Início » Comportamento » Você já viveu um amor louco… um louco amor?

Você já viveu um amor louco… um louco amor?

Para muitas mulheres a experiência com relação ao amor passou longe da ideia de romantismo, e muito mais próximo do que seria uma loucura de amor. A verdade é que nem sempre a teoria romântica corresponde a realidade de muitas delas, e se isso soa familiar para você, sorria… você não é a única!

Há quem tenha vivido histórias que viraram a vida de ponta cabeça, e depois o amor acabou como um vendaval que passou e deixou rastros. Em outros casos, o amor se reinventou, e deu o espaço para um recomeço…

O fato é que elas não desistiram da felicidade, não se deixaram abalar ou trancaram o coração, apesar de tudo o que viveram, mesmo com consequências que só as estimularam a desistir de amar.

Sabe  o que você vai ler a seguir? A história de duas mulheres que se dedicaram a companheiros que, de um jeito ou de outro, sacudiram suas vidas de tal maneira ao ponto de elas olharem para trás e se reconhecem como mulheres que já fizeram loucuras por amor.

Agora, recuperadas das consequências disso tudo, elas podem dizer que escreveram uma nova história. Isso tudo é para te estimular a acreditar que com você é possível também. Não duvide disso!

enquanto eu me desdobrava no hospital, cuidando do pai dele, ele me traia descaradamente com a  ex dele, e a mãe dele sabia!”

“Sempre fui racional em muitas coisas, mas no quesito sentimento, sempre fui um desastre…

Já abri mão de muitas coisas para ‘ajudar’ a quem eu amava. Sempre procurei estar por perto e ser companheira para tudo. Acho que uma das piores coisas que me aconteceu foi com uma pessoa que namorei quase um ano.

O pai dele teve um AVC. Eles moram em Maricá, longe de bons hospitais. Ele foi transferido para Niterói. Como eu sou daqui, e a família dele é pequena, quando ele foi transferido para o quarto, me desdobrei como filha e ficava dia sim, dia não para passar a noite no hospital. Foram noites terríveis! Ele não conseguia dormir e não me deixava dormir. Ele sofria muito e eu fazia de tudo para acalmá-lo. E todos os dias indo trabalhar morta de cansada. Ele recebeu alta.

Mas menos de um mês depois, no dia 25 de dezembro, precisou voltar ao hospital, pois seu intestino não funcionava há dias. Nesta mesma noite, ele se foi. Teve um ataque do coração bem na minha frente. Foi horrível… Como eu faria para que meu namorado e a mãe dele viessem, numa madrugada chuvosa de natal, para o hospital, sem contar por telefone que ele havia morrido?

Criei coragem, inventei uma história mirabolante de que ele havia voltado para a CTI. Mas tive que pedir para trazerem os documentos dele…

Quando eles chegaram, tive que encarar e contar para o filho e para a esposa que ele havia partido. Foi tudo forte demais e triste demais…

Um mês depois meu relacionamento não existia mais e eu sabia o porquê: enquanto eu me desdobrava no hospital, cuidando do pai dele, ele me traia descaradamente com a  ex dele, e a mãe dele sabia!

Enfim, não me arrependo do que fiz pelo pai dele. E sei que ele aprenderá com a vida. Muito tempo já passou… Não sei mais nada sobre ele, nem quero saber. Vida que segue. Mas foi terrível passar por isso…”  leitora anônima, 30 anos.


Imagem: stock.xchng

“tudo na minha vida se tornou automático, nada mais tinha sentido, a não ser o amor que eu sentia por ele que era muito grande…”

“Estava casada há doze anos e com um filho de 5 anos, mas por diversos problemas acabei me separando, deixando para trás uma vida de luxo e regalias e levei comigo apenas o que de mais importante tinha: meu filho. Devido às decepções, eu prometi pra mim mesma que nunca mais iria ter um outro relacionamento, pois estava muito machucada. Continuei minha vida, sendo que em muitos momentos me vi sem saída e com um filho pequeno quase passando fome, mas não desisti e fui a luta até conseguir me reerguer novamente. Muito bem, consegui.

Minha vida financeira ascendeu e eu pude novamente viver tranquila e em paz. Eu tinha uma escola de informática e quando fechava a escola eu sempre ficava na internet em um programa de amigos que eu adorava que na época chamava-se Firetalk…era minha distração… Lá no cantinho tinha uma pessoa que tinha como nickname Wheater man…sempre quietinho lá e de vez em quando dava noticias de como estava o tempo aqui em New Jersey, onde ele já morava há muitos anos. Um dia eu ia cantar uma música (adoro cantar) e não sei porque dediquei a ele essa música. Ele ficou muito feliz e a partir dai começou a me chamar sempre para conversar…

No início eu não pensava em nada e o tinha mesmo como um amigo virtual, mas com o tempo eu fui me interessando por ele, pois ele era muito gentil e gostava das coisas que eu gostava (cantar, dançar, viajar…) Passamos a nos comunicar por telefone, pois ele tinha filhos em São Paulo, onde eu morava, e eles iam na minha casa me pedir para eu namorar o pai deles…rsrsrrssrs. Então eu resolvi vir a New Jersey conhecê-lo pessoalmente…

Vim, e era pra acontecer mesmo, porque nós estávamos apaixonados de verdade. Fiquei em New Jersey com ele e alguns meses depois voltei ao Brasil para buscar meu filho e resolver as pendências que eu tinha deixado pra trás. Ele estava para se tornar cidadão americano e queria que eu entrasse na documetação para poder me legalizar aqui também e eu acabei concordando em me casar…

Eu realmente não queria me casar de novo, mas se eu não o fizesse eu perderia muitas vantagens que o documentado tem aqui nos EUA. Então numa terça-feira do mês de abril de 2002 nos casamos… Lá estava eu casada de novo, mas só que dessa vez muito…mas muito feliz mesmo…Eu estava feliz e realizada pois estava tendo a vida que sempre quis…viajando muito, dançando muito, enfim, estava agora com a vida que havia pedido a Deus.

Mas como nem tudo são alegrias, um certo dia eu estava trabalhando e recebi um telefonema dizendo que meu esposo tinha tido um acidente de trabalho muito grave e que estava no hospital. Sai como uma doida e até hoje não sei como consegui dirigir até o hospital. Meu esposo teve fraturas muito drásticas nas costas e acabou ficando com dificuldade para andar e, com isso, aquele homem alegre, destemido, corajoso, se tornou um homem triste, desmotivado pra vida e muito mal humorado. Acabou-se a alegria dentro do meu lar. Não se viam sorrisos e nem alegria pra nada. Eu, por consequência, me tornei uma mulher robô, ou seja, tudo na minha vida se tornou automático, nada mais tinha sentido, a não ser o amor que eu sentia por ele que era muito grande e isso me fez suportar tudo o que passei por durante quase seis anos.

Dois anos atrás o médico que cuida dele todos esses anos me ligou e me deu a noticia mais feliz da minha vida: ele poderia fazer uma cirurgia, recentemente descoberta (laser) que daria 89% de chances de meu esposo voltar a ter uma vida normal. Dia 4 de dezembro de 2009 levei meu esposo pra milagrosa cirurgia. Hoje, meu esposo está completamente CURADO!!!! Caminha normalmente sem sentir qualquer tipo de dor, o sorriso voltou ao rosto dele, a alegria voltou pra esse lar, e por isso eu resolvi escrever. O amor está no ar novamente, a alegria voltou a reinar e daqui há dois meses meu esposo estará liberado totalmente para podermos voltar a ter a nossa vida de antes: viagens, dança…muita dança…

E o mais importante: descobrimos que nesses quase 6 anos o amor só estava escondido debaixo das tristezas. Sacudimos, levantamos a poeira e o amor reapareceu com força total!!!!” Marcia [Vem desfrutar do amor de Deus], 48 anos

Mais no Trololó de Mulher…

Casamento duradouro: isto tem algum segredo?

Há vida após o casamento?

Quando a gente resolve se casar…

Casamento é parceria?

Do que a boa conversa pode fazer por um casal.

ASSINE!

17 comentários sobre “Você já viveu um amor louco… um louco amor?”

  1. Katia Bonfadini comentou:

    Oi, Lidi! Acho que nunca vivi um louco amor, mas uma louca paixão sim! Daquelas que nos consomem, que nos deixam com um friozinho na barriga, que nos fazem pensar na pessoa especial o dia todo e aproveitar qualquer oportunidade pra mencionar seu nome etc. No meu caso, essa paixão durou um ano e depois não se concretizou. Foi realmente algo passageiro, um encantamento, um deslumbramento… É mais ou menos o que acontece quando estamos apaixonados. Se a pessoa realmente se revelar interessante e valer a pena, acho que essa paixão se transforma naturalmente em amor, mas quando o fogo da paixão diminui e vemos a realidade do jeito que ela é, pode ser que percebamos que aquela pessoa não tem muito a ver com a gente e que nos apegamos a somente um aspecto que supria alguma carência. Um grande beijo pra vc!

  2. Katia Bonfadini comentou:

    Ah, com meu querido companheiro de quase 16 anos, vivo um amor “são” e já tivemos esse momento apaixonado também, mas que perdurou e se transformou em um sentimento mais pleno e poderoso! Beijos!

  3. Isis comentou:

    Lidi!!!
    Que história linda a segunda!!!
    Sinto muito pela amiga da primeira história!!!
    Torço pra que ela encontre o amor verdadeiro!!!

    Mil beijos!!!

  4. Marcia comentou:

    Lidi,
    Sabe, no meu caso foi uma loucura de amor que deu certo…também graças a paciencia né? Porque nós nos conheciamos apenas por telefone…nao sabia se no encontro pessoal ia ter a tal da “quimica” deu certo porque tinha que ser mesmo… e estamos muito felizes até hoje..
    Muito obrigada por colocar minha história aqui, pois eu fico muito feliz em poder compartilhar com as outras bichas fêmeas uma parte bonita de minha vida…
    Bjs carinhosos
    Marcia

  5. Maria comentou:

    Lindo exemplo de amor, força e esperança.

  6. dani comentou:

    Aiiiii li esse primeiro e já quis pular no pescoço desse cara!
    ahhhhhhhhh
    srrs

    🙂
    adorei, adoro histórias!
    Beijos

  7. Letícia comentou:

    Histórias muito emocionantes que pelo menos pra mim deixa uma lição, o amor nos torna pessoas melhores, mesmo que ele traga algum sofrimento.
    Muito legal a idéia desse post.
    Beijos,
    Lets

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Pois é, Lets.
      Há histórias e histórias… mas dá para tirar algo positivo de tudo nessa vida, né? No mínimo, a gente sai mais madura em meio ás atribulações. De um jeito ou de outro, as duas histórias ensinaram isso para a gente. Bom, que sirva de lição para todas nós. 🙂

      :*
      Lidi

  8. Lívia Carolina comentou:

    Ui!
    Que histórios! Deixam a gente de coração acelerado!

    Eu não vivi um louco amor, mas hoje vivo (tenho) um grande amor… Na verdade, já há 7 anos!!!

    Bjos

  9. lenita comentou:

    Nossa Lidi que estória de amor linda essa da Marcia acho até que ela deveria escrever um livro contando a vida dela, incrível como a vida da gente dá voltas e chega sempre onde nunca imaginamos que chegaria. Tem um livro que li com o título “Inteligent women, terrible choices” que diz que as mulheres inteligentes fazem péssimas escolhas com relação aos homens”, acho que vale também para as mulhres bonitas. Mas eu também já tive um amor proibido mas no final, após ler esse livro, chequei a conclusão de que eu merecia muito mais e melhor. Acho que a Marcia também chegou a essa conclusão quando se separou do primeiro marido, reconheceu que tinha valor.
    E nós temos que nos valorizar e não perder a auto-estima.
    Parabéns Marcia por ter dado a volta por cima afinal o seu sacrificio foi recompensado, E parabéns Lidi pelo tema escolhido,

    Lenita

  10. Coisas da Gigi comentou:

    Me emocionei com as histórias, já vivi tantos Loucos Amores, e vivo um até hoje com o Sr. dos Anéis, já se fazem 7 anos de um Louco Amor.

  11. Vânia Pinho comentou:

    Oi Lidi…Eu já vivi 2 histórias de amor, uma com meu ex marido,o qual fui casada 17 anos, ele foi para o jãpão e me deixou aqui para eu ir após 8 meses com meus 2 filhos,só q as coisas não foram bem assim…lá ele conheceu uma pessoa e eu segui minha vida aqui com meus dois filhos.Tempos depois conheci uma pessoa maravilhosa e pude viver uma outra história de amor….nos casamos e vivemos todos os dias uma linda história de amor.Minha vida virou de ponta cabeça….eu que era do interior do Rio de Janeiro…era pra estar no Japão…não fui…fui morar no Rio(CAPITAL) e atualmente moro a 3 meses no Recife, local q nem imaginava que um dia iria conhecer.Mais tudo está valendo mt à pena!!!! Isso é só um resuminho da munha história….ela é mt mais complexa…só eu que vivi…sei!!!

    bjsss
    Vânia Pinho
    http://www.casadebonecadecor.blogspot.com
    http://www.presentart.blogspot.com

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Nossa, Vania!
      Quanta mudança na vida de uma mulher só! 🙂
      Tentei me colocar no seu lugar, na sua história com seu primeiro marido. Não consegui, lógico! Deve ter sido muito, muito doloroso e sofrido passar pelo que você passou. Legal você dividir isso aqui, assim muitas mulheres que esteja passando por uma hostória louca e de certo modo sofrida, possam perceber que momentos bons ainda podem estar por vir. Sua história é ótima para a gente perceber isso. 🙂

      E agora você mora em Recife, é? Sabe que sou de daí… mas agora estou no interior de São Paulo… rsrsrsrsrsrsrsr… tomara que você se adapte rapidinho. 😉

      :*
      Lidi

  12. Simone Scharamm comentou:

    Oi, Lidi,
    Que histórias emocionantes!!!
    Quero dizer pra anônima que não desista! O amor chegará!
    Parabéns à Márcia, vitoriosa por não desistir de seus sonhos!
    Falar de amor é sempre bom, né, Lidi? Amei o post!
    Beijos pra você!

  13. beta comentou:

    É querida!
    Histórias profundas…
    Mas graças a Deus as feridas são feitas para cicatrizarem não é?

    Linda a história de amor!!

    bj

    beta

  14. Pingback: Um relacionamento tem mais chance de surgir se a gente não procura?
  15. Trackback: Um relacionamento tem mais chance de surgir se a gente não procura?
    1. Regiani comentou:

      Tenho 34 anos , tou no meu segundo casamento q já vivi momentos felizes e hj amargo tristeza devido ao vício d cocaína e o pior disso q o q me fez apaixonar por ele era o homem íncrivelmene intelignte q éle é … funcionário público federal d um renomado instituto d pesquisa nacional, pós-graduado, mais q foi burro ao se envolver com a cocaína. Mais estou externando tudo isso pra dizer q minha loucura d amor foi aos 18 anos q tive um namorado na época da escola técnica fui perdidamente louca por ele, até q ele entrou na marinha foi pra fortaleza e nos correspondíamos só por carta isso em 1999. dpois ele foi transferido pro rio d janeiro chegou a mandar a passagem pra eu ir pra lá, mais não tive coragem d ir. conclusão faz 13 anos isso, sei q o mais alto cargo da marinha é dle tava casado sempre teve uma vida e eu por não ter ído atrás da minha felicidade amargo pela segunda vez a infelicidade., pois estou no segundo casamento, ond meu marido passar a noite sabe-se lá ond cheirando cocaína, chegando d manhã, quando chega pois as vezes passa 2 dias na rua. me deixando em casa com um filho pequeno d 2 anos e ainda tou grávida d 6 meses, se eu tivesse tido coragem e ído atrás do meu grande amor naquela época, hje minha vida seria outra. porisso q dizem q a vida é feita d escolhas… EU FIZ A ERRADA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *