Início » Maternidade » Amamentar, um dom!

Amamentar, um dom!

Durante a gestação, nos preocupamos com tudo: chá de bebê, enxoval, o nome, as fotos, o dia do parto; mas o que é mais importante e nos esquecemos quase que por completo é da AMAMENTAÇÃO! Sim, nos esquecemos de preparar um momento tão especial, de nos precaver caso tenhamos alguns imprevistos.

Foi com esses imprevistos que eu me deparei, assim que cheguei em casa com a Sophia, cheia de expectativas, cheia de alegria; porém nem me passava pela cabeça que teria problemas para alimentar minha filha. Acreditem, é um pesadelo: você querer amamentar o seu filho e se deparar com um peito rachado, com a falta de leite…

Tive esses problemas e com muita paciência é que conseguimos solucioná-los: liguei para a Pediatra (meu 2º anjo da guarda agora… rsrsrs), ela me indicou alguns planos “A,B,C …e até plano Y”…  recorri a todos eles e venho dividir com vocês, para quem sabe poder evitar esse corre-corre ‘pra vocês e que fiquem apenas com a melhor parte do pós parto!

Para rachaduras no peito recorri a algumas pomadas (massê, bepantol, bico de silicone entre outros …) mas a que resolveu mesmo como num toque de mágica foi a Lansinoh, uma pomada que faz milagres e que realmente cicatriza as rachaduras no peito, o problema foi que até eu “chegar” nessa solução, começou a diminuir a produção de leite e então eu experimentei o desespero de querer amamentá-la e não poder. Minha GO me receitou o Equilid (só com receita médica), que aumenta a produção do leite, recorri também ao NAN pro 1 e chegou a um ponto em que eu podia alternar entre peito e mamadeira.

Essa é uma experiência que a gente nunca esquece: a fase de amamentar, de cuidar dos nossos pequenos…

…e por que será que insistimos em vestir o manto de Nsa. Senhora, e queremos ser perfeitas? Não nos permitimos errar, falhar … umas têm pouco leite, outras têm muito e não têm tempo, outras não têm o bico, outras o bebê não pega o bico…

O melhor a fazer é manter a calma e nos adaptarmos a nossa realidade, e ter consciência de que se fizemos o possível então somos mães de verdade, sem neuras nem culpa. Chorei muito até aprender isso tudo… rsrs

Uma das traduções para a palavra MÃE é essa: amamentar seu filho mesmo com o peito ferido. O melhor é que tudo não passa de uma fase e depois disso você fica com a melhor parte de ser mãe, curtir ao máximo o seu bebê!

Minha Sophia já está com dois meses e agora respiro aliviada, por vê-la saudável e feliz da vida.

Imagem: stock.xchng

 

 Analista Fiscal, mãe da Sophia (2 meses) e da Daniele (18 anos), Josi Sousa tem  o Blog “Mulher, mãe, esposa, profissional”, onde divide suas descobertas e anseios de toda mulher que sabe o quanto é dificil e prazeroso ao mesmo tempo ser: mãe, mulher, esposa e profissional.

Faça como a Josi, e envie conteúdo colaborativo para o Bicha Fêmea!

Mais no Bicha Fêmea…

Adoção, sim ou não?

Saúde no Bicha Fêmea: respirador bucal

Peripécias de uma mãe desesperada…

Bichas fêmeas em debate: filho de ecomãe, ecofilho é?

A educação dos homens e mulheres de amanhã…

Navegue no Bicha Fêmea: Início > Bem Viver > Vida com Estilo

Receba todo dia, como centenas de leitoras, o Bicha Fêmea no e-mail. | Assine. É grátis!

Junte-se aos + de 1.000 seguidores do Bicha Fêmea no Twitter. Corre! | @bichafemea

Entre na grande rede de amigos do Bicha Fêmea no Orkut. Atualize-se! | Adicione!

Conheça o Mercado de Artes, a loja virtual do blog Bicha Fêmea. | É por aqui, basta clicar!

 

18 comentários sobre “Amamentar, um dom!”

  1. Cibele Leite comentou:

    Lidi, passei pela mesma dificuldade, chorava, cheguei a morder travesseiro, para ter meu filho mamando, uma dor incrivel, ele se alimentava de pus, leite e sangue tudo misturado, meus mamilos estavam rachados, lutei durante 01 mês, mas venci, ele se tornou uma criança linda e muito saudavel, e eu me orgulho muito disso.
    Beijokas

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Pois é, Cibele…quando a Josi me enviou este texto para publicação no Bicha Fêmea, eu sabia que muitas bichas fêmeas navegantes iriam se identificar. Não sou mãe, mas sei do sofrimento de muitas no início ao tentar amamentar. Saber que outras passam ou passaram pelo mesmo problema deve dar alguma espécie de conforto, né?

      Beijos,
      Lidi

  2. Adriana Pimentel comentou:

    OI Lidi!!! este post foi para mim sabia!!!!

    Não te contei ainda mas estou grávida de 3 meses!! Isso mesmo!!! E adorei ler estas palavras… Pois quando a gente já sabe que tem um ser dentro de nós…. nossa! tudo muda!!!! E parece que as “nóias” de ser mulher aumentam. Aumentam no sentido da preocupação e do amor que já se torna incondicional mesmo sem termos sido formalmente apresentadas a esse serzinho que estamos gerando….

    è tudo novo e preocupante e ouvir outras experiências é confortante e encorajador!!

    Enorme beijo lindona!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Nossa, Adriana!
      Que notícia boa! 😀
      Parabéns, viu?
      Que você tenha uma gravidez tranquila e saudável, e que seu neném venha ao mundo bonito e saudável. 🙂

      Beijos,
      Lidi

    2. Josi comentou:

      Conte conosco Adriana, pois é um momento mágico e maravilhoso nos quais, dicas como essas são valiosissimas bjzzzzz

      1. Adriana Pimentel comentou:

        Oi Josi!!! Brigadão querida!!! estarei sempre aui para seguir os conselhos!!! Abraço!!!!!!

  3. Telma Maciel comentou:

    Lidi, eu tbm amamentei um tanto e meu peito direito rachou muito! Mas eu ia lá, amamentava e ria e chorava ao mesmo tempo! Colocava o prazer da união e de alimentar a Sofia acima da dor. Deu certo, ainda bem. Mas é incrível como ela preferia mamar no seio direito, cheio de leite, sangue e pus! Se dependesse dela, o esquerdo empedrava! kkkk
    Beijo!

    1. Josi comentou:

      è incrivel né Telma como encontramos forças nessas hora e como choramos e rimos ao mesmo tempo, só de olhar praquela carinha linda, dependendo de nós pra se alimentar é mágico !! Os bebês sempre preferem o peito que a mãe se sente mas confortável para amamentar é como se eles se sentissem mais seguros, amparados rsrs bjzzzz

  4. Renata Rossini comentou:

    Olá, delícia está matéria, PARABÉNS!
    Tenho dois filhos e amamentei os dois com peito rachado e tudo…jamais pensei em desistir por causa de um peito rachado, não doia quase nada rsrs aff……
    Meus dois filhos mamaram até 2 anos e 1/2 e acho um absurdo ouvir mães que falam que não vão amamentar pra não ficarem com os peitos caidos.
    Beijos e bom resto de semana.

  5. Steph comentou:

    Pois é ninguem pensa na hora da amamentação, alias até pensa, mas a maioria acha que o bebe nasce sabendo, ou a gente sabendo. Eu tive muita sorte no inicio, pois eu nao sabia nada de amamentação.
    Mas infelizmente nem sua pediatra soube te orientar direito.

    Dores ou rachaduras é sinal de pega errada. Uma ida ao banco de leite resolveria.
    Nao existe pouco leite se a mae amamenta em exclusivo, e nao existe remedio que aumente a produção de leite. Somente a propria sucção do bebe. Esse tipo de remedio so faz o leite já fabricado descer com facilidade.

    Mas que bom que deu tudo certo.
    Beeijo

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Steph!
      Bem vinda ao Bicha Fêmea!

      :*
      Lidi

  6. Deise comentou:

    Ninguém nos prepara para uma amamentação dolorida, mas a gente insiste, porque sabe que é o certo. Fui contra o pediatra, minha mãe e irmãs, e fiz a cabeça do marido pra ele ficar do meu lado (mesmo ele não acreditando em mim!). Senti as dores, junto com a frustração de não conseguir amamentar! Quando vi, não doia mais, não sangrava, e o leite descia bem! Amei quando ouvi de todos que fiz o certo, e que minha nenê estava forte e saudável porque eu insisti amamentar! Toda mulher deveria ser informada no pré natal como agir nessa fase. E saber que ela vai passar, mesmo sendo um pesadelo!

  7. marluce de vasconcelos comentou:

    querida, infelismente no pre natal escapa as orientações para o aleitamento , tais como banhos de sol nos seios e massagens com óleo, mas agora com a sofia com dois meses e claro deve estar sendo amamntada exclusivamente nos seios , e deve durar até os dois anos quando todos os dentinhso de leite estiverem erupcionados. O aleitamento materno é extremamente importante porque a sucção proporciona o correto desenvolvimento dos ossos da face e da mastigação, tmabém não dê alimento na mamadeira para a pequena Sofia pois ela pode desenvolver uma respiração bucal que é prejudicial ao seu saudável e desejável crescimento.
    um abraço

  8. Simone comentou:

    Oi Lidi. O sentimento de amamentar é inexplicável. Você poder alimentar aquela criaturinha tão fofa é um ato maravilhoso. A sensação é de estar no céu….
    Eu tenho um “defeito de fabricação” que, quando os bebês sugavam, as glândulas mamárias colabavam e doía pra caramba, mas pra tudo tem um jeito e eu tomei anti-inflamatórios durante todo o tempo que amamentei. Tive a orientação do ginecologista, pediatra e do mastologista. Demorou mas descobrimos o problema.
    E vivemos felizes para sempre.
    Beijos Simone

  9. Isabela Morais comentou:

    Lidi, me identifiquei mto com esse relato e resolvi compartilhar minha experiência.
    Eu amamentei Helena até os 6 meses de LME (leite materno exclusivo), nada de água, suco ou chá, depois dos 6 meses amamentei até 1 ano e 1 semana. Ai, ai, sinto falta até hj. Mas ñ foi nada fácil, eu só consegui manter a amamentação pq qdo ela nasceu teve q ficar 10 dias na maternidade e as enfermeiras me deram a maior força, meus peitos eram cheeeeios de leite, pq se eu tivesse ido p casa eu tinha me rendido ao LA (leite artificial). Meus peitos tbm inflamaram, ñ tinha pomada nenhuma q resolvesse, nem a concha p amamentação, a única coisa q resolveu foi passar um pouco de LM em volta dos mamilos e deixá-los no sol por 20 minutos por dia. Era um alívio, porém nunca sangraram ou tiveram pus. Nunca tive problema de falta de leite, teve um tempo q cismei q tava faltando leite e tomava 1 colher de tintura de algodoeiro, me lasquei, o leite ñ parava de jorrar. O meu problema foi mais a falta de apoio na amamentação, só Lu que me incentivava, nunca recebi um parabéns, pelo contrário a maioria me questionava ou ñ concordava em amamentar Helena só de LM. E olhe q o processo de amamentação ñ foi fácil p mim, pq Helena tem APLV (Alergia a proteína do Leite de Vaca) e alergia a soja, então ñ podia comer nada q tivesse leite ou derivados, ou seja, quase tudo, até o meu bolo e o pão q comia era encomendado. Foi um sufoco, 1 ano de dieta. Mas graças a Deus, hj Helena nunca teve uma doença mais séria, só uma gripezinha q ñ passa de espirros ou coriza, e isso eu devo à amamentação.
    Lidi eu sinto uma faaaalta de amamentar, de ver aquele olhinho dela olhando p mim, quase q agradecendo, é um momento sublime, é uma estabelece uma relação mto grande e um dos maiores prazeres da vida. E ñ é qualquer um q pode desfrutar disso, conheço pessoas q tiveram essa possibilidade, mas amamentaram pouco, pq a amamentação é um dom, pois vc fica mto dependente, ñ dá nem p ir no cabeleireiro (rsrsrsrs. Experiência própria).
    Foi ótimo compartilhar essa minha experiência com vcs, passarias horas falando sobre isso, mas já basta. Bjs.

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Achei o máximo tu ter compartilhado tua experiência no Bicha Fêmea, Isabela.
      Por mim, tu pode falar pelo cotovelos sempre que der vontade, porque isso enriquece o conteúdo do blog.
      Obrigada! 🙂

      :*
      Lidi

  10. Luciene comentou:

    Parabéns Isabela, achei lindo o comentario que escreveu, como tenho 21 anos sou bem nova, não sei e não saberia como lidar com isso.

    adorei tudo

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Luciene!
      Bem vinda ao Bicha Fêmea!

      :*
      Lidi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *