Início » Comportamento » Você é feliz com as escolhas que fez para sua vida?

Você é feliz com as escolhas que fez para sua vida?

Muito se fala sobre o que é ser feliz, não é verdade? A impressão que tenho é que há uma infinidade de definições para o que vem a ser a felicidade. De qualquer forma, quando temos a sensação de que a vivenciamos em nossas vidas, a gente sente como se estivesse mais forte para enfrentar qualquer problema.

 

Você acredita que o que te deixa feliz é fruto das escolhas que você fez na vida? Há mulheres que pensam assim, e exercitam a alegria de viver no dia a dia, com suas escolhas que até podem ter implicado em algumas renúncias, mas que permitem que elas experimentem o que é sentir-se feliz de verdade.

Será que é possível ser feliz quando se abre mão de certas coisas? É sim, bonita! Mas isso depende do que você entende por felicidade. Uma coisa é estar feliz, outra bem diferente é ser feliz. “Estar feliz é conseqüência de adquirir algo que se deseja (um novo namorado, um emprego, uma casa, etc.) Ser feliz é um estado interno. É estar em paz consigo mesmo, e também com os outros. É ter os estados físico, emocional e psíquico sadios. Para isso o auto conhecimento é fundamental. Saber do que eu sou capaz, quais os meus limites, os meus potenciais e as minhas fraquezas, me ajudará a ser mais segura e autoconfiante, deixando de ser marionete do meio onde vivo”, explica a Psicanalista Clínica Geisa Machado, editora do blog A Força e a Beleza de Ser Mulher.

 

Existem pessoas que nascem com certos traços de personalidade que acabam favorecendo o estado de felicidade, porque elas aprendem ao longo da vida a lidar melhor com as situações que se apresentam. Sim! Os problemas existem também para quem é feliz… por que não existiriam? Um dos problemas atuais é que se vende muito a imagem de que se está tudo bem, e nem sempre é assim. A diferença é que quem sabe driblar as dificuldades desenvolveu um tipo de comportamento chamado de resiliência, o que favorece, sim, a sensação de felicidade. “Resilientes são pessoas que sofrem grandes pressões, e/ou adversidades, as enfrentam e voltam ao seu estado normal, sem conseqüências físicas ou mentais. Algumas nascem com este traço, outras são favorecidas pelo ambiente em que vivem”, explica Geisa. Quem não aprende ou desenvolve esse comportamento, acaba tendo o conceito de felicidade alterado. É o que acontece, por exemplo, com as mulheres perfeccionistas: “ a mulher perfeccionista é feliz enquanto está no controle da situação. É claro, que com o passar do tempo ela vai se tornando cada vez mais tensa e, com isso, prejudicando o seu bem estar físico e emocional”, esclarece a Psicanalista.

 

Até que ponto a autoestima interfere na felicidade de uma mulher?

 

“Não existe uma fórmula para a felicidade, mas a autoestima é a base de tudo. Quem a possui se sente confiante para realizar qualquer tarefa que a vida lhe apresente.  No caso das mulheres, pelas humilhações que sofreram no decorrer de milhares de anos, eu penso que elas vêm buscando adquirir esta autoestima. Serem capazes de tomar decisões e fazer as próprias escolhas é um grande passo para esta conquista, mas isso não quer dizer que já estão totalmente resolvidas.”

 

Como bem explicou a Geisa, não existe a fórmula da felicidade. A verdade é que cada uma de nós sente isso de forma diferente, porque ela é totalmente subjetiva. E se isso está intimamente ligado ás ecolhas que fazemos na vida, que sigamos nossos rumos cumprindo os papeis que definimos para a gente mesma, não é verdade?

 

Sendo assim,  veja os exemplos de duas bichas fêmeas navegantes que são felizes com as escolhas que fizeram, e inspire-se nelas para definir o que é importante para você hoje… pense e, quem sabe, mude!

 

 

Eu escolhi ser professora meio por acaso, minha mãe me ” obrigou” a fazer o magistério com o argumento muito convincente de que dando aula eu teria dinheiro para fazer a  faculdade dos meus sonhos que era Propaganda e Marketing. Durante o curso eu tive uma professora M A R A V I L H O S A e graças a ela eu me apaixonei pela educação e as possibilidades de fazer a diferença no mundo que temos nessa profissão. Sou feliz com a área que escolhi, adoro o contato com as crianças e com elas me renovo todo dia. Tenho verdadeira paixão pelas trocas que tenho com as crianças e enorme satisfação de ver a evolução de todos e o brilho nos olhinhos quando descobrem que aprender é bom! Mesmo na Coordenação  procuro estar presente na vidinha deles e de minhas professoras.” Gláucia de Oliveira | Super Criativo

 

Meu desejo de ser contadora de histórias nasceu ainda quando morava em Recife. Mas foi efetivamente quando eu me mudei para São Paulo que dei continuidade ao meu sonho. Conheci o trabalho da associação que faço parte mais de perto e meu desejo só aumentou. Foi uma forma que eu encontrei de tirar o foco de mim. Eu precisava mudar! Eu estava inquieta com tudo que estava ao meu redor.  Precisava tirar o foco de minha doença. Eu precisava renascer! E assim foi. Descobri em mim uma Contadora de Histórias. Hoje, quando conto histórias, nem lembro da minha coluna! É um momento único. E o mais importante, eu me divirto. É puro prazer! A cada visita ao hospital, abrigos, creches, onde for… A cada criança, adulto, a cada história… É mágico! É um momento único que vivo. É permitir que todos (as crianças e eu) viajem nas emoções, nos personagens. Torcermos pelos personagens. Para que a princesa encontre seu príncipe, sabe? É permitir que a história se integre nas mais diversas emoções e sentimentos de todos. Nesta troca, todos aprendem. Não apenas a criança que aprende a lutar com suas inseguranças, medos. Mas todos nós ganhamos. Afinal, quem não gosta de ouvir uma história bem narrada? Tem uma frase do Lewis Carrol (autor de Alice no país das maravilhas) que resume muito bem meu sentimento da minha escolha: “Contar uma História é dar um presente de Amor” Elaine Cunha | Caminhando e Contando

 

Imagens: stock.xchng

 

Mais no Bicha Fêmea…

 

Ansiedade bloguística: você sente isso?

Você já viveu um amor louco… um louco amor?

Você é confiante?

A idade certa de ter filhos…

Por que será que queremos ser sempre heroínas?

 

Navegando no Bicha Fêmea – Início > Bem Viver> Comportamento

Junte-se aos + de 1.000 seguidores do Bicha Fêmea no Twitter. Corre! | @bichafemea

26 comentários sobre “Você é feliz com as escolhas que fez para sua vida?”

  1. Carina comentou:

    Oi Lidi! Lindo o seu post!

    Apesar de às vezes me questionar sobre as minhas escolhas, graças a Deus sou muito feliz e realizada com o frutos colhidos a partir delas!

    Um beijo!

  2. Elaine Cunha comentou:

    Lidi,

    Ontem numa consulta médica, ouvi da médica uma frase que (após reflexão com meus botões) é bem verdadeira.

    “Eu acredito que o Câncer é um presente”

    Estranhou? Na hora eu também. Mas quem depois de uma experiência como esta não muda? Muda o foco de sua vida?

    Eu não tive câncer, mas minha coluna me deu de presente um novo jeito de ver a vida. De ser feliz!

    Gostei do post! Obrigada, viu?! 😉
    beijos,
    Laine

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Laine!
      Sabe que quando li o seu comentário eu compreendi?
      Talvez não fosse lógico se não tivesse publicado este post (http://www.bichafemea.com/2010/08/23/cancer-de-mama/) que a Ana Paula Tardido escreveu para o Bicha Fêmea. Ele é lindo de viver, e ilustra bem o que você comentou. 🙂

      :*
      Lidi

      1. Elaine Cunha comentou:

        Lidi, bom dia!

        Quando eu vi este post da Ana Paula pela primeira vez, eu chorei de emoção!

        Ela é mais forte do que ela possa imaginar ser!
        beijos,
        Laine

  3. Candida comentou:

    Oi Lidi!
    Que presente esse post!!! Amei!
    Me fez refletir bastante.
    De fato acredito sim que somos frutos de nossas escolhas. Não gosto de me queixar de nada, se não está legal, se não estou feliz, tenho que pensar em mudar para ficar bem. Se a felicidade é fruto de nossas escolhas, o que é felicidade para um não é para o outro. Assim como as dimensões dessa felicidade, uma mesma coisa tem proporções diferentes de felicidade entre pessoas distintas, exatamente pelas escolhas que ela representa para vida de cada um.
    OBRIGADA POR ME FAZER REFLETIR ISSO HOJE! ESTAVA PRECISANDO.
    Beijos com carinho.

  4. Janice comentou:

    Oi Lidi,
    tudo bem com você?
    Fiz muitas escolhas na minha vida…umas por que quis….outras fui levada pela vida…mas, a verdade é que não sei se sou ou estou feliz…
    Dúvidas e tristezas tem me perseguido e me feito pensar sobre o que devo fazer e realmente não sei…
    Beijo:)
    Janice

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Janice!
      Comigo está tudo bem, sim.
      Mas, pelo seu comentário, percebo que contigo não é bem o mesmo…
      Lamento pelo que possa estar ocorrendo, e só espero que você encontre uma forma de melhorar a situação.
      Beijos e beijos,
      Lidi

  5. Andreia Lica comentou:

    Lidi,

    Acredito que a felicidade é bem subjetiva, pois cada um a vê de forma diferente, para alguns é um carro luxuoso na garagem, para outros é o emprego dos sonhos, etc…
    Hoje, mesmo com muitas dificuldades na vida, posso dizer que sou feliz, pois tenho um marido amigo, companheiro e que me ajuda muito, tenho filhos lindos e com saúde, tenho um emprego que me ensina muito e me realiza, como também tenho dívidas, problemas, mas que ficam menores quando olho para o todo.

    Otimo post.

    Bjão

  6. Andreia Lica comentou:

    Verô…

    Tive o prazer de dar uma rápida passada na Mega artesanal…e acompanho o blog da Flavia, acho que o manual nada mais é do que o reconhecimento do trabalho dela.

    Bjão

    1. Andreia Lica comentou:

      Lidi, me desculpe…eu abri o blog da Verô logo depois do seu e não vi que estava na sua pagina para deixar o comentário,

      1. Lidiane Vasconcelos comentou:

        Ok, Andreia!
        Sem problemas. 🙂

        :*
        Lidi

  7. Vânia Pinho comentou:

    É Lidi…você nos colocou para refletir hoje heim???Bem, eu acho que nem sempre as escolhas que fazemos na vida nos deixa feliz, pois tem escolhas que são feitas porque é o que realmente queremos e outras escolhas a vidas nos impõe e as vezes não temos outra saida se não aceitar.Eu as vezes me pego pensando na minha vida e me sinto uma pessoa feliz, pois superei barreiras na minha vida com muita dignidade, tenho dois filhos ótimos e ajuizados e tenho um MARIDÃO com letra maiúscula.Mais por outro lado as vezes não me sinto feliz…ou seja eu sou feliz por ter a família que eu tenho porém não estou feliz, pois não estou no lugar que gostaria e por não estar fazendo o que gostaria profissionalmente.Mais a vida fez essa escolha para mim e eu estou abrindo mão de algumas coisas agora para no futuro ter minha filicidade por completo…sim, pois a felicidade está dentro de cada um de nós e para encontrá-la basta você estar de bem com a vida e acreditar que sua vida é única e só você à vive!

    Adorei este post!!

    bjsss

    Vânia Pinho
    http://www.casadebonecadecor.blogspot.com

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Vânia, antes de morar em Recife você dava aulas, não é?
      Não há como fazer no Recife o que você fazia antes?

      :*
      Lidi

  8. Vânia comentou:

    Bom dia,
    Gostei muito do seu post e das considerações da psicalista Geisa Machado. Gostaria de saber se a Sra. Geisa tem algum livro publicado, e se você poderia me informar quais os títulos.
    Muito grata.
    Vânia

  9. Joana comentou:

    Ei Lidi
    Na maioria das vezes sou feliz com as escolhas que fiz em minha vida, algumas , no entanto, me deixam inquieta e me fazem sempre questionar se acertei ou errei. Mas creio que isso faça parte da vida, do crescimento, do amadurecimento.
    Amei o post
    Beijinhos

  10. Beta comentou:

    Lidy acho que meu coment não entrou…
    Então vamos ver se consigo lembrar o que escrevi da primeira vez.
    Eu amo a minha vida!
    luto a cada minuto por ela.
    Por isso mesmo quando as coisas não vao bem eu tenho certeza que chegarei lá!

    Adorei os depoimentos.

    Vc é demais!
    bj

    beta

  11. Geisa Machado comentou:

    Oi Lidi!
    Muito boas as reflexões que as bichas fêmeas tiveram com este post. Refletir sobre nosso comportamento e atitudes é a melhor maneira para provocar mudanças nas questões que não vão bem na nossa vida.
    Se me permite, quero fazer alguns esclarecimentos sobre alguns comentários que li:
    – Toda escolha que fazemos leva a uma consequência. Talvez o que algumas pessoas colocaram por não se sentirem felizes com as suas escolhas, ou mesmo se sentindo felizes ainda há um incomodo, seja porque as consequências estão difíceis de serem administradas.
    – Ao se fazer uma escolha é necessário abrir mão de outra e muitas pessoas ficam insatisfeitas justamente por terem aberto mão de algo.
    – Quando dúvidas e tristezas aparecem existe um motivo para isso acontecer. No meio da aparente felicidade pode estar ocorrendo alguma coisa que não vai bem. Não adianta fingir que está tudo bem ou procurar algo para se sentir bem. É preciso se perguntar a respeito para descobrir a causa.
    Obrigada Vânia pelo seu comentário se referindo as minhas considerações. Respondendo a sua pergunta, no momento não tenho nenhum livro publicado, só textos escritos no meu blog. Tenho intenção de escrever um livro, mas por enquanto estou recolhendo material. Você pode enviar o seu email e assim que tiver a publicação entro em contato, ok?
    Bjusss

  12. lenita comentou:

    Oi Lidi

    Achei super interessante esse assunto pois acho que é incrível o fato de que todos têm uma história de vida para contar. Nossa…a minha história é longa, como a de muita gente é, onde comecei a minha vida, por onde passei e onde estou hoje… é exatamente aquele ditado: “a vida dá muitas voltas”… e dá mesmo. Gostei do assunto.

    Bjao

  13. Márcia comentou:

    Lidi,
    Esse assunto é muito interessante, e quando vi que tinha o dedinho da Geisa aqui não pude deixar de dar meu pitaco..rsrsrsrs..
    Tudo nessa vida tem dois lados…a felicidade pra mim é saber captar e utilizar o lado bom de cada acontecimento em nossa vida, seja ele profissional, emocional, familiar, enfim, ninguem disse que tudo seria fácil em nossas vidas…se não houvesse o lado mal das coisas como poderiamos ter liçoes nessa vida? como poderiamos ajudar a alguem que esta passando por algo que passamos tempo atrás e saimos fortalecidos dele? Eu sou e sempre me senti uma pessoa feliz… fui agraciada com esse dom mas isso não significa que não tive ou nao tenho momentos dificeis e tristes em minha vida. Quem não os tem? Cabe a cada um de nós decidir como quer viver a vida… eu escolhi buscar o equilibrio e a sensatez…e deu certo!!!
    Bjs pra você e pra Geisa….
    Marcia

  14. Katia Bonfadini comentou:

    Adorei esse post, Lidi! A participação da Geise com sua colocação sobre resiliência e perferccionismo foi ótima! Eu me considero uma pessoa feliz, minha família e meus amigos são a base da minha existência e temos muito amor uns pelos outros. Mas também me cobro demais e, se não faço as 2045 coisas que planejo para o dia, me sinto mal, percebo que não produzi o suficiente e isso gera muita ansiedade, além de desgastes físicos,que podem se manifestar na forma de estafa. Ótimo post pra refletir!!!!!Bjs!

  15. Ju Ramalho comentou:

    Oie Lidi!

    O slogan entre aspas do meu blog é esse ” você faz suas escolhas e elas fazem você”.

    Acredito muito nisso….porque vivemos o passado, o presente e o futuro de nossas escolhas, sejam elas construtivas ou apenas paliativas.

    Eu sou uma pessoa que vivo me deparando com escolhas, pessoais, profissionais.

    Mudei de estado, de cultura, amigos…e estou me redirecionando em minha profissão… sou pedagoga, socióloga e trabalho com coordenação escolar.

    Sempre tive uma vida de muitos afazeres… e nunca parei pra respirar ou me dar um help.

    Até que tive problemas de saude que resultaram em algumas cirurgias… depois disso comecei a diminuir o meu ritmo… e deixar de lado a neura de ser eficiente em tudo. Deixei meus cargos… e estou há 3 meses em casa me tratando….. foi a opção que tive que fazer… e depois de algumas depres pq eu nã ome via em casa… eu estou melhor e revivendo escolhas e estou feliz por elas…. ano que vem estarei em outra área… e mais feliz.

    Apenas porque me dei um tempo….escolhi ser eu em primeiro lugar.

    Beijos Lidi!

  16. Edna Sampaio comentou:

    Oi Lidiane!Este é um tema profundo q nos coloca a pensar na nossa vida.Como disse a Geisy anteriormente,qdo tudo está bem ,não nos preocupamos,mas qdo algo vai mal,aí vem a dúvida.Será q esse é o melhor caminho?Isso acontece e muito comigo.Há 12 anos larguei uma vida na cidade,onde fui nascida e criada para está ao lado de um grande AMOR ,na zona rural.Larguei meus sonhos pessoais para viver esse amor no qual tenho duas filhas lindas q amo muito,tenho uma vida tranquila e confortável,mas por enquanto não prossegui com os meus projetos pessoais e isso às vezes me incomoda.
    Qdo acontece tento ver sempre o lado bom da situação e de certa forma me tranquiliza,pois penso se for para ir embora sem ele eu prefiro ficar…
    Então fico buscando uma forma de viver feliz e agradecer a Deus por tudo q tenho e pela família linda q tanto amo e está ao meu lado.
    Quanto aos projetos pessoais ,fico com o sonho de um dia poder realizá-los ao lado dos q amo…
    Bjs!!!Bom final de semana!!!
    Já consegui arrumar o blog para os comentários,qdo puder dê uma passadinha lá.Ficarei feliz!!!

  17. teresa aparecida de aquino soranso comentou:

    Olá, Lidi!
    Adorei seu texto. Eu sou feliz. Com todas as minhas escolhas. E acho que sou assim pelo histórico de vida que tenho. Até os 20 anos eu tinha uma vida muito restrita por causa de uma doença cardíaca muito grave e minha família me protegia de tudo. Aos vinte, decidi operar. Até então, minha mãe era totalmente contrária, por ser uma cirurgia muito arriscada, mas qdo eu tinha 19, ela teve um AVC e ficou 21 anos na cama, sem falar e andar. Daí, decidi operar e desde então tenho uma vida normal. Isso mudou totalmente a minha vida. Tanto que já tive vários empregos concursados e qdo senti que não dava mais, pedi demissão. A vida é uma só, precisamos ser felizes, estar bem conosco. Afinal, ganhamos um presente, como não cuidar dele?
    Desde que não desrespeitemos ou machucamos outros, precisamos e devemos tomar decisões. E isso é muito difícil para a maioria das pessoas. Um grande beijo

  18. Louh Marques comentou:

    Bom dia, “bonita”!!!
    Bem, desde menina minha escolha foi a música. Sempre batalhei prá realizar esse sonho e ainda tô na luta. Minha vida era só isso até que engravidei… É lógico que muita coisa mudou, mas com isso percebi o quão importante foi e é dar espaço para as tantas outras coisas que curto na vida. Minha pequena é tudo de bom e tudo o que chegou prá mim, junto com ela eu amo porque, abriu minha mente e minha percepção. Ela até me ajuda na escolha do guarda-roupa dos meus shows!!! Felicidade é um exercício de conquista que se tem de estar disposta a práticar todos os dias, é nisto que eu acredito.
    Eu sou muito feliz!
    Rockiss!!!

  19. Milena Pontes comentou:

    Lidiane!

    Acho que na fase em que me encontro, com todas as mudanças que ocorreram em minha vida, ler esse post me fez muito bem 🙂
    Gostei DEMAIS!

    Xêro!
    Milena
    http://www.caracoisdemilena.com

  20. Pingback: Sozinhez…
  21. Trackback: Sozinhez…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *