Início » Corpo » Saúde » Excesso de lanches pode estar contribuindo para a obesidade infantil

Excesso de lanches pode estar contribuindo para a obesidade infantil

Excesso de lanches pode estar contribuindo para a obesidade infantil

Com tantas facilidades e variedades, os lanches acabam sendo uma rápida solução para pais que levam uma vida corrida e que são adeptos das facilidades que os fast foods oferecem.

Segundo Carmen Piernas e Barry Popkin, da Universidade de Carolina do Norte, as crianças comem lanches com tanta frequência que estão “se movendo em direção à alimentação constante”, informaram.

Nossa rotina alimentar deve constar de seis refeições, sendo três refeições completas, e três lanches intermediários. Os pais devem favorecer uma rotina alimentar desde cedo, oferecendo alimentos saudáveis, de forma equilibrada, para que se instale de forma eficaz os hábitos alimentares. Pratos coloridos e bem arrumados, torna-se atrativo para as crianças.

Muitos pais não se preocupam quando a criança começa a engordar, pois acreditam que é apenas uma fase, e que ao entrar na adolescência ela esticará e ficará magra novamente.

As últimas estatísticas mostram que 30% das crianças, entre 6-19 anos de idade, nos EUA, estão com sobrepeso ou obesas, o que as coloca em um risco crescente para doenças crônicas, como doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes e problemas emocionais na adolescência e idade adulta.

Os fatores emocionais também contribuem na prevalência da obesidade. Muitas crianças sofrem desde pequenas com comentários e rótulos que lhe são conferidos em função do sobrepeso e obesidade, sendo importante o acompanhamento do psicólogo nesse processo, como forma de resgate da auto estima, e canalização das emoções de forma a não interferirem na sua relação com a alimentação.

Luciana Kotaka
Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares
Curitiba-PR

Quer ser uma bicha fêmea colaboradora também? Fácil! Clica aqui e saiba como.

Imagem: stock.xchng

Mais no Bicha Fêmea…

O peso ideal é aquele que se sente bem.

Erros comuns que podem estragar sua dieta.

Emagrecimento e organização.

Comer bem para viver melhor.

18 comentários sobre “Excesso de lanches pode estar contribuindo para a obesidade infantil”

  1. Patricia Mascarenhas comentou:

    Oi querida Lidi, quanto tempo!!!
    Estava com saudades de passa pelo Bicha. E o site ficou otimo. Como eu estive fora durante tanto tempo, ainda nao tinha vindo por aqui… Sorry
    Excelente o post, principalmente para quem tem filhos e acaba achando mais facil encher a vida das criancas de lanchinhos.
    Sei que posso parecer chata, mas nao gosto de dar nem frutas fora de hora, mesmo sendo pouco caloricas, mas acho importante a mensagem de que nao se pode ficar comendo toda hora, nem repetir o prato. Habitos a gente ensina desde crianca.

    Beijinhos e tudo de bom!

  2. beta comentou:

    Oi querida! temos sorteio literário no Mix, te espero ok??

    bj

  3. Leticia comentou:

    Adorei o texto e concordo com ela. Sou do tempo que levar lancheira pra a escola não era “brega”. Sempre tomei suco e lanches caseiros. Doces? Nem pensar no recreio… tinha a sexta feira que era dia de cantina, mas só.
    Acho que tudo é uma questão de reeducação alimentar. Em todos os casos…
    Nos EUA isso é assustador. Antigamente, não existiam crianças com pressão alta ou outros problemas decorrentes da alimentação incorreta.
    Bom assunto para debater!
    beijos
    lelê

  4. Rosi Costa Caleffi comentou:

    Lidi,

    Acredita que tenho uma prima de 05 anos que está com o colesterol descontrolado? Pois é. Resultado de sorvete, salsinha, batata frita, arroz e Toddynho. Sim, é só isso que aquela criança comeu durante muito tempo.

    O problema é que os pais dela trabalham muito e como compensação, deixam que ela coma apenas o que tem vontade. Pode? Outro agravante é que ela fica o dia inteiro com a avó que faz todas as suas vontades simplesmente porque ela chora demais…

    Dia desses ouvi minha prima que é casada dizer que quando tiver um filho não terá problemas em oferecer comida pronta, como as sopinhas em potinho, já que ela não sabe cozinhar. Eu a adverti dizendo que as famosas sopinhas, embora afimem que não, possui conservantes sim. Se fosse contrário, como é que os fabricantes explicam o prazo enorme de validade?

    Depois tem pais que reclamam que seus filhos são fraquinhos, frágeis e ficam doentes com facilidade…

    Sou do tempo que nada me deixava mais feliz do que a comida da minha avó, adorava batatas e demais legumes. Essas coisas industrializadas só conheci depois de grande, talvez pela pouca oferta no mercado, talvez pela situação financeira da minha família, enfim, isso só me fez bem.

    Bjs

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Rosi, lendo seu comentário sobre sua prima me lembrei que fala-se muito sobre um mal da vida moderna: os pais trabalham muito para proporcionar o melhor para os filhos e, para compensarem sua ausência, fazem tudo o que a criança quer, como elas querem e quando elas querem. Será que o problema de sua priminha passa por aí? 😮

  5. Cláudia Ramalho comentou:

    Lidi,
    Passei antes de viajar para lhe deixar um grande cheiro e dizer que adorei seu recadinho hoje.
    Esse tema é maravilhoso. Aqui em casa eu sofro do contrário. A Clara não come nada e não engorda nada também. kkk
    Bjks
    Cláudia

  6. Casa Corpo e Cia. comentou:

    Oi Lidi!

    Mulher, que maravilha seu marido apreciar e gostar de comprar coisas interessantes! Eu passo um sufoco, mas sabe que depois que ele vê no lugar, as visitas elogiando, ele passa a gostar do objeto também?

    Eu achei liindas as suas aquisições, eui também valorizo muitíssimo o trabalho artesanal, principlamente em madeira. Eu fiquei super satisfeita com a minha girafa, e ficou linda na minha sala, logo logo mostrarei ela fazendo graça na minha sala. Como agora moro em apartamento e a minha sala é minúscula, não posso ter muitos objetos de decoração, mas os poucos que tiver, precisam ser expressivos, e este é o caso da minha linda girafa.

    Tenha uma ótima semana!

    BjOs da Re.

  7. Fernanda comentou:

    Obrigada por ter chamado a minha atenção para este assunto 🙂

    Bom, na escola dos meus filhos eles podem levar lanche, mas nada embalado, embora alguns pais prevariquem.
    Acontece que o número de crianças que levava lanches inadequados era tão grande que o Agrupamento escolar decidiu oferecer lanche: pão com manteiga, queijo, fiambre, etc , leite e uma peça de fruta.

    Os meus pequenos preferem levar lanche de casa, sempre na linha da escola, aliás já antes dessa norma era assim.

    Há uma publicidade aos Kinder Bueno, não sei se passa no Brasil, em que duas crianças vão buscar a merenda e a menina fica muito desanimada quando vê o pão, enquanto o menino, feliz da vida, tira o seu Kinder Bueno e lhe oferece tb.
    Fico sempre indignada com essa pub. ! É escandalosa.

    Eu já falei com os meus filhos sobre isso, expliquei que é por terem uma alimentação saudável que são magros e saudáveis, enquanto muitos colegas deles são obesos. Eles entenderam, como habitualmente entendem quando explico as coisas tal como são.

    Claro que é muito fácil e prático para os pais, pegar numa embalagem que está na despensa, e entregar à criança! Mas Portugal é o 2º pais com maior número de obesidade na infância. É grave…e está nas mãos dos pais!

    Beijos e parabéns pelo texto!

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Fernanda!
      O mérito pela escrita do texto sobre obesidade infantil são para a Luciana Kotaka, que é colaboradora no Bicha Fêmea. 🙂

      Quanto a propaganda que você descreveu e que te deixa indignada, penso que não é para menos. Eu não vi essa propaganda no Brasil. Felizmente, parece que não passa por aqui.

      Que bom que você consegue fazer um trabalho tão legal na educação de seus filhos. Isso é inspirador.

  8. Fátima comentou:

    Muito oportuna a matéria.
    As crianças ditam regras, mas com pulso forte, os pais são obrigados a manterem o controle.
    Infelizmente sabemos o quão é difícil.
    Um super beijo, querida!

  9. lidia comentou:

    Oi linda , adoro os texto da Lucina, sempre se aprende algo
    bjs

  10. Mahria comentou:

    Nossa meu filho de 10 anos estar muito acima do peso, fico triste, me preocupo tanto, mas é tão dificil controlar, uma vez que passo o dia inteiro fora de casa…

    P.S
    Querida meu blog ta fazendo 1 Ano e tem promoção vai la participar.

    Bjs
    Mah

  11. Isadora comentou:

    Uma ideia muito positiva na escola do meu filho é a inclusão do lanche na mensalidade. As crianças não PODEM levar lanche de casa, e as opções oferecidas no refeitório são sempre balanceadas. De nada adianta seu filho levar uma maçã se um colega levar biscoito recheado, por mais que vc tente seu filho não vai adquirir o hábito de fazer escolhas saudáveis. Assim pelo menos durante o ensino fundamental eu sei que ele não vai lanchar bobagem, e espero que o hábito persista depois que ele for para uma escola maior.

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Nossa, Isadora!
      Essa ideia da escola de seu filho é muito bacana, viu? Achei super positiva. É super prático para os pais, porque não terão que se preocupar em montar a lancheira da criança diariamente, e os pais ficam tranquilos por saberem que as crianças terão lanches de qualidade. Ponto para a escola que você escolheu para o pequeno! 🙂

  12. Antonietta comentou:

    É… acho que todos nós devemos repensar nossos conceitos, não só sobre alimentação, mas também sobre qualidade de vida. Precisamos aprender a priorizar o que realmente importa.

  13. Edilaine comentou:

    Pois é, acabei de deixar minha pequena em um aniversário num fast food famoso…ai que dor no coração…chega uma hora que o lanche bate à nossa porta!!!

  14. Cristiane Inokuma comentou:

    Bom dia!
    Ótimo texto da Luciana, Lidi! E sabe que este é um problema que atinge também nós, adultos? É tão difícil resistir às guloseimas… 😮

    Bjs!

  15. Pingback: Como descartar remédios vencidos?
  16. Trackback: Como descartar remédios vencidos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *