Início » Corpo » Saúde » Muito prazer, eu sou “os outros”!

Muito prazer, eu sou “os outros”!

Não é assim que todo mundo pensa e fala? Que doença só acontece com os outros? – Título e início do post te fisgaram pela forma como as palavras foram jogadas até você, ou seja, provocadoras ? Que bom… este post é para isso mesmo: te provocar!

 

Não adianta falar com você e repetir tantas vezes sobre a importância de se cuidar, de fazer o exame de mamografia e, assim, prevenir o câncer de mama, certo? Você acha que não vai acontecer… e você segue adiando o exame…tsc tsc tsc… já sei: é que ninguém de perto já passou por isso… mas, oh: isso não faz de você alguém imune, viu?


Imagem: Femama

 

O post continua te provocando? Que bom… isso é muito bom! Todo esse esforço de te deixar instigada é por uma causa justa, onde quem mais recebe benefícios é você. O Outubro Rosa 2012 está a todo vapor, buscando mobilizar mulheres como você sobre a importância de prevenir essa doença que mata tantas de nós, e pode perfeitamente ser contornada… mas é preciso agir!

 

Este ano eu trouxe duas mulheres batalhadoras na luta para vencer a doença, tudo isso a fim de te mostrar que para elas só foi possível estar aqui contando o que aconteceu porque elas se cuidaram. Elas são como você: reais, normais, suscetíveis a tudo nessa vida… pense nisso, coloque-se no lugar delas, e decida se vale a pena continuar assim… adiando a mamografia.

 

Muito prazer, eu sou “os outros”! Não é assim que todo mundo pensa e fala? Que doença só acontece com os outros?”

 

 

Meu nome é Lilian Carla Arguello Basqueira, 42 anos, moro em Guaíra, interior do Paraná. Sou Professora, casada, mãe de 4 lindos filhos, razões do meu viver, e descobri que tinha câncer há dois anos e meio. A primeira coisa que o médico me disse, quando em julho de 2009, viu minha mamografia, foi que eu era muito jovem pra ter câncer, que não precisava me preocupar, 3 meses depois comecei a sentir os primeiros sintomas, seio endurecido, pele avermelhada com aspecto de casca de laranja, mamilo retraído e os sintomas só agravaram nos seis meses seguintes. Lembro que a primeira coisa que pensei quando recebi o diagnóstico foi: vou morrer. O estigma de que câncer é sentença de morte ainda é muito forte, mas passado o susto inicial, o negócio é ir a luta, para vencer, para se curar, para ajudar a quebrar esse estigma. É o que tenho feito neste tempo. Tempos de batalhas árduas e dolorosas, mas pelo qual tento passar com dignidade, fé e levar com alegria. Porque não há coisa mais maravilhosa neste mundo do que abrir os olhos e ver que está viva! A vida toma outro sentido e eu agradeço a Deus, não pela doença, mas por ter passado por ela e ter crescido, melhorado, evoluído. E porque a batalha é árdua, quem é acometido pela doença, vira quase que instantaneamente, garoto propaganda da luta contra o Câncer. No caso do Câncer de Mama, estas ações se intensificam no Outubro Rosa, mês dedicado a conscientização da prevenção à doença. É inaceitável que muitas mulheres não façam o preventivo, o auto-exame ou mamografia, por medo de “achar alguma coisa”, “porque o exame dói”, “não tem tempo”, “porque quem procura acha”. Não fazer tais exames, ignorar que a doença existe, não protege ninguém de tê-la, pior, se houver demora no diagnóstico as conseqüências, as dores e as perdas serão bem maiores. Prevenção nestes casos é tudo e em caso positivo a porcentagem de cura é quase que 100%. Então, cuide-se, ame-se, proteja-se, e que me desculpem as campanhas governamentais, não espere ter 40 anos pra aderir as mamografias, cuide-se desde sempre, siga sua intuição, sane todas as suas dúvidas com o médico. Pra quem tem ou já teve câncer eu digo, não deixe o medo te dominar, não perca a fé e força, muita força nesta luta. Viva, viva a vida em toda sua plenitude e beleza. Não espere adoecer pra descobrir isso, e doente, não enterre seus dias na depressão e negativismo. Lilian Carla Arguello | Dos Nossos Limões!!!

 

Eu tive câncer com 51 anos de idade e não tenho nenhum caso na familia. O meu foi o primeiro… No meu auto exame eu não sentia nada… Mas eu resolvi fazer minha mamografia antes dos 12 meses (eu sempre fiz anualmente após os 40 anos) e assim descobri cedo e pude cuidar…”

 

 

Outra coisa… mamografia e ultrassonografia: um é o complemento do outro. É importante que se faça os dois. E caso alguém descubra que tem câncer de mama, quero dizer que é ruim sim, mas com força, otimismo e alto astral dá pra enfrentar e tirar de letra. Se eu consegui, todas conseguem. Nunca, jamais, desanime por um diagnóstico ruim. Ao invés disso lute com garra e fé.” Margaret | Margaretss

 

Imagem: Stock.xchng

 

Pois é… essas mulheres lindas e corajosas deram o recado delas, e com conhecimento de causa. Qualquer tentativa minha de te alertar para a importância do assunto fica menor diante da experiência pessoal dessas bichas fêmeas navegantes.

O que me resta é permanecer na esperança de que esse post tenha cumprido o seu propósito e que você se sinta motivada a procurar já, ou o mais rápido possível, uma forma de realizar a mamografia. Agora é com você… só com você!

 

 

Redes Sociais

 

 

Vamos manter contato?

E-mail: bichafemea@trololodemulher.com.br

17 comentários sobre “Muito prazer, eu sou “os outros”!”

  1. Carol Santana comentou:

    Lidi,
    Tem toda razão… Prevenção não custa nada perto de tratamentos, né não?!
    Bjocas com saudades!

  2. dani garlet comentou:

    Lidi,
    Obrigada por “me atender” e publicar algo tão importante !!!!!
    :)))

    Beijos,
    Dani

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Imagina, Dani!
      Por nada! =)

      :*
      Lidi

  3. Marlene Casagrande Bortolin comentou:

    Eu faço exames anualmente, afinal ja passei dos 40 e minha sogrinha e incentivadora tbem faz seus exames com regularidade. Ano passado, ao passar pelos exames e não constatando nada, graças a Deus, ela se adiantou e pediu para que o médico ampliasse um pouquinho a area examinada na ultrassonografia e acabou descobrindo um nódulo no pescoço, ou seja, um câncer linfático.
    O susto, a tristeza, o medo e tudo mais vieram no pacote “doente”. Hoje, 1 ano após, ela segue sua vidinha normal, sem tratamento, apenas com o rigor do acompanhamendo médico, afinal o nódulo é tão pequeno, mas tão pequeno que ainda não existe tratamento, só não pode descuidar.
    E vamos vivendo a vida, um dia de cada vez, sendo felizes!!!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Nossa! Como tua sogra é disciplinada e atenta!
      Um exemplo!

      Depois que eu parir e voltar a fazer exames femininos de rotina, penso em começar a fazer mamografia.
      Tudo bem que estou com 34 agora, mas a gente hoje em dia escuta falar de mulheres que tiveram o câncer antes do 40.
      Já tentei com minha antiga gineco, mas ela relutou, disse que eu tava muito nova a tals.

      Agora que estou com outra, ainda não toquei no assunto porque não chegou o momento de fazer esse tipo de exame.
      Vou aguardar as cenas dos próximos capítulos. =)

      :*
      Lidi

  4. Margaret comentou:

    Parabens Lidi e obrigada.
    É importante que isto seja um assunto recorrente. Ainda existem pessoas que tem medo da mamografia….
    Vamos divulgar e alertar sempre.
    beijinhos

  5. maria das graças moraes comentou:

    Parabéns pela força, pela conquista e por distribuir FORÇA, através deste seu trabalho.

  6. Le comentou:

    Parabéns pelo post, Lidi.
    Muito, muito importante que divulguemos, que as mulheres, sejam de qualidade for, se conscientizem!
    Estou já há 13 meses em tratamento pós mastectomia e, como disse a Lilian, já virei “garota propaganda da luta contra o Câncer”.
    Não precisamos ter medo; precisamos é fazer os exames!

  7. Cely Aquino comentou:

    Já fiz a minha esse ano! Não dá mais pra facilitar com o câncer de mama. Bichas fêmeas navegantes, já pro médico!!!

    P.S. Parabéns pra você Lidi, que mesmo não atuando na área, também é professora. Beijão!!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Pois é, né Cely?
      Não “estou” professora, mas sou… rsrsrsrs…
      Obrigada! Parabéns para você também. 😉

      Beijos,
      Lidi

  8. chica comentou:

    Acompanho sempre o blog da Lilian e ontem conheci a Margaret. Adorei ver as duas aqui e suas histórias.Guerreiras, fortes, falando de um tema que nem todos querem falar. Muito legal ! Beijos pra todas e tudo de bom! chica

  9. Maria comentou:

    Olá Lidiane.
    Este assunto interessante e devemos todas(os) ter em conta.
    Todos os anos, desde os 23 anos, e este não foi exceção, que faço os exames habituais da mama.
    Depois dos 45, o médico manda-me fazer a mamografia e ecografia mamária, assim como o exame Papanicolau.
    Felizmente, nunca tive nada que me preocupasse, mas a minha mãe e os meus dois irmãos mais velhos, que faleceram, tiveram câncro do útero, mama, e faringe, respetivamente.
    A minha irmã conseguiu lutar 14 anos.
    Por este motivo, estou atenta a sinais estranhos, e não prescindo dos meus exames periódicos.
    Um bom post e vou “roubar a sua imagem e divulgá-la no meu blog.
    Parabéns pela sua dedicação a estes assuntos tão delicados.
    Beijinho

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Obrigada, Maria, por colocar mais um ele nessa corrente de informação e levar o tema para o seu blog também. =)

      Beijos,
      Lidi

  10. irleyse comentou:

    Amei a iniciativa, tentei fazer algo no meu blog mas nao deu em nada peninha!
    Como tô tratando de um cancer de mama sei como é essencial se ter informaçoes.
    bj e parabens

  11. Carol comentou:

    Oi, Lidi!!
    Que bonito você abrir seu espaço para tratarmos de um assunto tão sério que é o câncer. Parabéns às nossas vencedoras, que não desistiram de si e lutaram com força e fé !
    Também tive câncer ano passado, o meu no intestino. Passei por cirurgia, tratamento, e hoje estou 100%, uma pessoa de bem com a vida, feliz e confiante em Deus. O importante é ao receber o diagnóstico, não entrar em desespero, manter a calma e a confiança de que tudo vai passar e que tudo dará certo, conforme a vontade de nosso Pai Maior.
    Fique com Ele!!
    Beijinhos!!!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Nossa, Carol!
      Você é tão novinha e já passou por esse tipo de câncer?
      Que barra!
      Fico feliz em saber que está tudo bem. =)
      Beijos,
      Lidi

  12. lenita comentou:

    Te apoio nessa luta Lidi Essa doença é silenciosa e é só mesmo com os exames que se pode descobrir ainda no início para que o tratamento tenha sucesso.
    Eu também já tive menbros da família que batalharam com essa doença e vale a pena lembrar que o sofrimento não é só para quem tem a doença mas afeta toda a família ao redor também sofre junto.

    Parabéns.

    Bjão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *