Início » Comportamento » Uma bicha fêmea por outra: Tatiana

Uma bicha fêmea por outra: Tatiana

Ela é paulista, tem 34 anos, é casada e blogueira de corpo e alma…e panelas. Sim, Tatiana é dona de um blog onde as receitas reinam absolutas e faceiras, mas são daquelas (felizmente) aplicáveis na casa das mortais.

 

Seu blog, o Panelaterapia, poderia ser só mais um em meio a tantos outros por aí que nascem para publicar receitas. Seria… se sua alma não estivesse nele. Está aí o diferencial quando se bloga com excelência.

Tatiana tem se mostrado um verdadeiro talento para conduzir um blog, e quem entra no seu espaço virtual percebe logo de cara que o Panelaterapia há muito tempo deixou de ser algo amador. Ao contrário do que se pensa, blogar pode ser muito mais que um hobby, e essa moça talentosa já começou a experimentar as doçuras que a profissionalização dessa atividade trouxe para sua vida.

É preciso que se diga, contudo, que não são só as doçuras que surgem na vida de uma blogueira quando o seu blog decola, muito pelo contrário. Os problemas também existem e a Tatiana já percebeu quais estratégias são as melhores para lidar com isso tudo.

A boa notícia é que quem quer aprender com ela tem essa chance agora porque, em entrevista para o Bicha Fêmea, essa bonitona revela sua inteligência e sagacidade para um monte de situações bloguísticas… e mais do que isso: descortina muito de si para a gente em alguns outros aspectos de sua vida.

Desconfio que, como eu, você vai se enxergar em muitas de suas falas e constatar que ela consegue dar voz a muito do que se passa no teu coração. Duvida? Confere aí… e delicie-se!

 

Sobre ela mesma …

 

No seu perfil publicado no blog, dentre tantas características pessoais, há uma que destaco: você odeia gente que quer tirar vantagem. Recentemente você publicou um post onde parecia bastante chateada porque as pessoas pedem para que você as ensine a fazer o seu trabalho ligado a produção de papelaria personalizada, cuja vitrine está no blog Seu Papel. No seu íntimo, de acordo com o que está no post, você tem uma vontade enorme de dizer: “amiga, eu ralo p/ caramba p/ aprender tudo sozinha, e por mais que eu goste de dividir conhecimento, tudo tem um limite, né não?“. Você acha que as pessoas desvalorizam o trabalho do blogueiro e nem pensam em pagar por isso?

 

Os blogs surgiram com a finalidade de serem um diário virtual. Com o passar dos anos eles acabaram adquirindo diversos formatos e o respeito dos leitores. Hoje são uma fonte bastante expressiva dos mais diversos tipos de informações (moda, gastronomia, tecnologia, decoração, etc.). Porém ainda existe uma certa resistência em enxergar que um blog para sobreviver e se destacar nesse universo competitivo precisa ter qualidade e isso exige do autor tempo, dedicação, aprimoramento, dinheiro, entre outras coisas. Não consigo entender o preconceito em tornar esse espaço comercial. Acho muito justo ser remunerado por algo que é um trabalho como outro qualquer e sim, embora os blogs estejam ganhando cada vez mais espaço e respeito, as pessoas possuem sim uma tendência a desvalorizar esse trabalho.”

Você admite, também no seu perfil, que tem o dom de causar polêmicas, mas parece que recentemente você se esquivou de causar mais uma, quando no post Maturidade Blogueira você escreveu: “O título do texto não tem muito a ver com o conteúdo, sacaram? kkkkkkk… é que escrevi um texto grande mas achei que ia levar muita “paulada” na cabeça e desisti… tô tentando evitar as polêmicas que sempre fizeram parte dessa minha pessoa atordoada!”. Você acha que esse tipo de decisão, a de evitar polêmicas, é uma postura que revela maturidade?

Pois é, eu já “bati” muito a cabeça por comprar causas, levantar bandeiras e realmente a maturidade além de nos trazer mais calma nos faz ter menos “saco” para lenga lenga, entende? Eu venho tentando sim ser mais neutra em minhas declarações, não por falta de convicções mas por ter a percepção de que muitas vezes o silêncio é mais benéfico.”

Eu já contei p/ vocês que no ano passado parei de trabalhar em horário comercial e fiquei só com minhas aulas (que dou no período noturno). Isso me possibilitou dedicação integral ao blog, e faço tudo com muito amor e seriedade. O Panelaterapia me dá o trabalho de um emprego.”  Você disse isso no post Noção, meu povo! Noção! . Você está mais realizada com ele hoje do que se estivesse em um emprego dito “formal”?

 

Eu recebo muitos convites para atuar na área de RH, e ainda faço trabalhos extras nesta área, mas um belo dia olhei pro céu e falei (com Deus): “De hoje em diante eu não vou fazer mais nada por dinheiro, só por prazer e se o Sr. não quiser que eu passe fome (e tenho certeza que não quer) é bom mexer os seus pauzinhos para que as coisas mudem na minha vida porque a minha parte eu vou fazer”. E desde então estou aqui, muito mais pobre, é fato, mas muito mais feliz! Foi uma escolha, abri mão do conforto material, me adaptei à nova situação e hoje estou bem! Ralo p/ caramba, dou meus pulos, quando a coisa aperta pego um “freelas” mas me viro!”

No post Prazer: Eu! você mostra 3 fotos sua, de rosto. O post é uma tentativa, bem tímida, de se mostrar um pouco mais. Esse é um comportamento bem diferente do que se vê pela blogosfera, quando blogueiras mostram fotos de suas casas e seus filhos, além de vídeos e tudo o mais. O que te impede de se mostrar mais?

Não há nada que me impeça, é só uma questão de escolha. Eu tenho um blog de comida não um blog do “look do dia”. E também sou uma pessoa reservada, gosto da minha privacidade. Participo de alguns eventos que sou convidada mas sei quais são meus pontos fortes e fracos. Recusei convite para um programa de culinária da TV Gazeta, recusei gravar alguns vídeos de receitas porque não é minha praia. Cada um tem seus talentos e sei quais são os meus. Não sou vaidosa e o blog não tem a finalidade de me promover, apenas de promover meu lado “cozinheira”, sendo assim não vejo finalidade para me expor.”

Em Janeiro de 2010, prestes a completar 33 anos, você desabafou: “sinto a pressão do relógio biológico, não tenho filhos, não tenho condições de tê-los pelo menos este ano, nem se quer tenho certeza se os quero! Mas tenho o tempo como inimigo, correndo e me lembrando que aos 35 é arriscado, que acima do peso é arriscado, que o primeiro filho é arriscado, que por filhos num mundo como esse é arriscado!”. Essa pressão é só interna, ou as pessoas te cobram esse filho?

Existe uma cobrança moderada das pessoas, do tipo “e o neném quando chega?”. Mas não é nada muito agressivo. Nem minha família me cobra. Meu marido partilha da mesma indecisão, mas nós dois chegamos à conclusão que não estamos preparados e se isso no futuro tiver um preço, vamos pagar. Além do mais a adoção é uma opção bastante viável para nós.”

Sobre a blogosfera…

O Dilema dos Comentários foi um post onde você fala de sua inquietação por não comentar muito nos blogs por aí afora pela falta de identificação com alguns posts, e isso se torna mais grave quando a dona do blog visitado literalmente PEDIU uma visita. Você é muito cobrada por seus leitores quanto a não comentar em seus blogs?

Acho que com a popularidade essa cobrança é natural. Não sinto como algo negativo, mas como carinho. Tenho que dar a cara a tapa porque quando criei o blog eu criticava os blogueiros que nunca visitavam outros blogs. Mas hoje é impossível visitar a todos que passam pelo “Panela”, felizmente são cerca de 6,5 mil visitas por dia! Para agravar ainda temos um número assustador de blogs que surgem todos os dias, sem contar esse dilema de visitar por identificação ou obrigação, mas realmente hoje me falta mesmo tempo.”

Outra coisa que preciso “desabafar” é que tem blogueiros (pelamordideus isso não é recado, me refiro à vários casos, ok?) que quando fica um pouquinho mais “pop” deixa de visitar os outros blogs. Já repararam? E tem aqueles que dizem:“são muitos comentários e muitos e-mails, não tenho como responder a todos”. Mas p/ ficar o dia todo no twitter tem tempo, né? O dia que eu não puder mais visitar os blogs amigos (mesmo que com menor freqüência porque a minha lista tá mega-aumentando) e responder os e-mails, esse blog não tem mais razão de existir. Monólogo é tãaao chato né não?” Isso foi dito em Janeiro de 2010 no post Salada de assuntos . Alguma coisa mudou desde então?

No mês de janeiro de 2010 o Panelaterapia teve exatamente 12.982 visitas (segundo o google analytics). Nos últimos 30 dias o Panelaterapia teve 151.701 visitas. Tenho que dar a cara p/ bater. Quando escrevi o post não imaginava que chegaria à este ponto (desejava, mas não imaginava que chegaria a ter 7 mil visitas em um dia).Isso torna impossível comentar em todos os blogs, mesmo assim tem aqueles que visito todos os dias porque sou leitora de vários deles.”

Sobre o blog…

Não há dúvidas, numa visita que se faça com mais cuidado ao seu blog, de que o PANELATERAPIA é um sucesso no nicho no qual ele está inserido. O que há de melhor nisso tudo?

 

Sem dúvida o carinho das pessoas. Escolhi não compartilhar momentos tristes da minha vida no Panelaterapia, raramente falo das perdas, das dores, mas mesmo assim abro minha caixa de e-mails e sempre tem um carinho. Sempre tem alguém agradecendo por algo. Fico muito surpresa porque no fundo eu sou apenas uma pessoa que posta receitas. Ontem mesmo tive uma notícia muito triste de doença na família, estava sem vontade de postar, de trabalhar, mas abri meu e-mail (porque também leio os comentários do blog por lá) e a energia mudou na hora! Isso não tem preço!”

Ter formação em Psicologia e Pós-Graduação em Gestão de Pessoas contou algum ponto a favor na gestão do blog no tocante ao relacionamento com leitores, clientes, etc?

O fato de ter experiências com o mundo corporativo, com a linguagem profissional das empresas ajudou mais na relação com clientes do que minha formação em si. Com os leitores eu acho que independente da minha formação procuro agir com sinceridade sempre.”

Tatiana, só no trololó…

Corro de um blog quando… só copia e cola ou só tem futilidades.
Taí! Uma blogueira me conquista quandofuça o blog todo para encontrar os pontos mais polêmicos e elabora uma entrevista muito inteligente rs..rs..rs…
Blog dos bons tem que… ser atualizado sempre.
O que mais me encanta na blogosfera éa diversidade. Não gostou? Com um clique você cai fora e procura outro.

 

Mais no Bicha Fêmea…

 

Uma bicha fêmea por outra: Juliana Stelli

Uma bicha fêmea por outra: Rejane Batista

Uma bicha fêmea por outra: Larissa Lieders

Uma bicha fêmea por outra: Veronica Kraemer

Uma bicha fêmea por outra: Katia Bonfadini

 

Receba todo dia, como centenas de leitoras, o Bicha Fêmea no e-mail. | Assine. É grátis!

Junte-se aos + de 1.000 seguidores do Bicha Fêmea no Twitter. Corre! | @bichafemea

Entre na grande rede de amigos do Bicha Fêmea no Orkut. Atualize-se! | Adicione!

Conheça o Mercado de Artes, a loja virtual do blog Bicha Fêmea. | É por aqui, basta clicar!

26 comentários sobre “Uma bicha fêmea por outra: Tatiana”

  1. Marlene Casagrande comentou:

    Adorei a entrevista e a entrevistada!
    Perguntas inteligentes e respostas sinceras.
    Parabéns!!!

  2. Carina comentou:

    Oi Lidi!

    Adorei a entrevista, muito bem conduzida! 🙂
    Gosto muito do Panelaterapia, também…. Mas, como comecei uma dieta na segunda, estou fugindo um pouco dessas delícias! Parabéns!

    Beijos

  3. Andreia Lica comentou:

    Lidi, adoro o Panelaterapia, adorei a participação da Tati.

    Feliz dia do Amigo!

    Bjos

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Feliz dia do amigo, Andreia! 🙂

      :*
      Lidi

  4. Cláudia Ramalho comentou:

    Lidi, a cada dia, minha admiração por seu jeito profissional de blogar só aumenta. Adorei a entrevista e a entrevistada, que já conhecia há algum tempo e cujo blog é um daqueles que acompanho de perto.
    Perguntas inteligentíssimas!!!
    BJ

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Ai, meu Pai!
      Obrigada, Cláudia! 🙂

      :*
      Lidi

  5. Dayanny comentou:

    Oi!
    Muito bom ver a Tati por aqui, ela é ótima não é?
    Excelente a escolha de perguntas, adorei! Parabéns.
    Abraço

  6. Janaína Martha comentou:

    Não conhecia seu blog, mas adorei essa entrevista. Muito bem elaborada, e com uma excelente pesquisa da entrevistada! Parabéns!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Janaína!
      Seja bem vinda ao Bicha Fêmea! 🙂

      :*
      Lidi

  7. Jussara Gehrke comentou:

    Lidi,

    não só a escolha da entrevistada é boa como a entrevista é ótima! um prazer ler!

    beijinho
    Juju

  8. Elaine Cunha comentou:

    Lidi, que entrevista maravilhosa!

    Como é bom vir aqui no Bicha e ter sempre conteúdo com conteúdo!

    Parabéns, Lidi!
    Obrigada a Tatiana pela entrevista super sincera!

    beijos,
    Elaine Cunha

  9. Nadine (Arapiraca/AL) comentou:

    Descobri por acaso o Blog Panelaterapia e desde então, tds os dias e muitas vzs até mais de uma vez ao dia, visito e simplismnt adooooro tudo o q a Tatiana faz e divide com tds nós!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Bem vinda ao Bicha Fêmea, Nadine!

      Beijos,
      Lidi

  10. Niura comentou:

    Olá! Adorei a entrevista, sou seguidora do Panelaterapia adoro as suas receitas, todas as que eu fiz ficaram muito gostosas e foram fáceis de fazer!!!! Conhecer um pouco mais da Tatiana foi bem legal.
    bjs
    Niura

  11. JO DE OLIVEIRA comentou:

    Adorei a entrevista , a Tati é mesmo uma blogueira zelosa e pé no chão, parabéns !!

  12. Simone comentou:

    Oi Lidi, não conhecia o Paneloterapia e nem O papel (gostei mais desse blog do que do outro, pois não sou amiga de receitas), e tão pouco conhecia a Blogueira… Gostei da possibilidade de conhecer mais uma blogueira que zela pela qualidade de seu blog. Parabéns para vc e para a Tatiana e desejo MUITO sucesso e, principalmente, alegria na vida de vcs. Grande beijo Si

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Pois é, Simone, o espaço “Uma bicha fêmea por outra” é justamente para apresentar blogueiras bacanas. Como faço isso somente uma vez por mês, trago somente gente bem bacana, a exemplo da Tati. Fico contente de saber que você gostou. Sobre não gostar de blog de receitas, sabe que eles também não eram muito a minha praia no início? É que eu nunca gostei de cozinhar, achava que nunca conseguiria. Mas aí eu fui conhecendo blogs legais com receitas fáceis, e fui aprendendo a perder um pouquinho do medo. Hoje tenho até um livro de receitas. É um só, mas é um início… 😀

      Beijos,
      Lidi

  13. vera ribeiro comentou:

    Amei a entrevista. Curto a Tatiana já há algum tempo e gosto de tudo o que ela publica.Parabéns..
    PS: atravez dela agora conheci vcs…..kkkkkkk….bjs

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Vera!
      Você chegou ao Bicha Fêmea pelo blog da Tati?
      Então seja muito bem vinda! 🙂

      :*
      Lidi

  14. Danieli comentou:

    Eu a-d-o-r-o a Tati! Começamos nossos blogs no mesmo mês e ano, e por isso, durante o início, nos visitávamos praticamente todos os dias hehehe. O tempo passou e tanto eu quanto ela já não temos mais o mesmo tempo de estarmos sempre nos visitando, mas minha idéia sobre ela ainda não mudou: a “muié” é profissional, tem mãos de fada e uma criatividade fora do comum! Que o Panelaterapia tenha ainda muitos anos de existência, dá de 10 a 0 em muito blog “pop” que tem por aí.

  15. Cozinha Perfumada comentou:

    Que legal essa entrevista com a Tati! Sempre visito o blog dela e o seu! Adoro suas perguntas e adorei saber um pouco mais sobre a Tati! Parabéns pelas perguntas e adorei as respostas super sinceras!! Beijos Tereza

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Tereza!
      Seja muito bem vinda ao Bicha Fêmea, e obrigada pelo seu carinho no comentário. 🙂

      :*
      Lidi

  16. Nadja comentou:

    Vou lá conhecer o blog, parabéns pela entrevista.
    bjs

  17. Lívia Carolina comentou:

    Eu sigo o Panelaterapia e adoro!
    Prá mim, é um dos melhores blogs de culinária (acredito que foi o primeiro que conheci neste seguimento)

    Parabéns à Tatiana pelo blog que UMA DELÍCIA e parabéns à Lidi pela entrevista!

    Bjão prás 2!!!

  18. Pingback: Uma bicha fêmea por outra: Luci Cardinelli
  19. Trackback: Uma bicha fêmea por outra: Luci Cardinelli
  20. Pingback: Estilos de vida e de blogar: cada bicha fêmea com o seu!
  21. Trackback: Estilos de vida e de blogar: cada bicha fêmea com o seu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *