Guia descomplicado da alimentação infantil é do site da Abril. Bjs” Bruna Letícia | Moranguinhu e Make

 

Oi, Lidi, tudo bem?! Acho que nesse caso o ideal é procurar uma nutricionista para dar dicas de substituição, e insistir na alimentação saudável, e não ceder às “chantagens emocionais ” Bj” Michele Figueiredo

 

Lidi, passo por isso desde sempre, minha primeira filha simplesmente só quer viver de leite com todinho, kkkk. A primeira coisa que me ajudou: desestressar um pouco. Ficar muito em cima dessa questão acaba transformando os momentos de refeição em momentos ainda mais tensos e chatos para eles. Segundo, é dar o exemplo e NÃO comprar porcaria. Em casa que tem comida, criança não passa fome. Pode não  ter o que eles gostariam: batata frita e refrigerante, mas tem comida. Uma hora ela foi se acostumando a comer coisas integrais, alguns legumes que não curtia antes… Mas já entendi que é dela mesmo. Ela é assim desde o início, desde as primeiras papinhas era uma luta, vejo isso claramente com meu segundo filho que papa tudo que eu dou pra ele comer, numa boa, e acha tudo delícia. Terceiro, é entender que criança tem fases. A fase de comer tudo passou, não passou? Então a fase chatinha vai passar também. A gente faz o que pode, mas não dá é pra obrigar os filhos a comerem e transformar cada momento da refeição em uma guerra, né? Às vezes só de parar de dar tanta atenção ao assunto já melhora bastante. Boa sorte para a mamãe e não se descabele tanto!” Juliana Stelli | Pitadinha

ALIMENTACAO-CRIANCA

 

Meu pequeno tem 4 anos e meio e até quase os 3 anos comia de tudo. De repente, uma mudança radical – agarrou na lingüiça com ovo… seis meses de sofrimento! Com quase quatro, consegui melhorar o cardápio, e agora, aos 4 ½, está na fase “nojinho” – se não vai com a cara da comida, não rola de jeito nenhum, e se forçar, pode até vomitar. Um belo dia, chegou da escola com a brincadeira “abre a boca e fecha os olhos” – e tive uma revelação! Preparei um caldo verde, e entrei na brincadeira, mandando abrir a boca e fechar os olhos. Comeu, adorou e repetiu! Também já fiz com caldo de feijão, que ele arrumou uma implicância gigantesca, se vir os grãos no prato, amarra a boca e não há Cristo que dê jeito. Com essa brincadeira, estou conseguindo ampliar o cardápio, e às vezes consigo que coma até mesmo couve! Mas acho que não tem muito pra onde fugir, sabe? São fases, e acho que variam de criança pra criança. Eu tinha nojo de macarrão com molho, e só comia o macarrão branquinho, sem nada, imagine só! Outra coisa que me ajuda é disfarçar os ingredientes no meio da comida. Pico bem as verduras, misturo bastante no caldo do feijão, amasso os legumes e misturo no arroz, e por aí vai. Um dia, passa, e eles vão se alimentar sem maiores frescuras…ehehehehCynthia Santos | Boutique do Açúcar

 

Oi, Lidi! Apesar de ter uma de 3 e um de 1 aninho, tive algumas “fases” onde a Amanda deixava de comer determinados alimentos. Ela sempre foi de comer de tudo, mas às vezes deixava de comer carne, ou qualquer outro alimento. Conversei muito com a nutricionista e pedagoga da escolinha onde ela estudava e elas me aconselharam a deixá-la participar de algumas “tarefas” enquanto eu fazia o almoço ou o jantar… Então, pedia pra ela pôr um pouco de sal no arroz, mexer a salada, beliscar a carne, ou qualquer outra coisa simples. E depois da mesa posta, eu pedia pra ela chamar o pai, o irmão, a avó, para comer a comida que ela havia ajudado a fazer… E ela se esbaldava de comer!!! 😀 Superfuncionou… 😀 Vamos ver se depois de grande isso ainda dará certo, né?!?! 😀 Bjocas” Carol Santana | Inspiração da Casa

 

ALIMENTACAO-CRIANCA[2]

 

Olha, Lidi, algumas coisas aqui em casa não tem acordo, tipo: se não comer um pouco de tudo que tem na mesa não come doce. Hoje em dia são grandinhos com 11, 10 e 19, não me dão trabalho, comem de tudo, mas mantenho uma rotina menos rígida. Não tem doce, bolacha, danone na hora que quer, não tem suco e refri na hora da refeição, só depois que come. Não é mais tão rígido, as vezes rola um lanche, não precisa comer uma grande quantidade do que não gosta muito, mas um pouco precisa sim. Infelizmente observo amigas que vão pro mais prático que é ceder, dexar a criança comer o que quer.Glaucia | Super Criativo by Glau

Imagens: stock.xchng

 

ASSINE!

6 comentários sobre “Dificuldade de criar hábitos de alimentação saudável nas crianças?”

  1. Marlene Casagrande Bortolin comentou:

    Adorei o post, obrigada, me ajudou muito!
    Bjoo

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Que bom, Marlene!
      É sempre muito gratificante saber da utilidade dos posts do Bicha Fêmea.
      Obrigada! =)

      Beijos,
      Lidi

  2. MARIA IZABEL comentou:

    Olá Lidi! Oi meninas!
    Primeiramente, gostaria de agradecer a contribuição e pronto atendimento da Lidi, após fazer esta sugestão de post, e ela correu atrás e dicas muito legais estão aí!

    Obrigada a todas colegas que contribuíram com suas dicas!

    Uma coisa é fato e uma amiga me disse uma vez: “Um dia eles crescem…!” E aí, tudo muda!!

    Nós “mães” temos mesmo tendência a esta preocupação excessiva com os filhos, pois queremos o melhor para eles!

    Mas como dica também para as outras mamães, criei um método de incentivo para as crianças que vem dando certo: toda vez que comem direitinho e principalmente quando experimentam um alimento novo ou que não gostam muito, eles ganham um ponto. Fiz uma tabelinha e tudo para controle… Quando completam 10 pontos, eles ganham um presentinho. Coisa simples, que que serve para motivá-los! Ambos já ganharam dois presentinhos!
    Mas na verdade, não devemos forçar! Acredito que aos poucos, eles irão desenvolver hábitos de alimentação mais saudáveis!

    Abraços e muito obrigada!

    Maria Izabel – Belo Horizonte

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Imagina, Maria!
      Não há por que agradecer. =)

      Beijos,
      Lidi

  3. Pingback: Você amamentou? Tenho uma pergunta para você sobre rachaduras.
  4. Trackback: Você amamentou? Tenho uma pergunta para você sobre rachaduras.
  5. Nilcéia Duclos comentou:

    Se é dificil ter hábito saudável na alimentação de casa,imagina no lanche da escola.
    Tenho uma filha de 7 anos e nesse quesito lanche de escola tenho muita dificuldade.
    Ela não gosta de sanduíche,quer comer biscoito recheado,batatas,salgadinhos artificiais…mas eu não deixo não.é uma dificuldade pra ter ideias pro lanche.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *