Início » Corpo » Beleza » O que é ser escrava da beleza?

O que é ser escrava da beleza?

dl6.glitter-graphics.net Compreendo que seja muito bom para a mulher dar valor aos aspectos da beleza, porque sentir-se bem quando se olha no espelho é extremamente favorável para a auto-estima. Eu mesma me preocupo e tenho os meus rituais de beleza diários. 

Mas, sinceramente? Quando leio sobre estética e vejo o bombardeio de novos tratamentos e produtos com o apelo da garantia da fórmula da juventude, concluo que se a gente não tiver cuidado, vamos nos tornar escravas da beleza. Quanta exigência velada que há para que sejamos um modelo perfeito do que é dito ser belo! Pelamor! 

i7.photobucket.com Acredito que deva haver um equilíbrio, o que tornaria nosso apreço pela beleza, que acredito ser feminino por natureza, muito mais saudável e menos chato muitas vezes. Sim, acredito que o exagero deixa a mulher chata e fútil… 

Qual o ponto de equilíbrio? Confesso que não sei. Quem será que sabe? Penso que procurá-lo e mantê-lo merece nossa atenção, e deveria ser um compromisso pessoal constante, porque com a exigência que existe por aí nas mídias cujo público alvo é o feminino, é fácil de a gente sucumbir ao apelo. 

Fico daqui pensando no que torna uma mulher escrava da beleza. Qual seria o ponto em que ela se encontre e que a faça ter essas características, e assim revejo meu comportamento porque definitivamente não quero ser assim. Não quero ser como as que somente pensam nas novas técnicas de embelezamento artificial, no novo lançamento daquela marca famosa de cremes, naquela dieta miraestrambólica, ou a que se submete a faca na mesa de cirurgia como quem vai ali e volta já… 

Penso que beleza só seja alcançada através de um apanhado de atitudes que  envolvam cuidados práticos e bons pensamentos na cabeça, e que tudo seja com uma boa dose de parcimônia… 

 

Quer ler mais sobre reflexões acerca do universo feminino?

  

A idade certa para ter filhos… 

Por que será que queremos ser sempre heroínas? 

19 comentários sobre “O que é ser escrava da beleza?”

  1. Ruby Fernandes comentou:

    Oie Lidiane!! esse assunto renderia horas… mas, confesso que muitas vezes sou escravinha da beleza sim, por exemplo, vou à academia 6 vezes por semana e participo de provas de corrida aqui em Brasília. Gosto muito de fazer ginástica, mas já vou fazer 36 anos e sei que a lei da gravidade não perdoa, então, mesmo nos dias que não tenho vontade faço assim mesmo. Resumindo: é um prazer muito grande me sentir bonita e com tudo em cima, mas gosto de suar a camisa, não sei se faria uma cirurgia plástica… ih, acho que renderia mais outras horas!!!
    Bjokas querida.
    p.s: que bom que vc não se esqueceu de mim, espero seu aviso 😉

  2. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oi, Ruby!
    Mulher, como tu és disciplinada!!!!!!! Creio que não suportaria academia 6x por semana…tá, falando sério? Nenhuma vez por semana. Sei lá, prefiro os exercícios ao ar livre. Por isso é que sou a adepta da velha e boa caminhada… mas já é um começo não é?

    ehehehe…

    Beijos.

  3. Zingara comentou:

    Ai, ás vezes relaxo um pouco nesse quesito e às vezes fico psicótica. hahaha Cuido bastante das unhas e dos cabelos, encaro o momento no salão de beleza com muito prazer: SÉRIO!

    Mas, sim, a emancipação da mulher, as jornadas TRIPLAS que enfrentamos MAIS a exigência de ESTAR BELA são CRUÉIS e nada maleaveis!

  4. Lúcia comentou:

    Acho que independente de qqr exagero somos escravas da beleza. É raro encontrar quem seja naturalmente linda, que não precise escovar os cabelos, fazer as unhas, passar uma base para melhorar o visual, nem as tops saem de casa sem o básico. Não adianta, tudo tem um preço… nem os homens escapam: fazer a barba todo santo dia é uma chatice…
    Como diz minha mãe, “tudo que é demais é veneno”, precisamos buscar o equilíbrio e ajudar a natureza e não lutar contra ela, é evidente o ridículo que mulheres já na terceira idade passam ao tentar rejuvenescer 30 anos, ficam com a cara deformada pelas plásticas e a moral no chão namorando garotões que poderiam ser seus netos. Concordo com você, o equilíbrio é o segredo! Bjo!

  5. sonia sousa comentou:

    bem eu nem sei por onde começar…Gosto de acima de tudo me sentir bem comigo e isto implica sentir-me bem com o meu corpo mas acima de tudo com o meu interior….nao sou escrava da beleza exterior …mas preciso sentir-me bonita por dentro e acho que isto reflete-se no resto…. continuo com a barriguinha a mais que a maternidade me deixou mas nao perco o sono por isso -gosto de arranjar o cabelo, gosto de me ver maquilhada mas nunca o faço ou raramente o faço….se estou bem comigo gosto do que vejo no espelho…se estou em dia não …nem posso olhar para o monstro que me aparece no espelho…por aí já ves como sou contraditória….mas gosto de mim -gostava de fazer mais exercicio do que o que faço mas nao por beleza mas sim por bem estar …respondendo á tua pergunta -não sou de todo escrava da beleza

  6. Dolly comentou:

    Sabe de uma coisa? penso como você. Claro que todas queremos envelhecer bonitinha, cheirosinha e certos cuidados são fundamentais desde sempre. É maravilhoso ser cuidadosa, elegante, poder comprar roupas de grife, usar bons produtos mas sem exageros! Lembro minhas tias que viviam passando claras batidas com açucar e limão nas mãos para ” afiná-las”…creme de abacate nos cabelos; chá de cebola para dar tons avermelhaos aos cabelos etc..então esses cuidados sempre foram primordiais e a vaidade sempre existiu..a yoga, exercicios ao ar livre. O que me questiono é: será necessário investir fábulas em cirurgias plásticas, peeling, cremes importados? esse exagero seria para melhorar a auto estima; medo da concorrência ou porque a sociedade agora nos impinge que devemos envelhecer com cara de 30?
    Na verdade a tal melhora de auto estima é a insegurança que a mulher tem de ser trocada por outra..a famosa competição…Uma pena; muitas vidas foram ceifadas por conta desses exageros..Ninguém fugirá das leis da gravidade…alguma coisa vai cair…a flacidez vai acontecer e a velhice vai chegar! Qualidade de vida, envelhecer bem independe de plasticas e cremes depende de ” cabeça”.O negócio é olhar de frente para a realidade,encarar o espelho e dizer>> eu sou mais eu da maneira que sou!
    beijos Dolly

  7. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Zíngara, quem me dera gostar de ir ao salão de beleza… 🙁
    Vou poucas vezes, e nas vezes que vou é porque a situação está periclitante…eheheheh

    Resolvi que vou cuidar da unhas em casa, fazendo o básico para mantê-las bem. Também resolvi que não vou virar adepta da escova/chapinha. Não estamos bonitas se estivermos necessariamente com o cabelo lisinho, não é? Questão de gosto e, para mim, libertação! Faz tempo que assumi meu cabelo do jeito que ele é, rebelde e “tals”… e somente ás vezes, quando quero dar uma variada, é que dou uma “surra” nele…kkkkk

    Beijos.

    Lúcia
    Você está certíssima quando diz que devemos ajudar a natureza, e não lutar contra ela. Acho que passa exatamente por aí o que poderíamos chamar de ponto de equilíbrio neste aspecto da vida.

    Falou e disse, mulher!

    Beijos.

    Sonia

    Me vi em tuas contradições…ehehehehehe…

    Beijos

    Dolly

    Achei teu comentário extremamente lúcido e equilibrado. E os novos questionamentos que vieram a partir deles também. O que será que leva uma mulher a se render ao apelo de que DEVEMOS estar jovens, lindas e impecáveis? Será que todas, absolutamente todas, gastam “os tubos” com plásticas, peelings e cremes importados pelo prazer de gastar e estarem bonitas ou há algo a mais que as aflige? E esse algo a mais seria um de seus questionamentos?
    Coloquei teus questionamentos no corpo do post porque achei que eles são bastante pertinetes…

    Beijos.

  8. Keka comentou:

    Amiga,
    a questão é ampla e por demais complexa!
    Falar de mulher hoje em dia é complicado! Sempre foi na verdade, mas atualmente a questão é bem mais “profunda”!
    O que vemos hoje na mídia, nas ruas é uma banalização total do sexo feminino! Você já tratou disso aqui, não?
    A mulher está a todo momento sendo comparada! Isto é fato independente de sua vontade. Cabe a cada uma decidir como reagir.
    Eu, por exemplo, não me considero escrava da beleza. Assim como você, passo beeem longe do salão de beleza. Só vou p/ cortar e retocar as luzes qnd elas já estão pela metade dos fios! Não gosto, ué!
    Quando falo que nunca tirei as cutículas e detesto pintar as unhas, as pessoas me olham como se eu fosse um ET! Verdade!
    Não gasto com cosméticos! Sou preguiçosa para isso!

    Cremes??? Todos que comprei perderam a validade…hihihi

    Mas, não abro mão de um rímel e blush!
    Vaidade? Não sei. Pode ser! Mas tb é só! Não gosto de mais nada quando o assunto é maquiagem!

    Em oposição a tudo isto, tem uma cirurgia plástica!
    Fiz uma redução de seios depois de amamentar meu filho!
    Eram grandes antes, porém durinhos!
    Depois, ficaram maiores e caídos!
    As alças dos sutiãs chegavam a machucar meus ombros e por vezes feria e sangrava!
    Vaidade? Tb não sei… Para mim a cirurgia não foi somente pela estética!
    Foi também, mas não só por isso!
    Mas te digo uma coisa: após a cirurgia, minha auto estima foi lá em cima! Sou outra! Feliz comigo mesma!
    Por isso tudo, não me considero escrava da beleza! Estou até longe!
    Mas sinto muito por ver tudo isso que a gente vê por aí…
    É triste!
    Escrevi um livro, né???
    Beijocas!!

  9. wlady comentou:

    Oiii! super 10 seu post!
    Então, temos 2 opções: podemos virar escravas da beleza ou ficar as mais feias do planeta! hehehe – brincadeirinha
    Acredito que a dose certa deve partir do bom senso de cada um (um porque hoje os homens também estão se cuidando).
    Os comentários acima são ótimos!
    bjk

  10. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Keka, a tua cirurgia plástica não me pareceu exagero. Já foi necessidade de saúde e bem-estar mesmo! As cirurgia plástias que, pessoalmente, considero exagero, são aquelas com o intuito apenas de vaidade. Claro que cada um tem graus de vaidade bem diferenciados, e o que é exagero para mim pode perfeitamente não ser para outrem, e não há como avaliar quem está no grau correto de “achismo”… ehehehe

    O que me inquieta não é a cirurgia em si, mas o que a motiva. E se as razões são implícitas, beleza! Louco de entender é quando a motivação é extrínseca digo, quando a mulher sucumbe ao apelo externo de que ela precisa se adequar a um modelo de beleza que foi estabelecido e é cruel com quem não se enquadra.

    Ah! Você não escreveu um livro não, senhora. Eu simplesmente amei sua intervenção porque foi muito valiosa, viu?

    Beijos

    Wlady

    Pois é, mulher! Bom senso acima de tudo, até na busca da beleza, faz muito bem.

    😉

    Beijos

  11. Raissa comentou:

    Tou atrasada mas vou dar a minha opinião mesmo assim, tá?

    Bom, eu concordo com vc quando vc diz que não devemos ser escravas da beleza, até porque tem que sobrar tempo pra fazer outras coisas das quais gostamos, como ir ao cinema, ler um livro, beijar mooointo, comer uma delicinha aqui ou acolá, enfim, coisas que de certa forma nos deixam bonitas também, só que de uma forma diferente, e nos deixam de bem com a vida, porque quando as fazemos estamos aproveitando o que a vida tem de melhor para nos oferecer, é ou não é?

    Mas é claaaaro que eu aprecio passar horas me arrumando, me informando sobre os melhores produtos de beleza para o meu tipo de pele, para deixá-la hidratada e macia, e portanto bonita. Não vou negar, eu gosto mesmo de ler sobre o assunto, de comprar hidratantes, mas não deixo isso me dominar, porque é algo que faz parte da moda e a moda está sempre mudando, pra melhor ou pra pior (na minha opinião, porque nem sempre ela melhora, pelo menos não para todos), então se eu for seguir a moda nesse aspecto (e até mesmo em outros) vou acabar frustrada, acredito eu, porque não vou conseguir comprar tudo e nem aproveitar da melhor maneira possível, logo, é melhor ir por partes. Não posso dizer que nunca vou me render às plasticas (apesar de que só de imaginar já me assusta totalmente), ao botox e outros tipos de tratamento, porque um dos meus sonhos é ir pra um spa e relaxar bastante com massagens (que faz bem tanto pro corpo como pra alma), e máscaras faciais/corporais.
    O que quero dizer com tudo isso é: tudo demais é veneno. Tanto as coisas boas como principalmente as coisas ruins.

    Beeeijos, adorei o post, estou me atualizando agora, hihi ;P

  12. Lets comentou:

    Lidi,

    adorei seu blog. Há tempos venho te visitando e então resolvi comentar. Adorei mesmo!

    Menina, sobre seu post em relação à compulsão e escravidão por beleza, penso tal qual você! Sem tirar nem por. Concordo que devemos nos preservar, nos cuidar, mas sem exageros, sem artificialidades. Sabe q eu acho q os homens abominam as exageradas!? E virar escrava da moda, da beleza e do consumismo faz perder a naturalidade, o charme e o que eu acho o fundamental: deixamos de ser únicos e passamos a ser produção da mídia, reprise de cenas já vistas, viramos esteriótipo previsível.

    Não pretendo ser assim e não sou. Gosto de moda, de estilos, de tendências, mas não para me submeter a elas e sim acompanhar os progressos da humanidade.

    Portanto, na minha opinião, vc falou e disse!

    Bjokas

    Lets

  13. fátima comentou:

    eu não sou, e nunca fui escrava da beleza. não gosto de cremes, só uso hidratante no rosto pq. a pele resseca e me irrita. uso lápis de olho e rímel diariamente, até em casa. só.
    tenho uma ruga entre as sobrancelhas desde mocinha (marca de família) que sempre me incomodou muito, pq. me deixa com cara de brava – o que não sou. então, p/ resolver isso, aplico botox. minha médica já tentou me fazer aplicar em outras áreas, mas eu me recuso, acho que as rugas são marcas do que já vivi, e devem ficar lá, bonitinhas.
    sou radicalmente contra mulheres que se recusam a envelhecer, que ficam com um rosto indefinido, sem expressão, sem idade; contra mulheres que não comem mais do que uma folha de alface pq. não podem engordar. normalmente são essas as mulheres que lotam os consultórios dos analistas procurando encontrar o seu eu perdido em algum pedaço de pele extirpado.
    veja bem: nada contra os cuidados normais de beleza, a maquiagem normal. o problema é esse exagero que vem acontecendo atualmente, é esse monte de mulheres todas com a mesma cara de “burro de charrete”, como diz o zé simão.
    aliás, como ninguém acha essas mulheres bonitas, fica a pergunta: pra quem elas fazem isso?

  14. Lidiane Vasconcelos comentou:

    É sim, Raissa! Concordo que fazer outras coisas que nos dá prazer faz a gente ficar mais bonita, porque é assim mesmo…sem demagogia, a gente fica mais bonita quando está de bem com a vida. 😉

    Mulher, que tu és chique e vaidosa eu já sabia, visse?! …ehehehehehehe… e que era uma vaidosa chique, mas com a cabeça no lugar também… 😀

    Beijos, bonita!

    Oi, Lets!!!

    Chega aí e fica a vontade. Fico feliz que mais uma bicha fêmea se manifeste por aqui e entre no “trololó”… bom demais!

    Pois, enquanto lia teu comentário lembrei de um dia em que vi uma mulher aqui perto no meu bairro. A impressão que eu tive na hora era que estava vendo uma daquelas modelos que saem nos ensaios fotográficos de moda da revista Claudia. Pelamor! Isso é o que chamo de previsibilidade e falta de estilo, porque não tinha identidade alguma ali… mas, tem quem goste…

    Beijos e volte sempre. Mas volta mesmo, hein? ehehehehe

  15. Lidiane Vasconcelos comentou:

    Oi, Fátima!

    Prazer em receber sua visita. 🙂
    É, somos parecidas quanto a resistência aos exageros em nome da beleza. Como você, acho que ruguinhas dizem muito de nossa história, e quando as minhas começarem a aparecer, quero ter a cabeça boa o suficiente para aceitá-las sem pirar e achar que tenho que extirpá-las a todo custo. 😉

    Beijos e volte sempre, viu?

  16. Pingback: Eu tenho celulite, tu tens, todas nós temos! E daí? « Bicha Fêmea
  17. Trackback: Eu tenho celulite, tu tens, todas nós temos! E daí? « Bicha Fêmea
  18. Pingback: “Mulher É Um Bicho Danado!”… Se Não, Vejamos… « Bicha Fêmea
  19. Trackback: “Mulher É Um Bicho Danado!”… Se Não, Vejamos… « Bicha Fêmea
  20. Pingback: Ontem foi dia de beleza real. Ame seu corpo, bonita! « Bicha Fêmea
  21. Trackback: Ontem foi dia de beleza real. Ame seu corpo, bonita! « Bicha Fêmea
  22. Pingback: Balzaquiana. E agora?
  23. Trackback: Balzaquiana. E agora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *