Início » Comportamento » Maternidade – um aprendizado que requer inteligência

Maternidade – um aprendizado que requer inteligência

Não faz muito tempo que encontrei a Claudia, do blog “Feito a Mão”, na blogosfera. Na verdade, ela me encontrou. Li o comentário que ela deixou no Bicha quando ainda estava fora, no meu último recesso.

Chamou a minha atenção o entusiasmo dela pelo que havia encontrado por aqui. Claro estava que ela gostou muito desse espaço, e logo que li o comentário, fui me sentindo mais feliz e recompensada por tê-la agradado tanto com tudo o que há por aqui. Desde então, as visitas (virtuais) em mão dupla jamais pararam…

O fato é que Claudia é uma blogueira muito elegante com as palavras, escreve posts no “Feito a Mão” que são uma delícia de serem lidos, escreve para a mulher moderna e inteligente como nós, que somos críticas e queremos aprender.

Claudia fala suas impressões da vida com visão sempre muito lúcida, enquanto permeia a conversa mostrando as manualidades de que tanto gosta. É arteira e artista. É uma mulher multitarefa, por assim dizer…

Por Claudia Ramalho – Feito a Mão

MATERNIDADE – UM APRENDIZADO QUE REQUER INTELIGÊNCIA

Tal qual Cecília Meireles, eu tenho cá minhas fases. Ora estou mais para a cozinha, ora me deleito com a costura. Ora me inclino para os bordados, ora para os artesanatos em geral. Ora me entrego à fotografia, ora me volto para o digital scrapbooking.

E há também aquela hora em que não quero fazer absolutamente nada além de observar o tempo passar e ver minhas filhas brincando, sem interferir… quieta… invisível… gravando na minha memória esses momentos raros e tão especiais que logo, logo, só existirão aí, nas minhas lembranças.

www.bethkrommes.com Dizem que a maternidade nos torna mais inteligentes. Katherine Ellison, uma escritora americana, estudou o assunto e publicou “Inteligência de Mãe” (Ed. Planeta). Segundo seus estudos, não se trata de aumento de QI (quociente de inteligência), o upgrade seria na inteligência emocional.

Alguém aí duvida que a maternidade seja um exercício diário de muitas características que compõem o conceito de inteligência emocional, como empatia, sociabilidade e motivação? Eu não.

A maternidade muda tudo, minha amiga. Desde o nosso corpo à nossa concepção de mundo. Mudamos as nossas prioridades e aprendemos, à força, a fazer o que for preciso para deixar nossos rebentos mais felizes.

Não é raro encontrar uma mulher, que nunca tinha entrado numa cozinha, aventurando-se a fazer sopinhas e papinhas para seu bebê.

www.bethkrommes.com (2) Comigo não foi diferente. Eu me apresento como uma mãe inventiva e curiosa que gosta de meter a mão na massa e fazer de um tudo um pouco para que a infância de suas filhas seja uma experiência alegre e prazerosa da qual elas sintam saudades quando crescerem.

Quando decidi criar um blog, tive a intenção de compartilhar minha experiência “faça você mesma” e mostrar que é possível criar coisas belas, simples e personalizadas, mesmo sem ser artesã profissional. Lembrar que nós não precisamos comprar tudo pronto, embora às vezes isso é necessário e muito prático. E deixar claro que nada se compara a falar de boca cheia, após ouvir um elogio: – FUI EU QUE FIZ, OBRIGADA.

Tudo que eu faço é, de certa forma, em função das minhas filhas. Se cozinho, é pensando em abrir-lhes o apetite; se bordo é para personalizar-lhes as peças de cama, mesa, banho e roupas em geral; quando invento de fazer um artesanato é para incrementar-lhes as festinhas; se enfeito as fotos de uma viagem num álbum de scrapbooking digital, também é por causa delas. Enfim, meu talento está intimamente vinculado à maternidade.

www.bethkrommes.com (3) Se fiquei mais inteligente depois que virei mãe? Não creio. Mas com certeza a maternidade me deu motivação para aprender tudo o que eu preciso. Se não sei algo, corro atrás de um tutorial, um livro, um site e não sossego enquanto não aprendo.

E ao mesmo tempo em que gosto de aprender, sinto um prazer enorme em compartilhar, seja uma técnica nova, uma dica valiosa, um macete… Porque se há uma coisa que mulher sabe fazer bem, desde as épocas das cavernas, é sociabilizar – trocar informações sobre tudo: desde recomendações alimentares a dicas de entretenimento infantil.

E alguém ainda duvida que ser sociável é ser inteligente?

Imagens: Beth Krommes

Mais sobre maternidade no Bicha Fêmea

Filho de ecomãe, ecofilho é?

A educação dos homens e mulheres de amanhã.

A educação vem de berço?

De repente você acorda e toma um susto: você é mãe!

23 comentários sobre “Maternidade – um aprendizado que requer inteligência”

  1. Cláudia Ramalho comentou:

    Minha amiga, Lidi, estou tão emocionada com sua apresentação… me faltam palavras. Adorei a forma como expôs o post, e as gravuras que escolheu (como eu já imaginava) complementam perfeitamente o que eu busquei transmitir.

    Minha empolgação pelo Bicha fêmea só aumenta a cada dia. Gosto de originalidade e de pessoas autênticas que mostram suas ideias e impressões do mundo, sem desrespeitar opiniões divergentes. Vc é a concreção disso tudo num misto de cordialidade, educação, gentileza e inteligência.

    Gosto muito de tu, visse?

    Quanto ao post lá do meu cantinho… vc está certíssima em dizer que cuidar da nossa saúde é coisa que independe da maternidade. Mas é que com ela nós ficamos meio ofuscadas… parece que não temos tempo para mais nada… a mente não dá conta de tanta informação e acaba nos colocando no finalzinho da fila… acho que seu comentário merece uma atualização.

    Boa sorte na cirurgia.

    Um beijão enorme e muito obrigada por tudo.

  2. Fabiana Correia comentou:

    Adorei esse Bicha Fêmea em foco, exatamente o que a Claudia nos passa é isso mesmo: de uma mãezona que quer tornar a infância de suas filhas mais prazerosa.

    Claudinha, és uma pessoas especial e hiper prendada. Merecestes em gênero, numero e grau uma postagem aqui no Bicha.


    Lidi, parabéns pela escolha!

    Bj grande!

  3. yvone comentou:

    Minha querida amiga Lidi

    Tu sabes que tenho andado muito por essa web e elegi esse cantinho para ficar atualizada com “o rumo da prosa”. Explico: Além das dicas que você tem dado, a parte do blog “Bicha Femea Convidada”, é sempre enriquecedora.
    Oportunidade BEM real para todas as “Bichas”, de todas as classes sociais, que trabalhem fora de casa ou não, que ainda cuidam da casa, dos filhos, do seu relacionamento com o marido ou parceiro; seja que elas morem no interior, em outro país, numa favela ou numa bela casa – TROCAR informações, opiniões e sentimentos.

    No post anterior falei que não ia alongar, mas vc. me provoca e eu tenho que vir aqui toda hora.
    Agora venho parabenizar a Claudia por se posicionar tão bem em sua vida de esposa, mãe, e trabalhadora, e fazer de suas palavras a minha: “ De que adianta a gente aprender a fazer algo e não passar adiante o conhecimento? A maioria das coisas que eu faço, aprendi sozinha, em revistas, na internet, pesquisando muito”.

    Identifiquei-me imediatamente com ela, porque tudo o que sei hoje foi estudando muito (na maioria das vezes sozinha), lendo, pesquisando e aprendendo aprendendo e aprendendo sempre!

    Quisera eu ter a consciência que ela já tem agora (ainda é nova e está começando a família), e poder ter em minha época de início de vida a dois internet, TV a cabo e outras cozitas mas.
    Mesmo assim tenho dúvida se conseguiria me expressar tão bem.
    Não me lembro de ter sido tão lúcida, ágil, talentosa e inteligente como ela quando estava começando a vida. Eu aprendi t u d i n h o e mais um pouco, mas foi muito difícil.

    A Claudia com seu jeito de ser e de viver, elucida melhor e desmente um pouco o falso MITO da mulher moderna que diz:
    – “Não quero saber de homem, quero trabalhar, ser dona do meu nariz, atingir as minhas metas e fazer tudo o que eu não fiz até agora“. . Passando como um trator por cima de seus próprios sentimentos, pois “elas” pensam que se deixar que os seus sentimentos governem a sua vida, não poderá atingir os seus objetivos.
    Isso não é verdade, e talvez nunca tenha sido.

    Parabéns e foi um prazer enorme ter conhecido uma mulher moderna, sociável, inteligente e de bem com a vida!
    muito bom o blog…visitei bastante e indico. Vou indicar tb.
    bjk

  4. KAROL comentou:

    QUE ESSA BICHA CONVIDADA É INTELIGENTE NÃO EXISTE DUVIDA, NEM QUE É UMA MÃE PERFEITA, NEM QUE ESCREVE MUITO BEM, QUE SEU BLOG É DELICIOSO MUITO MENOS.
    QUANDO FUI A BICHA CONVIDADA ELA FOI MUITO CARINHOSA INDO COMENTAR MEU POST LÁ EM CASA TAMBÉM, DAÍ FUI VER SEU PERFIL E LÁ ELA ESCREVEU: “QUEM SE ROTULA, SE LIMITA”,
    ME CONQUISTOU DE VEZ NÉ!!!
    E VC MINHA AMIGA BICHA FEMEA MOR, COISA MAIS LINDA O JEITO QUE VC FALA DAS SUAS CONVIDADAS!!!
    BEIJOSSS BEM GRANDÕES PRAS DUAS!!!

  5. Fátima comentou:

    Oi Lidi!
    Oi Cláudia!
    Ótimo texto, parabéns!
    Bjs.

  6. Fabiana comentou:

    Lidi, a Claudinha arrasou, hein? Que texto lindo, bem escrito, e melhor, que descreve tão bem os sentimentos da maioria das mulheres que experimentam a maternidade. Parabéns, Claudinha! E obrigada Lidi, por nos permitir conhecer mulheres tão especiais! Beijão, Fabi.

  7. sonia sousa comentou:

    adorei essa bicha e este texto…acho que a maternidade torna-nos é mais ilimitados…fazemso coisas eplso filhso que nem imaginavamos …
    beijinhos nas duas

  8. sonia sousa comentou:

    ah esqueci-lidi tem mimo lá no blog

  9. rosi costa comentou:

    Claudinha, mais uma vez arrasou.
    Sabe o quanto gosto da maneira que escreve, percebo um cuidado com as palavras, a sua colocação sem ser imposição. Perfeito.
    E sabemos que todas nós passaremos por essa fase, se assim já não estão, e isso não quer dizer apenas com filhos, qualquer criança próxima, como sobrinhos e primos, despertam em nós esse comportamento.
    Adorei o tema, adorei a escolha (merecedíssima).

    Lidi, que história é essa de cirurgia? Está tudo bem? Tomara que sim.
    Uma beijoca prô cê.

  10. Sheila comentou:

    Lindo texto, é isso mesmo, me vi em cada linha, a maternidade me trouxe serenidade, paz, vontade de viver mais de conquistar o mundo pros meus filhos.
    Vou lá conhecer o espaço da Claudia!
    Beijos e bom final de semana!

  11. Rafaela comentou:

    Oi Lidi,

    Não consigo deixar um dia de passear por esses blogs de vcs! Está se tornando um vício, “delicioso”, que fique bem claro, rs!

    O modo como vc se expressa, assim como a Cláudia também, é algo realmente fascinante! Quisera eu um dia conseguir transmitir meus sentimentos, opiniões e etc, dessa maneira tão tranquila como vcs os colocam.

    Estão de parabéns e que, assim continuem, cada dia mais!!!

    Beijos grandes
    Rafa

  12. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oi, Claudia!
    Ufa! Ainda bem que você gostou das imagens. Queria achar algo bem legal para ilustrar o teu texto, e achei que o resultado tinha ficado bom. Já que você aprovou, fico mais tranquila…

    Obrigada pelos tantos elogios ao Bicha e a mim. Você é sempre muito gentil, e sabe disso. 😉

    Ah! E eu também gosto muito de tu, bicha. 😀

    Oh! Já estou ficando bem atenta a tudo que a maternidade traz, inclusive a falta de cuidado com a gente mesma, que só tem olhos para as crianças. Já entendi que quando for mãe preciso aprender de uma vez por todas a colocar a máscara de oxigênio em mim antes de qualquer outra coisa. 😉

    E aprendo muito com você…
    Beijos, bonitona!

    Oh, Yvone!
    Muitíssimo obrigada pelos elogios ao Bicha em seu comentário, viu?

    E tudo, tudinho que disse sobre a Claudia é verdade mesmo. A bonita é show de bola! 🙂

    Beijos!!!!

    Oi, Sonia!
    Falou em selinho? Vou lá correndo buscar, bicha! 🙂
    Obrigada!!!!

  13. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oi, Rosi!
    Então, vou fazer uma cirurgia nos próximos dias. Mas não é nada demais, bicha. Serão só 3 furinhos na barriga. 😉

    Obrigada por perguntar, viu? 😀
    Beijos, bonitona!

    Oi, Rafa!
    Obrigadíssima pela parte que me toca nos elogios. 😀
    Fico lisonjeada.
    Beijos, bonita!!!

  14. Fla comentou:

    Claudia, parabéns pelo texto lindo e tão bem escrito.

    Puxa, sabe que ultimamente pra todo lado que e ando na blogsfera tem alguém falando em ser mãe, ter filhos…acho que é um sinal…rs. Deixa meu marido ler isso! Rs…

    Mas sabe que eu vejo muito do que você escreveu pensando na minha irmã e no filho dela. É engraçado ver como ela realmente mudou, nas atitudes, no pensamento, até mesmo na sua força. Ela se tornou uma mulher diferente e mudou muito, para melhor. E sabe, tô doida pra descobrir como eu vou ser quando me tornar mãe.

    Beijos,
    Fla

  15. Keka comentou:

    Amiga,
    como dizem por aí foi “um gancho de direita”.
    direta mesmo!
    espero que a pessoa que queria fazer “refletir” tenha lido e mais: refletido!
    Adorei seu e-mail!
    Você não faz idéia do quanto eu refleti sobre ele.

    vou me atualizar nas suas postagens agora e depois volto p/ comentar mais!!!
    beijocas

  16. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oi, Keka!
    Então tá, bonita!
    Que o post tenha cumprido o seu papel, então. 😉
    Beijos!!!

  17. Cláudia Ramalho comentou:

    Sabe o que eu mais gosto no bicha fêmea? Essa oportunidade que a Lidi nos proporciona de conhecermos umas às outras: cada uma numa cidade, num estilo de vida, numa situação diferente, falando um pouco de seu mundo, de suas opiniões e ouvindo as experiências alheias.

    Acho isso de uma riqueza ímpar! Onde mais na blogosfera nos sentamos como numa sala de visitas, papeando sobre assuntos sérios ou divertidos, refletindo e interagindo desse jeito?

    Adorei ler os recadinhos de cada uma de vcs e fico muito feliz pela oportunidade de conhecê-las.

    Obrigada, Lidi, pela chance de conhecer pessoas tão interessantes, inteligentes e simpáticas.
    BJs

  18. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oxe, Claudia!
    Eu quem agradeço de você querer escrever para o Bicha, e se mostrar em sua essência, enriquecendo tanto esse espaço.

    O Bicha tem crescido cada vez mais em números de acessos, e certamente isso acontece em função do espaço gostoso de interação e “trololó” virtual de igual para igual. Isso é ótimo, e todas nós que circulamos em torno do Bicha Fêmea é que ganhamos.

    Sempre quis que o Bicha tivesse um caráter de comunidade, point virutal, e não de blog. Fico muito, mas muito feliz de ver que gradualmente (devagar e sempre) isso está se concretizando.

    Mais uma vez, obrigada a você. 🙂
    Beijos, bonitona!

  19. mácia comentou:

    ainda não tinha comentado nada no seu blog, apesar de adora-looo…más hoje fiquei emocionada com todas essas suas palavras de maezona… e lhe digo que é isso mesmo. lembrei-me que nunca fui muito boa em matemática apesar de ser formada em adm e quando meu filho começou a precisar de mim nas lições de casa em que a matematica era realmente difício. pla! tive que aprender de verdade para socore-lo… e é isso, mãe é como diz o ditado, padecer no paraiso beijos!

  20. Pingback: Da vocação do Bicha Fêmea para assuntos de mulher… | Bicha Fêmea
  21. Trackback: Da vocação do Bicha Fêmea para assuntos de mulher… | Bicha Fêmea
  22. Pingback: Homenagem no dia das mães 2010 | Bicha Fêmea
  23. Trackback: Homenagem no dia das mães 2010 | Bicha Fêmea
  24. Júlia Vieira comentou:

    Oi Lidiane que belo texto este da Cláudia.

    Como você sabe eu não tive a felicidade de ser mãe, cada vez me doi mais, quando leio e vejo crianças brincando levando suas vidinhas.
    Mas uma coisa eu fui, fui FILHA, adorei a minha mãe, dei valor a tudo o que ela fez por mim e hoje que a perdi (há pouco tempo) dou comigo a perguntar-lhe o que ela faria naquela ocasião e peço sempre que me guie e junto com Nossa Sra. me ilumine o caminho.
    Tenho muitas amigas mães, para elas e para as que não conheço PARABENS atrasados, que consigam orientar os vossos filhotes, eles são o principal, mas não se esqueçam de vocês, até porque eles gostam de ver as mães lindas e perfumadas (dito pelas minhas filhas postiças).
    Beijos
    Julia Albuquerque Vieira

  25. Pingback: A educação das crianças vem de berço?
  26. Trackback: A educação das crianças vem de berço?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *