Início » Comportamento » Perfeccionismo e Obesidade

Perfeccionismo e Obesidade

Esse pode ser uns dos aspectos mais limitadores de qualquer processo de emagrecimento. Vejo frequentemente, tanto na clínica quanto em alguns blogs, a baixa tolerância que se tem a respeito das limitações a que estão expostas.

Dieta, regime, nada do que se intitula com esses nomes podem dar certo, porém tem vários locais propagando a fórmula mágica de perda de peso, quando já se tem claro que o caminho mais seguro e efetivo é a reeducação alimentar.

Afinal, o que significa reeducação alimentar? Vejam, nada mais é do que um processo onde se aprende algumas orientações nutricionais específicas, e se incorpora hábitos alimentares saudáveis. Porém, mesmo com uma enxurrada de informações a respeito do que é e como deve ser um processo de emagrecimento, vemos uma grande dificuldade das pessoas incorporarem um tratamento correto, onde se cuida tantos dos aspectos nutricionais como os emocionais, e aí entra como tema de hoje: o perfeccionismo.

As pessoas estabelecem regras rígidas de dietas, e quando saem da linha, acabam por “chutar o balde” e comem tudo aquilo que suas metas estabeleciam como proibidas. Como não seguiam uma reeducação alimentar real, esse erro acaba por gerar ciclos compulsivos, pois não conseguem lidar com a falha, entram naquela condição do “tudo ou nada, onde ou são perfeitos e seguem uma dieta, ou não são, e estão destinados ao fracasso total.

Será que podemos e conseguimos ser perfeitos? Por que não podemos errar, tropeçar, se somos humanos e temos limites? Onde se aprendeu que não se erra? O que na sua vida te fez pensar que errar é sinônimo de fracasso?

Vamos pensar e rever essas crenças, pois elas podem estar bloqueando um processo adequado de perda de peso.

Não somos perfeitos e não temos que ser…

Imagem: stock.xchng

Luciana Kotaka – Psicóloga Clínica

Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares

WWW.comportamentomagro.com.br

Quer ser uma bicha fêmea colaboradora? Então clique aqui e saiba como…

Quer ler mais sobre comportamento no processo de emagrecimento?

O peso ideal é aquele que se sente bem…

Expectativas reais, você tem?

Quer as novidades do Bicha Fêmea? Receba gratuitamente em seu e-mail!

10 comentários sobre “Perfeccionismo e Obesidade”

  1. Larissa Nascimento comentou:

    Quando engravidei cheguei a pesar 100kg, e enquanto estava consultando com uma nutricionista super restritiva não consegui dar nenhum passo para perder tantos kilos. A minha salvação foi um anjo na área da endocrinologia que me ensinou sem restrições drásticas, e dentro do meu dia a dia fazer as melhores escolhas (sem o uso de remédio ou fórmulas milagrosas). Hoje estou no meu peso ideal, tenho que fazer controle a cada 3 meses para não recuperar tudo de novo, é um dia após o outro. Não é fácil, pelo contrário, é muito difícil, mas o resultado vale muito a pena.

  2. Claudia Medeiros comentou:

    Menina, eu preciso urgentemente de uma reedeucação alimentar, não apenas para perder peso,mas pra melhorar minha saúde. Meu caso nem é tão serio, não como frituras, bebo muito pouco, evito gorduras, mas sou louca por doces e exagero, é a minha cachaça!rs

    Preciso tomar vergonha na cara e resolver isso. Adorei o post.

    beijos

  3. Pingback: Tweets that mention Perfeccionismo e obesidade -- Topsy.com
  4. Trackback: Tweets that mention Perfeccionismo e obesidade -- Topsy.com
  5. Michelle Lynn comentou:

    Outro dia estava lendo uma matéria sobre quebra de mitos na hora de perder peso. A matéria falava justamente, que quando o paciente perde peso mais rápido, sua autoestima aumenta, assim como, sua vontade de permanecer na dieta. Esta pesquisa ainda esta em fase de teste, daqui 3 anos teremos sua conclusão. Segue link (http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/100716/saude/su__cia_sa__de_obesidade).

    Acredito que a grande perda de peso deva ser para quem esta sofrendo com problemas de saúde, pois muitas mulheres gordinhas são felizes e imperfeitas, como todas nós.
    A perfeição também é uma doença e tem que ser encarada como tal. Percebemos o quanto tem crescido o número de cirurgias plásticas, o número de adolescentes em busca de ajudas psiquiátricas devido à bulimia e a anorexia. O número de pessoas que precisam fazer fisioterapia, pois ultrapassaram os limites de seu corpo, passando mais tempo que o recomendado em academias e puxando mais peso que poderiam suportar.

    Por fim, manter uma educação alimentar saudável e equilibrada, buscar ajuda médica e praticar exercícios físicos diários, contribuem e muito para uma vida saudável. Mas para alcançar de fato a autoestima e a felicidade devemos em primeiro lugar nos sentirmos bem com nós mesmas e com as nossas imperfeições.
    Felicidade não esta necessariamente associada a emagrecimento. Podemos ser magras e infelizes…

    Muito bom o post!!

  6. Simone Scharamm comentou:

    Ótimo post!
    Estou gordinha(manequim 44), mas não me sinto infeliz!
    Porém, me preocupo com a reeducação alimentar para que a minha saúde não seja prejudicada. É bom pensar no futuro, né?
    Um beijo!

  7. Patrícia Pirota comentou:

    Lidi!
    Que post bacana!
    Parece até que você leu minha mente [o que, na verdade, acontece com certa frequência xD].
    Nos últimos meses engordei bastante, mesmo não comendo muito. Na verdade, como o mínimo necessário pra me manter de pé, já que o tempo anda curto e a vergonha na cara tirou férias.
    Nunca tinha relacionado a questão do perfeccionismo com a “gordura”. Isso me fez pensar que, muitas vezes, o sobrepeso é mais uma questão emocional do que apenas física…
    Vou pensar mais sobre isso…

    Um beijão Bicha!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Patricia!
      Pensar no sobrepeso, principalmente como algo que afete a saúde é sempre muito bom. 🙂

      Só um detalhe, o texto não é meu, tá?
      É da Luciana Kotaka, que é uma bicha fêmea colaboradora. Você estava ausente na blogosfera quando esse espaço no Bicha Fêmea foi aberto aqui: http://www.bichafemea.com/colabore/

      Talvez por isso você não tenha se atentado a esse detalhe. Mas tenho que alertar, porque não vou “colher os louros” de um texto que não é meu, certo? 😉

      Beijos!!!

  8. Patrícia Pirota comentou:

    Gente, que vergonha!!!
    A estrupícia aqui achou que o nome e o site da Luciana eram uma recomendação de leitura!!!
    TscTsc…
    Luciana, me desculpe! E, agora do jeito certo, parabéns pelo texto!

    Lidi, parabéns pela atitude! Digna de uma bicha fêmea =)

    Um beijo pras duas!

  9. Katia Bonfadini comentou:

    Muito bom esse post, Lidi. Acho que a reeducação alimentar é realmente a melhor maneira de perder peso e ter uma vida mais saudável, embora os resultados demorem mais a aparecer. É uma mudança de estilo de vida, mais do que qualquer coisa. Sobre ser “perfeito”, isso pra mim é muito esquisito. Vejo um reality show de vez em quando que se chama “real housewifes of Orange County” e as mulheres se acham todas magras, lindas e louras. E cheias de botox e cirurgias plásticas também. Siceramente, não acho nenhuma delas perfeitas. Parecem mais barbies de quarenta e poucos anos… São tão artificiais que não me parecem nem mesmo bonitas. Grande beijo e um ótimo final de semana!

  10. Pingback: O que é ser um chef de cozinha…
  11. Trackback: O que é ser um chef de cozinha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *