Início » Comportamento » De repente você acorda e toma um susto: você é mãe!

De repente você acorda e toma um susto: você é mãe!

A convidada de hoje eu apresento com um gostinho pessoal a mais, porque eu a conheci num dia em que realmente estava aberta a novas amizades virtuais… e que bom que foi assim!

Você que acompanha o Bicha, sabe que é uma característica minha o constante desejo de interagir por aqui, mas há dias em que essa vontade é mais que latente, e me motivam a fazer posts como esse, em que convidei com mais entusiasmo as bichas fêmeas navegantes a tecerem algum comentário. Nesse dia, para minha sorte, a Flávia comentou. E que talento passeava nos bastidores do Bicha sem que eu soubesse!

Flávia é dona do blog “Casa da Flá”, um espaço que encanta os olhos logo que se chega porque o visual é meigo, feminino, bonito. Por ser artista plástica, talvez esteja aí a explicação para aquele espaço também ter conteúdo recheado com bastante sensibilidade. Mas também tem conteúdo prático, cheio de dicas. É que Flávia está envolvida com a reforma da casa, e isso resulta em tudo o que se possa imaginar quando o assunto é casa, decoração e coisas bem familiares a nós, que somos divas do lar.

O post que Flávia quis mostrar no Bicha é de uma delicadeza ímpar, tudo o que é dito parece ser mesmo próprio de uma alma feminina, e ouso dizer que você vai, sim, se emocionar. Posso falar? Me arrepiei, sorri de um canto a outro do rosto,  enternecida e tocada pelo que li. Só eu sou boba assim? Será? …hummmm…me conta depois?EmoticonShy

Por Flávia Zocoler – Casa da Flá

O que escrever para as “mulheres bonitas e de comportamento elegante; inteligentes e do bem; com boas ideias e bom papo” que frequentam esta casa tão acolhedora?

Resolvi falar sobre a vida… espero dar conta do recado!

Um dia você acorda e percebe que tudo mudou. Pisa no chão devagarinho, desapega-se da barriguinha esculpida por anos de academia e descobre que não pode mais viver sem filé de frango com morango picadinho.

Começa a comer espinafre aos montes, toma litros de água e compra batas, muuuitas batas. Troca “Marie Claire” por “Mamãe e bebê”.

Desconfia que virou o Sol e tem certeza quando o mundo inteiro só tem olhos para você.

Chora fácil, muito e muitas vezes.

De repente percebe como o planeta é lotado de crianças e passa a se importar com elas.

Descobre as lojas de brinquedos, inclui o Discovery Kids aos seus canais favoritos e perde completamente a noção do preço das coisas quando chega em casa com um macacãozinho que custara três vezes mais que aquela bolsa lindíssima e absurdamente cara da vitrine do shopping.

Dorme cedo, acorda tarde e dorme a tarde. Come por dois sem culpa.

Flá Escuta pela primeira vez seu coraçãozinho bater e chora… encanta-se, apaixona-se.

Passa horas pensando em rosa e azul, berços e mamadeiras.

Sai para tentar avistar terra firme, pois o enjoo já a obrigou a trocar de creme dental inúmeras vezes.

E um dia ele mexe. E você pára. E pára novamente todas as vezes que ele se mexe.

De repente você se acostuma com a ideia de que todos, a qualquer momento podem conversar com sua barriga e tocá-la e assustada percebe que seu bebê não é só seu, e que o mundo inteiro está grávido dele.

Numa manhã de sol tudo fica pronto e o primeiro choro é prefácio de uma nova história.

Sem manual chegam em casa. E juntos aprendem a ser mãe e filho. Passam a vida acertando, errando e perdoando.

Descobre, no meio de uma das muitas madrugadas em claro sua infinita capacidade de amar. E na primeira noite que ele dorme tranquilo você percebe o quanto depende dele para ser feliz e passa a noite acordada contemplando o milagre da vida.

E amamenta, troca fralda, e amamenta, leva ao pediatra, e amamenta e chora junto na primeira vacina.

Faz dormir no colo, dá banho de água mineral, pensa em lhe comprar um capacete quando ele ensaia os primeiros passos.

Fica inconformada quando no primeiro dia de Maternal despede-se com beijo e sorriso, sem esboçar nenhuma tristeza.

Flá 1 E um dia você acorda e percebe que tudo está diferente de novo. Pisa no chão devagarinho, apaixona-se novamente. E ouve mais uma vez a doce melodia do amanhecer de uma nova história.

Sorri ao descobrir que agora são dois corações seus que batem fora do seu peito e que se olham com o amor que só a cumplicidade dos irmãos explica. Pede a Deus que aquele instante dure para sempre.

Olha mais de perto e reconhece os traços de quem você ama misturados aos seus. Sente a brisa da imortalidade.

E você pára mais uma vez. Tem a certeza de que é absurdamente feliz e que os filhos são a melhor parte da vida, a expressão máxima do amor.

Bjsss carinhosos a todas as bichas fêmeas!

Flávia Zocoler

Mais sobre maternidade no Bicha Fêmea…

A educação dos homens e mulheres de amanhã…

E a educação vem de berço?

Maternidade – um aprendizado que requer inteligência.

Filho de ecomãe, ecofilho é?

52 comentários sobre “De repente você acorda e toma um susto: você é mãe!”

  1. Patrícia Pirota comentou:

    Ai que lindo!
    Me arrepiei todinha com esse texto tão sensível bonito.
    Parabéns, Flávia!!!
    Eu não tenho o dna materno, e tampouco a vontade de ter filhos, mas me encanto com as mulheres que são mães de verdade. Que carregam em si esse amor, essa dedicação, esse respeito pelos pequeninos que sairam de dentro de si…
    Parabéns por ser mãe [de verdade] e pelas palavras tão belas…

    Beijo pra você.

    Lidi,
    Você, além de escrever como ninguém, ainda tem o dom de encontrar pessoas incríveis.
    Isso é que é talento pra anfitriã, viu =)
    Beijo procê.

  2. Loraine comentou:

    Nooooossa! Que texto lindo!

    Compartilho todos estes sentimentos com você, Flavia. Realmente não dá pra saber quanto amor a gente pode sentir pelos pequenos.

    Lidi, vc é o máximo mesmo, hein. Parece uma lupa procurando (e achando) gente boa.

    beijos

  3. Cláudia Ramalho comentou:

    Acho que eu estou particularmente sensível hoje. Minhas lágrimas não param de rolar!

    Que texto belíssimo! Benza Deus a boca e mente dessa mãe! Ela disse com todas as palavras e sentimentospossíveis o que é ser mãe de forma tão emocionante como eu nunca teria feito.

    Eu a parabenizo, Flávia, e estou tão emocionada que deixarei para visitar seu blog outro dia, pois se palavras são alimento para a alma, eu vou digerir as suas com cuidado hoje, mais do que isso poderia me causar uma baita indigestão.

    Obrigada por esses momentos!

    Lidi, vc sempre com ótimas indicações!
    Boa noite.

    Cláudia.

  4. Rejane Batista comentou:

    Isso tocou no fundo. Deu vontade de ser mãe. Ai ai…
    Acho que você também suspirou né Lidi?
    Deste jeito como foi descrito pela Flá encanta qualquer uma.
    Vou lá conhecê-la.
    BjOs.

  5. Cláudia Ramalho comentou:

    Já li 3 vezes e ainda não parei de chorar!

  6. Rose comentou:

    Lidiane e Flávia Parabéns…a Lidiane por ter encontrado a Flávia e a Flávia por ter nos encontrado através da Lidiane e nos proporcionar um texto tão lindo, empolgante, emocionante e que tudo isso que você escreveu eu já senti 2 vezes igualzinho e morro de saudades de tudo …de não ter hora pra dormir, não ter hora pra almoçar, não ter hora pra acordar…ter que acordar no meio da noite tropeçando em tudo e chegar no quarto e aquela coisinha tão pequenina te abre um sorriso que você se desmonta…de nunca mais dormir a noite inteira, quando são pequenos você acorda porque eles estão doentes ou apenas para ver se está tudo bem, quando estão crescidos você não dorme tranquila enquanto não ouvir o barulho da chave na fechadura…ai sim você respira aliviada e olha pro relógio 5, 6 horas da manhã…
    Só quem é MÃE (existem MÃE e mãe) sabe do que você e eu estamos falando…
    Eu sou muito egoísta, isso é um dos meus maiores defeitos e nunca acreditei que pudesse amar alguémassim sem pedir nada em troca e sem cobranças…
    Literalmente um amor incondicional…
    Grande beijo meninas!!!

  7. Elaine comentou:

    Olá!
    Lendo a sua introdução eu fiquei pensando em quantas mais não andam por aqui sem se manifestar, sem se apresentar, sem um oi…
    Mas tudo tem seu tempo, né?
    Vou lá conferir o blog dela.
    Beijos, querida.

  8. Elaine Battistel comentou:

    Adorei, adorei, adorei! Traduz exatamente as duas vezes que me senti sol! Amei ficar grávida, amei carregar barriga e alisá-la sem parar. E amo olhar para estas “coisinhas” pequenas que saíram de mim e pensar, num misto de espanto, incredulidade e amor infinito: “como pode, meu Deus, acontecer tal milagre?” E me sinto feliz.
    Conheci o amor e me casei. Achei que este seria o único maior sentimento que poderia existir. Quando nasceu meu primeiro filho, descobri um tipo de amor diferente, amor de mãe, um amor infinito e de tão infito que era, ao ficar grávida novamente pensei se seria possível dividí-lo com outra pessoinha. Nasceu minha filha, e descobri que desde o começo a amei infinitamente também, não foi preciso dividir mas sim somar.
    Amo-os infinitamente, difícil explicar em palavras…

  9. Flávia comentou:

    Olá, Lidi!!

    Muito obrigada pela generosidade de suas palavras e pelo convite em fazer parte aqui do Bicha. Estou feliz, feliz…

    Bjsss mega carinhosos!!

    Flá

  10. Luci comentou:

    aaahh que lindo!!!
    nem sei o que escrever… ao mesmo tempo tanta coisa me passa pela mente e pelo coração.
    eu não vivi essa experiência, mas acho que é a coisa mais linda que uma mulher pode vivenciar.

    parabéns prás duas!! quem convidou e quem escreveu 😉

    bejãooooo

  11. Flávia comentou:

    Patrícia,
    você também brinca com as palavras com maestria, por isso fico muito lisonjeada com seu carinho. Obrigada…

    Loraine,
    é o tal “amor sem medidas”, não é mesmo? Nem a gente sabe ao certo como consegue amar tanto…

    Claudia,
    muito obrigada… quando a gente escreve com o coração, as palavras acabam ficando mais bonitas!

    Rejane,
    dou a maior força! Ser mãe é a melhor experiência da minha vida. Você vai amar!!

    Rose,
    a maternidade nos transforma em alguém infinitamente melhor, não é mesmo? Nos ensina a ver o outro…

    Elaine,
    acredito que quando estamos grávidas sentimos Deus ainda mais próximo de nós, fazemos parte de um milagre. Eu morro de saudades das minhas barriguinhas, da sensação de ter alguém crescendo dentro de mim… é tão maravilhoso, não é mesmo?

    Bjsss meninas! Muito obrigada pelas doces palavras…

  12. Fabi comentou:

    Nossa, Flávia! Que texto lindo! É tão sincero, amoroso e verdadeiro que toca qq um bem fundo. Peço licença de fazer suas minhas palavras, tb me sinti e me sinto assim com Sophia. Não sei se poderei ou terei outros filhos, mas certamente foi a melhor experiência da minha vida. E é um aprednizado eterno, né? Cada dia uma novidade… 🙂 Beijão nos 4, Flávia, os pimpolhos e Lidi.

  13. Sheila comentou:

    Oi Lidi, adorei o texto, realmente a maternidade é uma coisa linda, engraçado pois sinto como se não houvesse vida antes deles…estranho né?
    Beijos!

  14. Leticia comentou:

    Parabéns Flávia!
    Me emocionou muito o seu texto! Eu não posso chorar porque estou no escritório, mas faltou só um tantinho de nada pra isso.
    Eu não tenho filhos, mas desejo sentir isso que vou transmitiu com as suas palavras tão lindas!
    Beijo grande!

    Lidi,
    ótima escolha!!!! Mto lindo o post e a indicação da Flávia! Dei uma olhada rápida no blog dela… tem o mesmo template que o meu… mas tudo bem! Vejo que ela tem bom gostooo!
    Beijo,

  15. Alexandra Segantin comentou:

    Lindo!!! Emocionante mesmo…me vi em cada linha que a Flávia escreveu…tô com os olhos marejados (só pra variar). Ser mãe é sim, a melhor coisa que pode acontecer pra uma mulher. Ah…a gente também sofre… mas não troco esse espetáculo por nadinha desse mundo! Parabéns pela escolha Lidi! Não conhecia o blog da Flávia, mas já adicionei aos meus favoritos (essa listinha não para de crescer…rsrs). Beijo e bom final de semana!

  16. rosi costa comentou:

    Que texto gostoso, dá para sentir a emoção dessa mãezona daqui.

    Flávia, vc brincou com as palavras de uma forma bem singela. Adorei mesmo, vou lá conhecer teu cantinho e espero que vc apareça no meu. Inclusive hj tem a entrevista de uma blogueira especial que tá se preparando para receber mais uma benção em sua vida. Passa lá prá conferir.

    Lidi, a escolha foi acertada mais uma vez, adoro gente, adoro ler sobre elas. As fotos ilustrando ficaram belíssimas e o sorriso tá muito especial.
    Hoje lá no Mundinho tem uma entrevista muito, muito especial para mim. Confere lá. Tenho certeza que vc vai gostar.

  17. Isabel comentou:

    Lidiane, fiquei muito tocada e emocionada, a ponto de me virem lágrimas aos olhos!! QUe depoimento lindo! Nunca vi um depoimento de mãe tão bonito em que eu me identificasse tanto. Quem não tem filhos, seja lá por que motivo, quando ler isto vai pensar em querer ter!! Lindo mesmo!! Beijos

  18. Ana carla comentou:

    chorei, óbviu. Quem já viveu isso que a Fla escreveu… entende cada palavra. Ai Jesus, é muita emoção.

    Bjs

  19. Fabiana Correia comentou:

    Que palavras lindas, envolvente e de um amor sem igual.

    Hoje só li textos assim, que tocam ao coração, te fazem pensar!

    A Verônica falou sobre isso lá no criative-se. A Rosi está com uma entrevista maravilhosa com a mamãe Lucia, tô aqui transbordando de felicidade e plena por saber que a vida é tão boa e a gente é que faz mal uso dela.

    O amor de mãe é incondicional, e vc, Flávia, escreveu de um jeito sem igual.

    Beijos carinhosos.

    Lidi, só vc mesmo p tornar isso aqui nossa casa.

    Bj!

  20. Fla comentou:

    Chorei…
    Nossa que lindo…que emoção gostosa de sentir isso nas suas palavras mesmo não sendo mãe ainda.
    Obrigada Flávia por dividir isso de maneira tão suave e linda, com todos nós.

    Um beijo e um abraço apertado.
    Fla

  21. ruby fernandes comentou:

    Que texto é esse meu Deus! Como você escreve bem Flávia querida.
    Achei tão lindo que salvei nos meus favoritos.
    Fiquei arrepiada.

    Lidi, mais uma vez este espaço se superou. Parabéns amiga, seu blog é tudo de bom.
    Muitas bjokas.
    Ruby

  22. Veronica Cobas comentou:

    Lidi e Flavia,

    Já gosto desse tema, tanto que até falo dele hoje no blog. E não é melhor nem pior do que aquelas que optam por não experimentar a aventura de gestar. É só diferente. E único. E grande. E intenso. E marcante. A vida nos possibilita tantas e tão meteóricas emoções. Talvez seja isso, mas com o ingrediente a mais: é o meteoro, mas que vem junto com os movimentos de rotação e translação, fazendo das que experimentam mais que aventura, história.
    Texto lindo. beijo grande. Vê

  23. Silvana Mello comentou:

    Que texto emocionante! Voltei no tempo, e me senti enlevada e embalada pelas palavras… Passei para dizer oi e aiiiii… fiquei mexida.
    Tem brincos novos pequenos no meu blog, passa lá para uma visitinha. Bjusss http://investidajoias.blogspot.com

  24. yvone comentou:

    Lugar de gente elegante e sincera é aqui!
    Prazer em conhecer mais uma pérola.
    Muito bem escrito e totalmente verdadeiro.
    Parabéns!

  25. Claudia de Paula comentou:

    Fla,que pessoa linda voce e’ ! E como escreve bem !
    Conseguiu com algumas palavras definir a palavra “mae”. Gostei do: ” Chora fácil, muito e muitas vezes.” Pois e’….verdade..snif,snif…
    Ja estou seguindo seu blog e ja virei sua fa. Foi um prazer imenco te conhecer !

    Beijos no coracao !

    Ah, e Lidi…Obrigada por compartilhar conosco essa pessoa
    maravilhosa !

    Bjs !

  26. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Por nada, Claudia! 🙂
    :*

  27. Luci comentou:

    Bom diaaa!!!

    Adorei essa de responde no post das pessoas . 😀

    Não estou conseguindo comentar no post do final de semana 🙁

    bejusss

  28. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Viu, Luci!
    O “trololó” está evoluindo… kkkkk…

    Diz uma coisa, eu respondo no blog, mas isso não vai parar no teu e-mail, vai? 😮

    Oh! Acho que está tudo ok com os comentários, porque o povo está comentando…

  29. Roseane comentou:

    Nossa… que lindo texto….
    Gente fiz questão de salvar esta página em meu pen drive vou ler mais vezes em casa, estou no trabalho…. bom fim de semmm..
    Bejussss…

  30. Laély comentou:

    Lidi: tive o privilégio de “conhecer” a Flávia, por ocasião da promoção do blog( ela foi uma das ganhadoras e como dá pra perceber, com muita justiça!). Desde lá seguimos, trocando impressões via blog, meu e dela. Agora, privilégio você nos deu, de conhecer mais uma face da Flávia que não conhecia: a sua própria.
    Flávia tem o dom de colocar em palavras e descrever em poesia o dia-a-dia.
    Ser mãe é isso tudo aí e mais um pouco.
    Abraço pra todas as mães que se identificaram com o texto da Flávia.

  31. Nara comentou:

    Como é bom ser mãe. Parece que ela olhou dentro de mim e disse essas coisas. Ser mãe, é matar um leão por dia. E um viva pras mães!

  32. Flávia comentou:

    Luci,
    pode ter certeza, ser mãe é a coisa mais maravilhosa do mundo, acredite!

    Fabi,
    temos algo em comum, minha mocinha também se chama Sophia! Ser mãe é realmente um aprendizado eterno de amor e paciência…
    Obrigada pelas palavras tão carinhosas!

    Sheila,
    você disse tudo! Acho que nascemos de novo mesmo, nascemos como mães…

    Letícia,
    muito obrigada pelo carinho. Quando você tiver seus pequenos vai perceber que ainda faltam palavras para descrever a grandiosidade deste sentimento. É bom demais…

    Alexandra,
    muito obrigada, viu. Tem coisa melhor do que ser mãe? Eu ainda não conheço. Ser avó, talvez?

    Rosi,
    muito obrigada. Vou lá conhecer seu cantinho…

    Isabel,
    fico imensamente feliz que você tenha gostado! Filho é bom demais… transforma a vida da gente para muiiiito melhor!

    Ana Carla,
    Obrigada menina… fiquei muito contente com suas palavras…

    Fabiana,
    muito obrigada por suas palavras tão carinhosas…

    Puxa, Flá… eu que tenho que agradecer tanto carinho…

    Ruby,
    você é que um doce… obrigada viu?

    Verônica,
    muito obrigada! Você também encanta com suas palavras. Fico lisonjeada com seu comentário…

    Silvana,
    que bom que meu texto lhe trouxe boas recordações…

    Yvone,
    muito obrigada!
    O Bicha é realmente um lugar de pessoas muito especiais!

    Claudia,
    muito obrigada por suas palavras tão generosas…

    Roseane,
    muito obrigada…

    Laély,
    você, como sempre uma amor! Obrigada, viu?

    Nara,
    três vezes viva!!

    Beijos, meninas… e muito obrigada!

  33. Flávia comentou:

    Meninas,

    quando fiu convidada pela Lidi para escrever este post, confesso que senti um friozinho na barriga, afinal escrever aqui no Bicha é uma tremenda responsabilidade.

    Quero agradecer de coração todas as palavras tão carinhosas e tamanha generosidade.

    A beleza está na verdade em vocês, pois a gente só enxerga no outro o que trazemos em nossos corações.

    Beijos carinhosíssimos em todas vocês!

    Lidi, obrigada por me proporcionar esta grande alegria!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *