Início » Comportamento » Há competitividade entre as mulheres?

Há competitividade entre as mulheres?

Durante a prévia do Carnaval deste ano eu assisti a um programa de TV onde estavam transmitindo um concurso que visava eleger uma dessas passistas de escola de samba para musa do carnaval. As moças precisavam mostrar samba no pé, simpatia, beleza e corpo bonito.

Não me admira que em competições como essas, em que a mulher visa mostrar, dentre outras coisas, seus atributos físicos, as competidoras terem o perfil das que gastam grande parte de seu tempo com cuidados que visem manter o seu corpo na forma que o senso comum julga como sendo a ideal. Isso não quer dizer, contudo, que seja regra a máxima de que mulheres cujos corpos esculturais, de acordo com o padrão atual de beleza, sejam pouco atraentes intelectualmente. Relacionar um corpo feminino malhado a pouca inteligência, de forma direta e inquestionável é, no mínimo, preconceito.

Isto posto, preciso dizer que fiquei triste e decepcionada vendo o tal programa de TV, porque eu presenciei uma jurada no programa, que é escritora, olhar com desprezo e dizer para uma das concorrentes ao título de musa do Carnaval que para ela dançar melhor, ela precisaria ler mais. Oi? Como assim?!

Por que isto me decepcionou? Certamente não foi pelo incentivo a leitura, porque está claro que ela (a leitura) nos transforma em criaturas melhores. Mas foi pela forma como certas coisas foram ditas, nas circunstâncias que envolveram a situação, e que soou como imposição de ponto de vista do que pode tornar uma mulher mais ou menos interessante.

Quando atropelamos as verdades alheias com as nossas pode parecer falta de respeito e, além do mais, a cena pareceu mais o flagrante de uma mulher querendo se auto afirmar diante de outra do qualquer outra coisa. Ficou feio. Pronto! Falei.

Tudo isso me fez lembrar um ditado conhecido por atestar que “as mulheres se vestem umas para as outras”. Ditados como este e cenas como a que vi parecem reforçar a noção geral que se tem de que as mulheres sempre competem entre si. Será?

 

Para a psicóloga clínica Adriana Pimentel, que escreve no blog PSICO? LÓGICO!, a competição existe mesmo e, segundo a teoria psicanalítica, ela começa quando a mulher ainda é uma menina, e já disputa com outra a atenção de um homem. Adriana explica que “essa competição velada é algo que começa desde a nossa infância. Segundo nossa teoria psicanalítica, a menina começa a concorrer com a mãe (mulher de fundamental importância em sua vida) pelo amor do seu pai. Então essa mulher-mãe começa a ser a primeira inimiga desta criança, acontecendo de uma forma inconsciente, é claro, mais daí se estende até chegar à fase adulta”.

Segundo Adriana, essa pode ser uma explicação, mas a competição entre as mulheres também pode ser fundamentada por outros aspectos: “também acredito na teoria da luta diária da mulher para se tornar notada, por todo um histórico cultural que nos foi e ainda nos é travado”.

A explicação histórica ganha força e sentido nas palavras de Geisa Machado, que é psicanalista e escreve no blog A FORÇA E A BELEZA DE SER MULHER : “Quando uma pessoa (pode ser homem ou mulher) cultua MUITO o físico a energia é direcionada para o corpo, sobrando muito pouco para o intelecto. No passado a vaidade era algo tipicamente feminino, porque os estrategistas eram os homens. O inverso também é válido: quando uma pessoa joga muita energia no intelecto, sobra pouco para o corpo. No caso da jurada escritora, provavelmente ela humilhou a outra porque gostaria de ter o mesmo corpo que a passista, mas não tinha energia sobrando pra isso. Esta atitude é chamada de projeção: a jurada projetou na passista o seu desejo de ter um corpo escultural ao qual não tinha acesso e o seu mecanismo de defesa fez com que ela humilhasse a outra.”

Geisa explica como tudo isso veio do passado e influencia no comportamento da mulherada, sem que haja consciência sobre isso: “Nós mulheres fomos humilhadas por milênios e com isso a nossa auto estima ficou lá embaixo, então uma mulher tenta se sobressair a outra para mostrar quanto valor ela tem. É claro que é uma forma distorcida de mostrar este valor, porque na realidade ela tem dúvidas quanto a isso. E é claro que também ela espera que a classe dominante (os homens) percebam isso para elegê-la. Tudo isso acontece de forma totalmente insconciente.”

 

Disso tudo eu concluo percebendo a furada que a gente (mulheres em geral) se mete quando permite que esse tipo de sentimento alimente a concorrência entre uma e outra, porque além de nos enfraquecer enquanto grupo, também acaba bombardeando ainda mais uma auto estima que já não estava lá essas coisas, já que deu espaço para esse tipo de comportamento se manifestar.

Tanto Geisa quanto Adriana concordam que a saída deve ser pela conscientização quanto aos sentimentos. E faz todo sentido, não é? E a gente sabe muito bem quando algo não vai bem com o nosso coração, com a nossa cabeça, com o que sentimos. Esse parece ser um bom estímulo para que o sinal de alerta seja aceso, assim seria possível repensar certos comportamentos ou até mesmo pedir ajuda de um profissional para essa mudança de postura, hã?!

Imagens: stock.xchng

Quer ler mais sobre comportamento feminino no Bicha Fêmea?

Mulher é um “bicho danado”. Se não, vejamos…

 

35 comentários sobre “Há competitividade entre as mulheres?”

  1. Gabriela Honorato comentou:

    Adorei esse post. Ficou feio pra tal jurada. Eu não vi o programa, mas fiquei curiosa pra saber a reação da candidata à musa e do apresentador.

    Parabéns pelo blog! Está na minha lista de preferidos. Muito bom.

    1. Lidiane Vasconcelos comentou:

      Oi, Gabriela!
      Respondendo a tua pergunta, a candidata a musa fez cara de que não entendeu, porque acho que ela nunca imaginou que o assunto “livro” e mais a recomendação de leitura pudesse ser abordada num concurso somo aquele. E o apresentador percebeu a colocação “descolocada” da jurada e, como bom mediador, desconversou e logo mudou de assunto… tsc tsc tsc… 🙁

      Gostei muito de sua visita com comentário no Bicha Fêmea, viu?
      Volte sempre!

  2. Silvana Mello comentou:

    Pior que é verdade. Existe mesmo essa competição. Já me diverti muitas vezes com certas situações, porque, em geral é permitido que você seja inteligente ou bonita. Agora , as duas coisas…rsrsrsrsr sai de baixo!! Se for bonita, inteligente e ainda tiver um corpo bacana…tá lascada! Aí, ou te admiram ou odeiam!
    Bom, brincadeiras à parte, a questão está realmente na auto estima e na conscientização do próprio valor como você disse.
    Se nós trabalhamos isso em nosso interior, acabamos por ser pessoas melhores, tratamos melhor o outro (a), e recebemos isso de volta também, não? Ihh, acho que sai um pouco do assunto. Também, você arruma cada post que dá pano para manga, camisa, aliás, traje completo!! rsrsrs bjuss

  3. Leticia comentou:

    Lidi,
    Acho que a competição existe sim. Não só na questão física, mas na intelectual. E ela é mais acentuada em pessoas com a problemas de estima, ao meu ver. Essas pessoas tem sempre que se balizar nas demais para se sentirem seguras… Isso desencadeia todo o processo. Existem ambientes de muita competição e de competição mais saudáveis.
    Particularmente já vivi fases de “grande culto físico”, malhava horas e com isso vinha a competição de quem tinha o corpo mais bonito, mais brozeado, etc… nunca deixei o lado intelectual, mas eles sempre estavam menos aflorados nesta época. Não foi um momento errado ou ruim, foi fundamental para a descoberta do que sou hoje e para minha afirmação como mulher também. Afinal de contas, sempre estamos em busca de um equilíbrio de partes (intelectual x físico). Uma mulher bem resolvida nos dois atributos, isso é, que se sente linda e inteligente é capaz de qualquer coisa… mas melhor do que isso, uma mulher que se sente desta forma, sem precisar gerar competições para descobrir o seu espaço. Porque a forma como você se vê, deveria ser de dentro para fora, não de fora para dentro.
    Sobre a competição, hoje descobri que não é salutar PARA MIM me envolver demais neste tipo de energia, me desgasta além da conta. Coloco energia aonde os outros querem e não aonde eu quero. Porque para competir, precisamos igualar parâmetros… e muitas vezes quem dita os parâmetros não sou eu e sim os outros, certo?
    Beijokas e adorei o tema! Tava com saudades dos seus textos “polêmicos”.
    lelê

  4. Priscila comentou:

    Oi Lidi, eu vi o programa e achei horrível a postura da jurada, fiquei com vergonha por ela, rs, tenho certeza que depois ela deve ter notado que falou demais! rs
    Amei seu post!
    Bjs….

  5. Raquel Machado comentou:

    Oi Lidi,
    Estou de voltaaaa…depois de tanta correria e das férias mais que merecidas decide arregaçar as mangas e voltar a esse mundo bloguístico…
    Pois então flor amei o seu post e digo que algumas coisas apesar de tristes são verdadeiras sabe que eu vi esse tal programa também e a tal jurada, mas isso não passa de pura inveja.As mulheres realmente se vestem uma para as outras e existe muita competitividade entre nós isso não tem como negar as vezes é chato isso sabe e talvez por isso eu me de bem melhor com os homens com eles não tem essa frescura de ficar olhando se você fez chapinha ou passou maquiagem para ir trabalhar ou se esta repetindo a mesma roupa dois dias seguidos os valores são outros as competições mudam mas acredito que isso seja dever de cada um começar a mudar um pouco ne? Bjks e um Otimo Fim de semana para você linda.

  6. Alethéa comentou:

    Eu acho vi este episódio que vc comentou. Totalmente deslocada, a jurada. Teve uma outra situação que me recordo que um jurado pediu para a concorrente soletrar uma palavra. A concorrente respondeu: “mas isso aqui é o concurso prá musa, não o soletrando”. ahahahahaha, adorei!

    Abraços.

  7. Edilaine comentou:

    É, são as ‘armações’ do inconsciente. Ou o que se diz ‘ato falho’.

    Na minha opinião as mulheres são muito mais competitivas. Além de se boicotarem muito.É só observar o cotidiano. Observo o quanto as mulheres não se ajudam: se tem filhos e trabalha é uma irresponsável, se tem filhos e não trabalha é uma folgada, se não tem filhos é egoísta, se não é casada e só trabalha é mal amada…. e o pior são rótulos que mulheres dizem de outras mulheres…. há muito que evoluir e aprender.

    bjusss

  8. Katia Bonfadini comentou:

    Oi, Lidi! ótima abordagem sobre um assunto polêmico e sempre atual! Acho esse tipo de competição horrorosa. Aliás, abomino qualquer tipo de competição. Acho que às vezes dependendo da situação, pode até ser saudável, mas eu não tenho essa personalidade competitiva, até porque sou bastante insegura. Então, sempre evitei comparações. Você é desse jeito e eu sou desse outro jeito. E pronto. Não gosto de me sentir comparada a ninguém e também me incomoda muito saber que alguém se sente ameaçado ou incomodado por mim. Quando isso acontece, acho que a melhor coisa é o afastamento. Eu me isolo pra que não haja conflito. Também acho um preconceito enorme associar beleza à falta de inteligência, mas acho que muitas meninas que não são muito bonitas na adolescência, sentem que precisam chamar a atenção de outro modo, seja pelo intelecto, pela criatividade, simpatia ou bom humor. E realmente acabam desenvolvendo outras qualidades. Pessoalmente conheço muitos exemplos assim. Já ouvi um amiga dizer: “sou a mais feinha entre minhas primas, então resolvi me diferenciar sendo a mais inteligente. E consegui”. E isso acaba sendo uma forma de competição também, né? Beijão!!!!

  9. lilly comentou:

    não deveria ser assim, mas mulheres saõ inimigas.
    basta vc relembrar aquela antiga piada do corte do cabelo do homem e da mulher.
    homens tem relações mais fortes e abertas.
    as relações entre as mulheres são fortes tb, mas mesmo entre amigas há competição: ela está envelhecendo menos que eu…ela tá com a pele boa,….o qeu ela faz pra não engordar.
    sabe? isos me irrita
    eu vou envelhecer e já me basta as que não gostam d e mim me notando.
    quero que minhas amigas me entendam na minah velhice!

    bjs
    Lilly
    http://coisadelilly.wordpress.com
    http://blogdareforma.wordpress.com

  10. Rosi Costa Caleffi comentou:

    Lidi

    Assisti esse programa e também concordo que a postura da jurada foi incorreta.
    Essa competição horrorosa existe sim e as responsáveis são as próprias mulheres que se boicotam entre si.
    Essa maneira feia de incorporar esteriótipos é inaceitável, porque até bem pouco tempo atrás ser chamada de loira burra era ruim, hoje as próprias loiras se justificam quando fazem algo errado
    chamando a atenção para isso, tsc, tsc, tsc.
    Bjs

  11. Luma comentou:

    Me lembrei que nos concursos de “Miss” perguntam qual é o livro preferido da candidata, o que veladamente serve como termômetro de medição do intelecto. Porém, uma candidata à Miss é eleita para representar seu país perante a sociedade mundial e como tal deve saber se comportar nas várias esferas sociais. Infelizmente a tal jurada, provou simplesmente que é uma analfabeta social.
    Mulheres são competitivas, tal qual os homens. Vejo sempre críticas aos músculos masculinos, como se o desenvolvimento dos músculos corporais, atrofiasse o cérebro e, hum… outras partes.
    Mulheres inteligentes não competem, apreciam a beleza natural tal qual a própria natureza, mas não podemos esquecer das bizarrices que ultimamente presenciamos, ultrapassando os limites do bom senso.
    Bom fim de semana! Beijus,

  12. sandra comentou:

    Amada Amiga!
    Deixei um lindo selinho para vc em meus mimos. Passe lá.
    htt://sandraandrade7.blogspot.com
    Vou te esperar, com muito gosto.
    Um grande abraço,
    Sandra

  13. Geisa Machado comentou:

    Oi Lidi!
    Muito obrigada por me convidar a participar deste post!
    Ficou muito bom a forma como vc colocou a questão e como alinhavou as nossas análises (minha e da Adriana). Parabéns!
    O que me deixa contente é saber que a minha contribuição está ajudando as mulheres a repensarem o seu feminino, porque ele está em plena transformação, como tudo no planeta (esta é a intenção do meu blog).
    Li os comentários (voltarei para ler os outros) e percebi que as mulheres estão preocupadas com o que está acontecendo neste nosso universo “mulheril”. Isto é excelente, porque é uma maneira de nos compreendermos melhor e nos tornarmos mais unidas.
    Na realidade hoje em dia está havendo muita competição porque os seres humanos estão deixando de sonhar!
    Bjussss

  14. Cris comentou:

    Oi Lidi, mais um tema complicado… concordo com você mulheres são competitivas e não deviam ser tanto assim, pelo menos não levar até tal ponto…fico triste quando percebo entre amiguinhas da minha filha, mães incentivando os tais joguetes femininos, coisa abominável. Fico muito de olho nisso e cobro bastante de minha filha, não gosto de joguinhos competitivos. Pronto, falei!! Minha língua anda meio solta aqui no bicha, hein? Bjo e bom findi!!

  15. Maria Bonfá comentou:

    adorei seu blog..e mulher sempre compete..isso é infalivel.. como sempre dizem que nós mulheres nos arrumamos para as outras mulheres, para se exibir.. sera? tem fundo de verdade sim.. estou te suguindo..beijão

  16. Irene Moreira comentou:

    Lidi

    Realmente ao iniciar a leitura de seu post pensei logo – claro que a competição – a mulher se veste para a outra – e como é muito bem esplanado pela Geisa é uma competição inconsciente e acrescento sadia – amiga – sem atitudes como a dessa jurada que está de mal com a vida e com ela mesma.

    Beijos amiga

  17. Elaine comentou:

    Lidiane,
    Tem um presente para você em meu blog; espero que aceite mas fique à vontade para declinar.
    Beijos e bom fim de semana.

  18. Suzanna comentou:

    Normalmente as pessoas que aatacam, são as mais frágeis.
    Usam como defesa,o ataque, muitas vezes para esconder sua própria insatisfação, desdenhando aquilo que mais gostariam de possuir, querem que o outro se sinta inferiorizado como ele, sendo a única forma de igualar-se .
    Não vi o programa mas acredito, que se , teria ficado com uma certa “dó” da escritora, que se mostrou totalmente vulneravél , a beleza e outros atributos que toda lista de leitura que ela possui não lhe confere , nem a satisfação pessoal, amor próprio e auto estima na medida certa.
    Há uma “guerra” silenciosa entre as mulheres , ainda bem que não universal rsrs
    bjus

  19. Suzanna comentou:

    ok

  20. Neli Rodrigues comentou:

    A competição existe, é claro, o problema é qdo a uma tenta humilhar a outra.
    Se vc acha que pode melhorar, vai à luta!
    Agora, não é legal ridicularizar a outra parte, né?

    Bjs♥

  21. Adriana Pimentel comentou:

    Oi Lidi!

    Primeiramente agradeço a participação neste seu post.
    seu blog é sempre muito interessante e levanta temas que realmente devemos nos questionar.

    Assim como Geisa, também viajei nos comentários e concordo que essa reflexão é oportuna para nós mulheres, neste tremendo tempo de auto-afirmação. E concordo também com ela na forma como você conseguiu unir os pensamentos de uma maneira brilhante e coerente.
    parabéns mais uma vez, e conte sempre comigo.

    Enorme abraço lindona.

  22. Ana Carla comentou:

    Como li num blog (que nem me lembro qual): “Se vc é chata, suas amigas te perdoam. Se vc é feia, suas amigas te perdoam. Se vc é burra, suas amigas te perdoam. Mas tente ser bonita, simpática e inteligente ! Não tem perdão!” … kkkkkk

    As “amizades” femininas agem assim, agora, as poucas e verdadeiras amigas são TUDO na nossa vida, né?

    Bjo

  23. Elaine Barnes comentou:

    Oie!Fiquei muito feliz de ter colocado a síntese da Geisa. De encontro com a da Adriana ficou bem amarrado. O trabalho da Geisa como psicanalísta Junguiana aborda a mulher no Todo. Concordo com a explanação dela trazendo essa competividade para dentro,energéticamente se sobra em um lugar ,falta noutro. A distribuição dessa energia requer consciência para podermos equilibrar um pouco maisParece-me que tudo está meio superficial,esquecemos que só a leitura não nos tras vivência é preciso tempo e investimento para vivenciar a teoria e usufruir muito mais dos benefícios e também só o culto a beleza tras uma competição com final marcado, todos envelhecemos mostrar um corpo bonito e uma pele tratada faz parte da vida,cuidar do físico, sentir-se bem com ele…Só que somos muito mais que isso. Cada uma de nós tem algo para contribuir com o feminino e estamos esquecendo disso também. O foco da criatividade,imaginação,realização pessoal e isso é com a gente mesmo, não dá pra competir.Adorei o post. Um montão de bjs e abraços

  24. Elaine Battistel comentou:

    Lidi,

    Que tópico bacana! Pois é, existe sim a competitividade entre mulheres e não acho que esta competitividade natural seja em si prejudicial, porém a forma como se lida com ela pode sim ser algo questionável como foi a atitude da tal jurada.
    Também não acredito que isto esteja restrito às mulheres. Vi outro dia o mesmo tipo de atitude entre homens. Veja só: em uma festa de criança havia ali um moço fantasiado de um personagem herói contratado para entreter a criançada. A roupa era um pouco justa e deixava à mostra os músculos definidos do tal moço, que por sinal era super simpático com a molecada. Em determinado momento, os pais (em geral mais velhos e com barriguinha de cerveja), percebendo que as mulheres estavam elogiando o tal moço começaram um ataque velado, às vezes menosprezando seu trabalho, por outras questionando sua sexualidade. Fiquei pasma com a insegurança demosntrada por parte dos homens em geral.

    Bjs, Elaine

  25. Bia Silvestre comentou:

    Com certeza…concordo com você em relação que *ficou feio* não era momento nem hora para isso mas …como estamos sempre competindo faz parte….
    Sim nos arrumamos toda para que a amiga diga como esta linda …e quando temos filhos …arrumamos eles também para mostrar que somos demais rsrs……e assim vai ………
    Mas isso existe dês que o mundo é mundo …Algumas ligam mais outras menos, acho que tudo na vida sendo saudável e com limites ta valendo ……..
    Beijos

  26. Rose comentou:

    eu também vi esse programa…cada coisa não???
    Então sobre o bolo de maçã, mais fácil impossível e fica delicioso pra você que gosta de café…rs
    Hoje, fiz um pudim de maria mole e lembrei de você…
    Bjinhus e bom findi lindinha!!!

  27. Mahria comentou:

    É incrível essa competição entre mulheres, as vezes me arrumo pra ir pro trabalho ja imaginando o que “as” colegas vão comentar e não o que “os” colegas vão dizer rsrs.

    Bjs
    Mah

  28. Lourdes Carvalho comentou:

    Concordo plenamente.

    Isso tudo começou quando os homens descobriram que eles participavam da gravidez. Até então, a mulher era uma deusa por sangrar todo mes e não morrer e ainda ter a capacidade de dar a vida a um outro ser.

    Quando o homem descobriu que contribuia nisso e até então, eles sabiam e sabem da força da mulher, e nós somos geradas e criadas para ficarmos sempre contra a outra, para nao nos unirmos.

    Fico muito triste com essa atitude da mulher, eu também faço isso, estou me policiando, e aprendendo a mudar de atitude. Nós mulheres somos a primeira a julgar a outra, a condenar a outra.

    Precisamos mudar isso e então seremos unidas novamente, e o poder nos será dado.

    grande beijo

  29. Cláudia Ramalho comentou:

    Que ótimo post!!! Muito bem escrito, tema perfeito e ainda por cima, citando minha amiga do peito!!! Parabéns, Lidi!
    É isso mesmo, estamos sempre competindo. Sogras competem com noras, filhas com mãe e vice-versa, irmas entre em si, então? Nem se fala. Só Freud pra explicar, eu não tenho cacife.

    E a viagem, como foi? Eu estou louca de vontade de voltar pra casa.

    Bjks

  30. Tri comentou:

    Que safra ótima de post, moça. Já vi, já entendi… (hahahahaha tô perdendo muita coisas legal) mas tô lendo! Não vi esse programa, mas branquela do jeito que sou teria ficado vermelha com vergonha da tal jurada! Alma pequena! risos
    beijo beijo
    Tri

  31. Oticas comentou:

    Mulher é um bicho muito estranho neh ?! Ao invés de de juntarem e lutarem JUNTAS por seus direitos, ficam brigando entre si ! Quem nunca viu uma sogra competindo com a nora pelo coraçao do filho ? Ou duas amigas, brigando entre si pela atençao de um gatinho !? Isso acontece frequentemente, e nao conseguimos controlar ! Será que é instinto ? rsrs =) nem eu mesma consigo entender …

  32. Pingback: Você também tem problemas com a sogra?
  33. Trackback: Você também tem problemas com a sogra?
  34. Pingback: A competitividade entre as mulheres
  35. Trackback: A competitividade entre as mulheres
  36. Pingback: O que é ser mulher hoje?
  37. Trackback: O que é ser mulher hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *