Início » Comportamento » Leitoras em Debate: enteado á vista no casamento. E agora?

Leitoras em Debate: enteado á vista no casamento. E agora?

Uma leitora do Trololó de Mulher, a Prycilla, leu o post em que discutimos por aqui o caso da Ana. O caso foi aquele em que ela relatou sérios problemas de convivência com o enteado adolescente todas as vezes que ele vinha passar as férias com ela e o marido, pai do garoto. Ana quis ouvir nossa opinião a respeito sobre como lidar com a situação. Lembrou?

Veja também:

Casamento: os conselhos mais inteligentes. Já leu?

 

Pois muito bem, a Prycilla leu todo o post e comentários, e decidiu pedir nossa opinião a respeito.

O problema ela explicou assim:

“Olá! Meu nome é Prycilla, tenho 23 anos e tenho um relacionamento de 7 anos com o meu noivo de 31 anos. Ele tem um filho do 1° casamento, de 10 anos. Estamos pretendendo nos casar, só um porém, o FILHO. A ex, que sempre foi uma péssima mãe, vai embora, e o filho vai ficar. O menino é muito mimado pelo pai, avós paternos e a minha queridinha cunhada. O garoto é dengoso, bagunceiro, não me ouve e o pior: manda no próprio pai. Quando resolvemos nos casar, o meu noivo disse que o principal do casamento é o filho dele, tipo eu passo, lavo, cozinho pro garoto, só não mando nele. A mãe, que não tá nem aí, é a escolhida pela minha sogra e a minha cunhada, que defendem ela até por baixo d’água. Eu sou a que deu certo com ele. Nunca me casei, posso estar errada, mas eu não sei lidar com esse problema. O menino faz dengo e tudo o que ele quer o pai faz, mesmo contra a minha vontade. Estou com medo de entrar nesse casamento e não suportar o filho, porque entre eu e o menino, vem o menino em primeiro lugar. Não acho justo eu ficar com o garoto e a mãe, que é a pessoa que tem que estar junto, vai embora bem, bela e faceira, e me deixa um pré adolescente para cuidar. Não sei se o menino tem ciúmes de mim com o pai, mas ele está sempre em cima do meu noivo, senta no colo, quer dormir junto, quando saimos quer sempre andar de mão dada. Não sei o que fazer, me ajudem por favor. Tenho medo de não dar conta se o casamento for assim.”

mulher pensando

Imagem: Yoshiaka via stock.xchng

Veja também:

Casamento duradouro: isto tem algum segredo?

Quando eu lia o caso da Prycilla, formei minha opinião ao lembrar de uma vez alguém ter dito que a gente sempre sabe o que fazer em situações de impasse, e eu sempre concordei com essa ideia. Será que faz sentido essa opinião baseada no senso comum, e que ouvi não sei onde, vinda não sei de quem?

Para a psicanalista clínica Geisa Machado, que tem seus olhos de especialista voltados para o comportamento da mulher nos tempos atuais, e que escreve no blog “A FORÇA E A BELEZA DE SER MULHER”, essa postura é possível, sim. Segundo Geisa, “as pessoas sabem o que fazer numa situação dessas, mas o medo das consequências é que não deixa a decisão ser tomada”.

Veja também:

Há vida após o casamento?

Essa colocação só vem confirmar a necessidade da Prycilla enfrentar a situação de alguma forma, digo, tomar alguma atitude para conduzir melhor tudo o que vem acontecendo nessa relação. Há um casamento á vista e não seria interessante que a convivência chegasse a ser tão complicada como foi no caso da Ana. Tem jeito de isso ser feito?

Veja também:

3 verdades duvidosas que podem estar minando a sua vida: fuja disso já!

Você é daquelas que acreditam nunca acertar em suas relações amorosas?

Geisa Machado explica o que pode estar acontecendo: “numa análise geral, Prycilla está se colocando em segundo lugar na vida dele. O garoto não tem que ser o principal no casamento, não existe um principal, uma vida familiar sadia gira em torno de todos os seus membros”. E vai além quanto ás ações que podem conduzir ao início da solução do problema: “o que ela tem a fazer é conversar com o noivo a respeito desses temores e colocar algumas regras de como ela se sentiria mehor na relação. Caso isso não funcione, o fundamental seria buscar uma ajuda terapêutica”.

debate

Imagem: stock.xchng

E você, hein? Arrisca-se a dar algum palpite ou dica para a Prycilla? O que você pensa sobre o assunto? A bonita está ansiosa para ler as opiniões sobre como lidar com um problema assim…

Mais sobre o assunto:

Enteados problemáticos podem causar a separação do casal?

E se fosse você, como lidaria com um enteado mal educado?

 

ASSINE!

 

727 comentários sobre “Leitoras em Debate: enteado á vista no casamento. E agora?”

  1. Renaa comentou:

    Sou a casada há 1ano e 4 meses, já casei sabendo que meu marido tinha uma filha de 4 anos na qual nasceu de um relacionamento de apenas 6 meses , eles nunca foram casados e ele dificilmente via a menina desde o nascimento, ele paga pensão certinha mas não tem afeto pela crianca acredito que seja porque é fruto de um relacionamento com uma ficante sei lá, sei que é erado da parte dele mas fazer oque, mas de uns meses pra ca isso tem me incomodado pelo fato dela ficar passando diariamente na rua da minha casa me provocando , eu to naquela fase de querer ser mãe, e essa semana joguei na cara dele que agente casou certinho e até agora nada de bebê isso porque nosso filho tá sendo muito desejado, e com ela ele há engravidou tão rápido, sei que talvez seja egoísmo eu pensar assim, mas é triste porque ela tem me provocado muito e por causa dela estamos brigando demais , mas entreguei tudo nas mãos de deus ele sabe o tempo certo pra tudo, e não vai ser uma ex invejosa que vai acabar com meu casamento!

    1. Grazi comentou:

      É bom saber que não sou a única a passar por isso. Meu caso é muito parecido com o de vcs, estou casada à 3 anos, meu marido tem uma filha de 9 anos, do primeiro casamento. Até o ano passado nos dávamos”bem” quero dizer era suportável. Até que a infeliz da mãe dela, com raiva pq o meu marido desistiu de fazer festa de primeiro comunhão, usou a menina e fez com que toda a família do meu marido se chateasse conosco, hoje não falo com minha sogra, nem cunhados, acabou todo o convívio pq a menina e a mãe dela, fizeram o inferno. E eles me culpam, pq o marido não pensou na menina, por causa da festa, e sabem que ele desistiu por influência minha. Óbvio! Quando eu namorava essa ex mulher dele era o Demônio, isso pq foi ela quem o deixou, traiu, o largou e ainda queria infernizar a vida dele. Eu aturei muita coisa no início, hoje não tenho mais paciência pra nada. O pior de tudo é que sonho em ser mãe, já estou tentando a 3 anos, e meu marido tem problemas nos espermatozoides. Às vezes chego a duvidar se essa menina é filha dele mesmo, pois o médico disse que ele só poderia engravidar mediante tratamentos. Como a ex dele tem fama de quem o traia sempre, sinceramente… ela casou primeiro do que a gente com
      Outro cara e logo engravidou. E eu aqui querendo engravidar, sem poder por causa desse problema dele e ainda tenho que aturar a filha dele que faz tudo que a mãe manda.

  2. Lourdes Pinheiro comentou:

    A história é longa, mas gostaria que vocês opinassem.
    Minha história começa assim. Conheci uma pessoa há dezesseis anos, que hoje nem sei decifrar sua posição na minha vida, se namorido, se marido, mas para mim, tornou-se a primeira.
    Inicialmente ele me disse que era separado, um mês depois descobri que era casado. Me disse que se casou só por causa do filho, pois quando foi pai, já tinha terminado o relacionamento, quando saiu de novo com a pessoa, e mais tarde soube que a ex tinha ficado grávida. Ele se casou dois meses depois da criança já ter nascido.
    Eu era separada e na época minha filha tinha 16 anos e meu filho 9 anos.
    Então eu quis terminar, pois nunca desejei ser amante.
    Ele me disse que ele não tinha intenção de ficar com a mulher, que não amava, cheguei p ele e disse que caso ele quisesse ficar comigo, seria final de semana, e que desse o jeito dele para ser dessa forma, o que de fato aconteceu.
    Um ano após termos nos conhecido estávamos morando juntos. A criança na época tinha 4 anos. Vinha p minha casa aos finais de semana, era um inferno, jogava os brinquedos do meu filho pela janela, ele uma vez foi dar banho no garoto e pegou uma nota de dólar da minha filha que ele havia surrupiado e colocou dentro da cueca. Levava brinquedos do meu filho escondido na mochila para casa dele.
    Bom, após cinco anos, terminamos e ele foi morar com a mãe. Um mês depois reatamos. Mas nesse meio tempo, o garoto foi morar com ele, pois a mãe já havia se casado de novo e não havia um bom relacionamento com o padrasto.
    E fomos tocando nosso relacionamento desse jeito, ele na casa dele, e eu na minha.
    Descobri várias atitudes dele que me deixaram indignadas. Atráves de conversas do face, que ficou logado, descobri que vendeu um relógio caro que o pai deu, e disse que havia sumido dentro de casa, dando a entender que alguém tinha levado, xingava a avó de piranha e abusada, que ela ligava a TV e ele tinha que parar de jogar. Eu contei tudo para o pai. Foi uma confusão. Depois de um tempo a situação acalmou.
    Mas ele sempre dizendo que queria morar comigo, e eu sempre empurrando com a barriga, pois tinha a intuição que não daria certo.
    Em abril de 2015, a criatura já estava com 18 anos, e eu resolvi ceder. Mas como ele tinha uma namorada no bairro onde estava morando com a avó e estava no quartel, e ficava mais próximo ficou por lá. Em janeiro desse ano, terminou o namoro, ia sair do quartel e veio p minha casa.
    Pronto, instalou-se o mal estar. Eu chegava do meu trabalho e tinha que ir ver TV no meu quarto, pois no quarto que ele ocupava ainda não tinha. E isso foi me incomodando, porque ele não se tocava, pois ficava deitado no sofá, como se ele fosse o dono do pedaço e quase não saía de casa, eu já nem tinha mais vontade de voltar para casa. Até que um dia, no carnaval, eu saí com o pai dele e quando voltamos, ele não estava em casa. Fiz um comentário: Ele podia não voltar né? Armou-se a terceira guerra. Entramos em atrito físico. Eles foram embora, e eu estava muito magoada. Mas ainda assim, não havia terminado meu sentimento por ele.
    Mais uma vez, após um mês reatamos, de novo ele lá e eu cá. Só que assim, por ele ficaríamos juntos, mas eu nunca mais quero morar com aquele indivíduo do filho dele. É um folgado, não gostava de estudar, o pai pagava curso de inglês , abandonou. Repetiu de ano , três vezes, terminou o segundo grau no supletivo. Acho que ele pensa que eu sou empregada dele, temos uma casa alugada em Mangaratiba, ele chega lá, nem oferece ajuda para nada, come e deixa as coisas para que eu lave, só que eu não lavo.
    Então assim, enquanto ele não resolver a vida dele, o pai vai ficar lá, e eu já não estou mais agüentando ficar em segundo plano, toda vez que tocamos no nome da criatura, começam as brigas. Ele já trabalha, com o pai. No sábado, resolvi que não quero mais isso para mim e terminei nosso relacionamento.

  3. Mirella comentou:

    Sou casada á apenas 3 anos…
    E o meu casamento está quase indo para o buraco…Infelizmente.
    meu marido tem um filho de 13 anos, vai completar 14, passo muito nervoso com o moleque, pois é preguiçoso, autoritário, não gosta de estudar e só pensa em namorar…
    A Mãe do menino mora á 5 minutos da minha casa, e não procura o menino, meu Deus…o filho não é meu, mas a cruz é minha.
    Estou disposta a me seperar, pois vivo em um verdadeiro inferno, por causa deste moleque ridículo.
    Bom é isso, se um conselho é válido não casem com homens que tem filhos para morar com vcs…
    Abs.

    1. Nielith comentou:

      Caia fora mesmo, eu sei bem. O que vc está passando, vc nunca estará em primeiro plano na vida dele. Vc vai viver não em um casamento e sim num inferno e de cabeça pra baixo. Paço e já passei muita coisa . Se livre enquanto é tempo.

    2. Amanda comentou:

      Boa tarde. Gente prestem atenção nesses relatos, é muita incolodacaobcasar com homem que tem filhos. Saiam dessa o quanto antes. É difícil uma ex que não incomode. Não
      Entrem nessa furada.

  4. Lucia comentou:

    Conselho: caia fora desse noivado… eu acabei casando (ja esta c 2 anos) e se eu soubesse que era tão ruim vc se relacionar c homem q tem filho, eu n teria me casado..

    1. Amanda comentou:

      Pry saia fora enquanto a tempo. Tenho certeza que encontrarás um cara sem filhos e legal. Vai por mim, tenho experiência nisso, tanto que estou nessa página para desabafar sobre esse assunto.

  5. Mariana comentou:

    Por experiência própria não se case com ele pq nos dias importantes do ano festas e tudo mais , vc vai estar sempre de lado , a criança vai ser sempre o centro das atenções, vc vai se sentir deslocada, sem família, ele não vai entender vc vai achar q é criancice sua e ciúmes. Mas quando nos casamos queremos construir uma família mas c um homem q já tem filhos não dá pq ele já tem uma família e vai querer q vc se encaixe na família dele…. Vc não vai ter a sua família vc ,vai ter a família dele. Vc não vai poder se abrir com ninguém pq todo mundo vai dizer… “Ah mas vc já sabia q ele tinha filhos” vc vai desejar passar Natal e ano na casa de outras pessoas pq na sua casa mesmo vc não vai se encaixar porque não tem como ser parte de outra família, isso não existe.
    Vc vai servir só p cuidar dá casa e pro sexo… Mas na hora de confraternização em família vc vai estar de lado… E quando vc tiver filhos c ele vai ser sempre uma comparação com os outros filhos…. É uma maldição. Ore a Deus peça direcionamento considere todos os sinais pq se vc já tá infeliz agora vai ficar mais ainda casada, presa num relacionamento aí vai serais difícil e traumatizante

  6. Ana comentou:

    Se eu pudesse dar um conselho: Não se casem com homens que já tem filhos. Pra viver em harmonia numa relação dessas é preciso muita maturidade, pq os filhos serão sempre prioridade na vida dos pais, ou seja, estarão sempre em primeiro lugar, ( no caso de um bom pai). Então, vc estando ciente que o seu pretende já tem filhos, tem q no mínimo aceitá-los e aceitar q o pai sempre fará tudo q puder para eles. Não podemos ser egoistas, pq foi uma escolha nossa nos relacionar com um homem que tem filhos, já no caso dos filhos nao foi uma escolha e sim uma situação imposta: ter q conviver com uma madrasta…. Passo por isso e sei o quanto é difícil, apesar da minha enteada ser bem educada e vir para casa somente aos finais de semana. Mas tenho que enfrentar situações, como por exemplo: meu marido ter q sair 4,5 horas da manhã para buscá-la em baladinhas… Todas as nossas viagens temos q levá-la, ele gasta uma grana com os estudos dela, ( a mãe dela não ajuda com 1centavo, paga plano de saúde , da mesada e vive comprando presentes caros e celulares de última geração, inclusive o último aparelho ( iPhone) ele deu pra ela no dia do Meu aniversário.. Fico muito chateada por não ser prioridade na vida dele, mas me casei com ele ciente dessa situação… Temos um filho juntos e ele é um ótimo pai para ele também. Mas, não posso abrir a minha boca para o meu marido q a mãe da filha dele também tem q ajudar financeiramente, ele não aceita, me ofende, diz que não tenho nada a ver com isso. 90% das nossas brigas são por causa dela, não posso falar um “a” que ele já se queima… Então minhas amigas, sejam espertas e procurem homens livres, desempedidos e livre de filhos…

    1. Mariana comentou:

      Concordo!! Todo o amor do mundo vai por água abaixo assim que se começa a convivência com essas crias do satanás. Eu bem sei o que estou a dizer.

      1. Amanda comentou:

        Bem isso

    2. Marcia comentou:

      Vivo situação idêntica. Ele não aceita o meu ponto de vista, qual seja, a ex tem que ajudar a sustentar o filho! Queria muito ter um filho com ele, mas fico com medo de cobra-lo que dê o mesmo tratamento para o meu filho, e me frustrar. Imagine eu assistindo ele bancar o filho da ex sozinho, e me exigir que divida as despesas do nosso filho? Seria o fim…

  7. Roberto comentou:

    Quando adolescente tive uma relaçao e veio a gravidez ela nunca me falou nada deu a criança para os tios q registraram em seus nomes depois de alguns anos me falaram q era meu !eu tenho alguma obrigação?

  8. Gessica comentou:

    Estou na mesma situação, nem um ano de casada e já estou vivendo um inferno por causa do filho do meu marido.
    toda semana que ele vem a gente briga feio.
    Se eu imaginasse, jamais teria me casado.

  9. Francinne Bresolin comentou:

    olá meninas, gostaria de dividir com vcs meu problema e espero uma opinao sincera..
    namoro a doiis anos tenho 28 e meu namorado 34..ele tem um filho de 11 anos o qual é dengoso é super colado no pai e tem hiperatividade,a mae dele tem um bebe de quase um ano e mto pouco se importa com o mais velho..afinal nunca se importou.
    o que tem acontecido é que meu namorado anda querendo suprir este filho n sei pq, só que isso ta tornando fria nossa relação..o menino se mete nas nosas conversas esta sempre grudado no pai,exceto quando tem um eletronico o pra mecher.ele fica durante a semana com o pai e findes com a mae e tbm o padrasto n tem aguentado ele…
    o problema é meu namorado que n enxerga as coisas erradas que o filho faz, sempre acoberta superprotege e o tarata como uma criancinha e o menino claro se aproveita disso pra n ter que se virara sozinho..o menino é uma criança querida me adora mtooo mas tem esse lado mal criado e um pai que o poe numa redoma de vidro e ninguem pode falar deste filho..ele ja ate me disse q o filho dele é prioridade e que eu tenho que aceitar..vou na psicologa pra que ela me oriente como agir enquanto madrasta porem o pai n frequenta a psicologa e se nega a ir ..estou cansada mas o amo.o que fazer?

    1. Mandy comentou:

      O que fazer? Francinne, vc viu os depoimentos de várias madrasta, eu te aconselho a pular fora enquanto é casada. Passo o que muitas passam aqui, quando casar vai piorar, vc ama ele, eu tbm amo meu marido só que todo o sentimento do mundo não compensa pelo inferno que irá viver, filho é um laço eterno, a ex sempre vai estar presente tbm, afinal eles tem um filho juntos, se eu soubesse que ficaria assim eu não casaria. Vejo as madrasta sendo tachada de chatas e tals, mas ninguém sabe o que um enteado pode fazer com o nosso relacionamento.
      Seu namorado como muitos pais, sofrem da sindrome do pai ausente, querem compensar os filhos sendo permissivos com as atitudes erradas com os filhos, 90% dos enteados serem o que são dos pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *